Jair Bolsonaro

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro em outros projetos:

Jair Bolsonaro (Glicério, 21 de março de 1955) é um militar e político brasileiro. Foi eleito presidente do Brasil em 28 de outubro de 2018 e assumirá o mandato no dia 1 de janeiro de 2019. É pai dos também políticos Flávio Bolsonaro, Carlos Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro, além de seus filhos mais jovens Renan e Laura.


Citações[editar]

Decáda de 1980[editar]

1986[editar]

  • "Muitos reclamam da não tributação do imposto de renda sobre os vencimentos brutos dos oficiais e sargentos. Ora, se isso ocorresse, depararíamos com a inconcebível circunstância de um aspirante a oficial do Exército - homem de elite e cheio de sonhos de carreira - ter que sobreviver com menos de 5 000 cruzados mensais. Um salário inferior ao de muitos técnicos e funcionários sem qualificação de muitas estatais, como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e Petrobrás."
- Coluna "Ponto de Vista", "O salário está baixo", Revista VEJA - 03/09/1986 - Edição 939 - pág. 154.[1]
  • "[...] não consigo sonhar com as necessidades mínimas que uma pessoa do meu nível cultural e social poderia almejar."
- Coluna "Ponto de Vista", "O salário está baixo", Revista VEJA - 03/09/1986 - Edição 939 - pág. 154.[2]

1988[editar]

  • "Admito também a transgressão disciplinar [...], pela qual, acertada e justamente, fui punido com quinze dias de prisão, única punição por mim sofrida até a presente data"
- No Superior Tribunal Militar, em 04/1988, sobre a autoria do artigo publicado na revista Veja em 1986.[3]
  • "Os hospitais públicos devem fazer a operação de ligadura de trompas em quem quiser. Senão, vamos ter essa gente invadindo a zona sul e tomando conta deste negócio."
- Folha de S.Paulo, 21/10/1988.[4]

1989[editar]

  • "Nosso Exército é uma vergonha nacional e o ministro está se saindo como um segundo Pinochet."
- Sobre Leônidas Pires Gonçalves, então ministro do Exército. Veja, 28/10/1989.[5]

Década de 1990[editar]

  • "Não adianta vir com paliativo, mostrar folhetinhos para a população carente que é analfabeta."
- Sobre controle de natalidade, durante sessão na Câmara Municipal do Rio de Janeiro no início dos anos 1990.[6]

1992[editar]

  • "Banana, palhaço e covarde."
- Sobre Carlos Tinoco, então ministro do Exército, durante protesto em 27/04/1992. Folha de S.Paulo.[7]
  • "Devemos adotar uma rígida política de controle da natalidade. Não podemos mais fazer discursos demagógicos, apenas cobrando recursos e meios do governo para atender a esses miseráveis que proliferam cada vez mais por toda esta nação."
- Em 1992.[8]

1993[editar]

  • "Se havia corrupção desenfreada e se os políticos lá se tinham locupletado, então os militares deveriam mesmo intervir."
- Sobre o golpe de Estado na Guatemala. Folha de S.Paulo, 26/05/1993.[9]
  • "Sou a favor de uma ditadura, de um regime de exceção, desde que esse Congresso dê mais um passo rumo ao abismo, que está muito próximo."
- Na tribuna da Câmara dos Deputados em 24/06/1993.[10]
  • "Tudo o que se faz aqui dentro (do Congresso) é inócuo. O único caminho que sobra é a intervenção das Forças Armadas. Como você vai acabar com os privilégios salariais no Judiciário, por exemplo, sem um regime de exceção? Não defendem Fidel Castro por aí? Eu defendo o Fujimori."
- Em entrevista à Folha de S. Paulo em 25/06/1993.[10]
  • "Eu simpatizo com o Fujimori. A Fujimorização é a saída para o Brasil."
- Em entrevista ao The New York Times em 25/07/1993.[11]
  • "Se Deus quiser, vamos voltar. Só que teremos guilhotina e não haverá esta bagunça que está aí."
- Defendendo o retorno de um governo militar, em discussão com o então senador Ronan Tito (PMDB-MG), durante votação na comissão mista do Congresso sobre o Plano Real, na qual o deputado foi o único a votar contra a criação da Unidade Real de Valor.[12]

1994[editar]

  • "Não acredito mesmo. Não acredito. Mas de jeito nenhum. A minha classe não acredita. O servidor público não acredita. Em todas as esferas, não acreditam também."
- Sobre o Plano Real.[13]

1995[editar]

  • "Mesmo armado me senti indefeso."
- Sobre ter sido roubado. Tribuna da Imprensa, 05/07/1995.[14]
  • "Pela sua coragem, quero agora louvar o excelentíssimo Sr. Presidente do Peru, Alberto Fujimori, que implantou em seu país, como forma de conter a explosão demográfica, a esterilização voluntária. [A Igreja Católica é] uma das grandes responsáveis pela miséria que grassa em nosso meio."
- Na Câmara dos Deputados,[15] em 21/09/1995.[16]

1996[editar]

  • "Só voto se me ajudarem a liberar recursos no orçamento ou indicar diretor de estatais. A massa dos parlamentares vai impedir essa manobra. A maioria não vai colocar o IPC na guilhotina."
- Defendendo a manutenção do Instituto de Previdência dos Congressistas (IPC) e estabelecendo condições para votar pela sua extinção, em Brasília, 16/02/1996.[17]
  • "Gastaram muito chumbo com o Lamarca. Ele devia ter sido morto a coronhadas."
- Sobre Carlos Lamarca. 27/07/1996.[18]
  • "As correspondências têm atrasado porque estão preparando para privatizar a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. A telefonia celular também. Eu acho um absurdo o que estão fazendo. [...] E você entrega a direção da Vale do Rio Doce para grupos internacionais?"
- Contra as privatizações durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.[13]

1997[editar]

  • "O pessoal fala que é discriminação. Agora você, aí de casa, contrataria um motorista gay para levar seus filhos na escola? Tá na cara que não.[19]
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta, da Band.
  • "A PM deveria ter matado 1.000 e não 111 presos no massacre do Carandiru."
- Folha de S.Paulo, 03/10/1997.[20]

1998[editar]

  • "A Comissão [de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados] só defende direitos de picareta e de vagabundo."
- Em referência aos 19 trabalhadores sem-terra mortos no Massacre de Eldorado dos Carajás. Folha de S. Paulo, 13/03/1998.[21]
  • "Existe outro megapicareta chamado d. Paulo Evaristo Arns, que teve a cara-de-pau de publicar carta aos leitores do jornal Folha de S.Paulo de ontem, assinada por mais 155 desocupados e vagabundos como ele, criticando minha possível eleição para a presidência da Comissão de Direitos Humanos. Apela a Fernando Henrique Cardoso para que tome as providências legais a fim de que eu não assuma a presidência daquela importante comissão, que defende os direitos humanos de vagabundos como ele, d. Paulo Evaristo Arns, que parece que tem as chaves da porta do céu. Mas, na verdade, as chaves que ele tem na cintura são da porta do inferno. Esse d. Paulo Evaristo Arns deve se recolher a sua insignificância, ao seu trabalho demagogo."
- Em discurso na Câmara dos Deputados, respondendo a carta do então arcebispo Paulo Evaristo Arns contra a candidatura de Bolsonaro para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da câmara baixa do Congresso. Folha de S. Paulo, 20/03/1998.[22]
  • "O cachorro não sabe que ele é um senador, mas deveria ser condecorado."
- Quando um cachorro da Polícia Militar do Distrito Federal atacou o então senado Eduardo Suplicy, que socorria um manifestante ferido durante um protesto liderado pela CUT no Congresso Nacional, em 21/05/1998.[23]
  • "Pinochet devia ter matado mais gente."
- Sobre Augusto Pinochet. Veja, edição 1575, de 02/12/1998 – Página 39[24]
  • "Já vai tarde."
- Quando Luís Eduardo Carlos Magalhães, filho de Antonio Carlos Magalhães (ACM), faleceu. Revista Veja, 1998.

1999[editar]

  • "Aproveito a oportunidade para, de público, agradecer a Vsa. Exa, deputada Luiza Erundina, pelo que já fez pela classe militar das Forças Armadas enquanto esteve à frente da administração. Tenha a certeza de que não nos esquecemos (...). Na vida pública, precisamos de gente como V. Exa., que olha para todos como brasileiros, independente de estarem fardados ou não (...)"
- Na tribuna da Câmara dos Deputados, à deputada federal Luiza Erundina, então no Partido Socialista Brasileiro, em 12/03/1999.[15]
  • "Através do voto você não vai mudar nada nesse país, absolutamente nada. Só vai mudar, infelizmente, quando um dia nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro. E fazer um trabalho que o regime militar não fez, matando uns 30 mil, começando pelo FHC. Se vai morrer alguns inocentes, tudo bem. Em tudo quanto é guerra morrem inocentes."
- Sobre o então presidente Fernando Henrique Cardoso. 25/05/1999.[25]
  • "Eu votaria no Lula no 2º turno. Apesar de dizerem que ele não é uma pessoa muito culta, eu vejo como uma pessoa honesta. Não adianta você votar numa pessoa cultíssima como o FHC e desonesta. Você não vai ter esperança de nada nunca na vida. O foco é na honestidade."
- Sobre eleições presidenciais, em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, 23/05/1999.[25]
  • "Não há a menor dúvida. Eu daria golpe no mesmo dia. [O Congresso] não funciona e tenho certeza que pelo menos 90% da população ia bater palmas. O Congresso hoje em dia não serve para nada, só vota o que o presidente quer. Se ele é a pessoa que manda, que decide e que tripudia em cima do Congresso, que dê logo o golpe, parte logo para a ditadura."
- Ao ser questionado se ordenaria o fechamento do Congresso Nacional caso fosse eleito presidente, em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, 23/05/1999.[25]
  • "Conselho meu e eu faço: eu sonego tudo que for possível."
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, 23/05/1999.[25]
  • "Eu não consigo ir nem para o Paraguai com o meu salário."
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, 23/05/1999.[25]
  • "A situação do país seria melhor hoje se a ditadura tivesse matado mais gente."
- Folha de S.Paulo, 30/06/1999.[26]
  • "É o que dá torturar e não matar."
- Sobre o ex-padre José Antônio Monteiro, que acusou o ex-diretor-geral do PF João Batista Campelo por tortura. Folha de S.Paulo, 30/06/1999.[26]
  • "É uma esperança para a América Latina e gostaria muito que essa filosofia chegasse ao Brasil. Acho ele ímpar. Pretendo ir à Venezuela e tentar conhecê-lo. Quero passar uma semana por lá e ver se consigo uma audiência. Acho que ele vai fazer o que os militares fizeram no Brasil em 1964, com muito mais força. Só espero que a oposição não descambe para a guerrilha, como fez aqui."
- Sobre o então presidente venezuelano Hugo Chávez. O Estado de S. Paulo, 04/09/1999.[27]
  • "[Hugo Chávez] não é anti-comunista e eu também não sou. Na verdade, não tem nada mais próximo do comunismo do que o meio militar. Nem sei mais quem é comunista hoje em dia."
- Sobre o então presidente venezuelano Hugo Chávez. O Estado de S. Paulo, 04/09/1999.[27]

Década de 2000[editar]

2000[editar]

  • "Acho que o fuzilamento é uma coisa até honrosa para certas pessoas."
- Referindo-se ao então presidente Fernando Henrique Cardoso em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[28]
  • "Nunca bati na ex-mulher. Mas já tive vontade de fuzilá-la várias vezes."
- Sobre sua ex-esposa e então vereadora Rogéria Bolsonaro, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[28]
  • "Nas questões polêmicas, ela deveria ligar para o meu celular para decidir o voto dela. Mas começou a frequentar o plenário e passou a ser influenciada pelos outros vereadores. Foi um compromisso. Eu a elegi. Ela tinha que seguir minhas ideias."
- Sobre sua ex-esposa e então vereadora Rogéria Bolsonaro, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[28]
  • "Não sou contra, não. Desde que seja com a mulher dos outros. Depois que todas as mulheres estiverem usando, aí a minha poderá usar. O fio dental foi um escândalo e hoje é normal. Tudo é evolução."
- Sobre a legalização do topless, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[28]
  • "Tem de ser uma decisão do casal."
- Sobre a legalização do aborto, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[28]
  • "Pena de morte deve ser aplicada para qualquer crime premeditado."
- Em entrevista à revista IstoÉ Gente em 2000.[28]
  • "Eu defendo a tortura. Um traficante que age nas ruas contra nossos filhos tem que ser colocado no pau-de-arara imediatamente. Não tem direitos humanos nesse caso. É pau-de-arara, porrada. Para sequestrador, a mesma coisa. O cara tem que ser arrebentado para abrir o bico."
- Em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[28]
  • "Eu sou contra. Não posso admitir abrir a porta do meu apartamento e topar com um casal gay se despedindo com beijo na boca, e meu filho assistindo a isso."
- Sobre o casamento homoafetivo, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[28]
  • "Graças a Deus, não. Eu desconheço. Se tivesse, nem quero pensar."
- Questionado se possuía familiares homossexuais, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[28]
  • "Filho de troglodita, troglodita é."
- Sobre seu filho Carlos ter sido eleito vereador da cidade do Rio de Janeiro, impedindo a reeleição da própria mãe, Rogéria Bolsonaro (PMDB), ex-esposa do deputado. O Estado de S. Paulo, 06/10/2000.[29]

2002[editar]

  • "Não vou combater nem discriminar, mas, se eu vir dois homens se beijando na rua, vou bater."
- Folha de S.Paulo, 19/05/2002.[30]
  • "Quero louvar a posição do Lula na Comissão de Relações Exteriores. Farei chegar ao conhecimento dos meus vinte mil militares, que forem internautas, da posição do presidenciável (…), para que cada um forme um juízo melhor de como votar. Obviamente, nós fechamos: nenhum militar vai votar em Serra!"
- Na tribuna da Câmara dos Deputados em 06/2002, apoiando Lula, que havia criticado o tratamento dado pelo governo Fernando Henrique Cardoso aos militares, e contra a eleição de José Serra, pré-candidato à presidência.[15]
  • "As coisas mudaram. Hoje, comunista toma uísque, mora bem e vai na piscina."
- Ao defender a indicação de Aldo Rebelo, então membro do Partido Comunista do Brasil, ao Ministério da Defesa. Folha de S.Paulo, 19/12/2002.[31]
  • "Apelo ao nosso Presidente Lula, a quem respeito e admiro por seu passado e sua conquista, para que escolha um dos membros do PT, do PCdoB ou um oficial-general de quatro estrelas para ocupar o Ministério da Defesa, a fim de que possamos ter esperança nesse Ministério da Defesa, o mais importante em qualquer país sério do mundo."
- Em contrariedade à indicação de José Viegas, então embaixador do Brasil na Rússia, para o cargo de ministro da Defesa, durante discurso na Câmara dos Deputados em 04/12/2002.[32]
  • "Confesso publicamente que votei no Lula no segundo turno, porque jamais votaria no candidato do Fernando Henrique Cardoso. No primeiro turno, trabalhei para Ciro Gomes, que perdeu. No segundo, escolhi a opção que considerava a melhor. [...] Não tenho como indicar alguém para o Ministério da Defesa. Não faço parte da equipe do Lula nem tenho poder de veto, mas tenho voz nesta Casa. Sugiro até mesmo o nome de José Genoíno, por quem não tenho grande amizade, mas reconheço sua competência. Não faria oposição à possibilidade de S.Exa. ir para o Ministério da Defesa. Também não me oporia se o eleito fosse Aldo Rebelo, do PCdoB. Ambos são competentes. Não quero falar sobre a história de ninguém. Temos de pensar apenas no Brasil daqui para a frente. [...] Apelo para os companheiros do PT, do PCdoB, para pessoas de bom senso do futuro Governo que digam não a José Viegas, esse traidor, amigo de Clóvis, talvez até com metástase com a máfia russa de venda de armamento."
- Em contrariedade à indicação de José Viegas, então embaixador do Brasil na Rússia, para o cargo de ministro da Defesa, durante discurso na Câmara dos Deputados em 05/12/2002.[33]

2003[editar]

  • "Enquanto o Estado não tiver coragem de adotar a pena de morte, o crime de extermínio, no meu entender, será muito bem-vindo. Se não houver espaço para ele na Bahia, pode ir para o Rio de Janeiro.
- Em discurso na Câmara dos Deputados, em 08/2003.[34]
  • "Jamais iria estuprar você porque você não merece."
- Para a deputada Maria do Rosário, que o chamou de estuprador, em 11/2003.[35]
  • "Já está mais do que na hora de discutirmos uma política que venha a conter essa explosão demográfica, caso contrário ficaremos apenas votando nesta Casa matérias do tipo Bolsa Família, empréstimos para pobres, vale-gás, etc."
- Em 12/2003.[8]

2004[editar]

  • "Não consigo entender como o MST, com toda a força e o dinheiro que tem, falando a nossa língua, não consegue terras. O índio, sem falar a nossa língua, fedorento — é o mínimo que posso falar —, na maioria das vezes, vem para cá, sem qualquer noção de educação, fazer lobby."
- Na Comissão Externa sobre a Reserva Indígena Raposa Serra do Sol, em 14/04/2004.[36]

2005[editar]

  • "E as amantes? Vão ficar de fora da proposta?"
- Comentando contra as propostas de emendas constitucionais que proíbem a contratação de parentes por titulares de cargos públicos. O então deputado empregava o filho e a mulher em seu gabinete. 20/04/2005.[37]

2007[editar]

  • "Competência? É problema do deputado. Se quiser botar uma prostituta no meu gabinete, eu boto. Se quiser botar a minha mãe, eu boto. É problema meu."
- A respeito da proposta de Emenda Constitucional que tornaria ilegal o nepotismo nos três poderes. 05/03/2007.[38]

2008[editar]

  • "O governo deveria apoiá-las [as milícias], já que não consegue combater os traficantes de drogas. E, talvez, no futuro, deveria legalizá-las."
- Em entrevista à BBC News em 08/03/2008.[34][39]
  • "É um índio que está a soldo aqui em Brasília, veio de avião, vai agora comer uma costelinha de porco, tomar um chope, provavelmente um uísque, e quem sabe telefonar para alguém para a noite sua ser mais agradável. Esse é o índio que vem falar aqui de reserva indígena. Ele devia ir comer um capim ali fora para manter as suas origens."[40]
- Após receber um copo d'água no rosto por uma das lideranças do sateré-maués em uma audiência na Câmara dos Deputados que tratava sobre a questão indígena em Roraima. 14/05/2008.
  • "Se o Parlamento tivesse a pureza de alma que Vossa Excelência tem o Brasil estaria muito melhor. Sou diferente de Vossa Excelência em muita coisa, mas na pureza, confesso, de vez em quando, penso como Vossa Excelência."
- Na Câmara dos Deputados em 17/06/2008, referindo-se ao também congressista Clodovil Hernandes.[41]
  • "Não adianta nem falar em educação porque a maioria do povo não está preparada para receber educação e não vai se educar. Só o controle da natalidade pode nos salvar do caos."
- Em 07/2008.[8]
  • "O único erro foi torturar e não matar."
- Sobre a possibilidade de revisão da Lei de Anistia, que poderia punir de acusados de torturas e outros crimes contra presos políticos durante o regime militar. 07/08/2008.[42][43]
  • "Querem atacar o miliciano, que passou a ser o símbolo da maldade e pior do que os traficantes. Existe miliciano que não tem nada a ver com 'gatonet' e com venda de gás."
- Na Câmara dos Deputados em 18/12/2008, sobre a CPI das Milícias.[34]

2009[editar]

  • "Quem procura osso é cachorro."
- Para familiares de desaparecidos na ditadura. 28/05/2009.[44]

Década de 2010[editar]

2010[editar]

  • "O governo federal — o anterior também fazia isto, em parte, mas este agora faz mais — dá para 12 milhões de famílias em torno de R$ 500 por mês a título de Bolsa Família definitivo, e sai na frente com 30 milhões de votos. Realmente, disputar eleições num cenário desses é desanimador. É compra de votos mesmo! Que bom se o eleitor tivesse o mínimo de discernimento!"
- Em discurso na Câmara dos Deputados, em 18/08/2010.[45]
  • "Se o filho começa a ficar assim meio gayzinho, leva um couro e ele muda o comportamento dele."
- No programa Participação Popular da TV Câmara, em 17/11/2010.[46]
  • "O meu lado é o lado dos héteros. [...] O pai, numa última instância, tem o direito de dar umas palmadas no filho dele. Já levei, e já dei nos meus filhos para sua boa educação. Se o garoto [...] andar com maconheiro, ele vai acabar cheirando; se andar com desocupado, vai acabar virando bandido; e se andar com gay, vai virar boiola com toda certeza. Nesse momento, umas palmadas nele coloca o garoto no rumo certo. [...] Não venham querer se impor, achar que são uma classe a parte, que são privilegiados."
- Em entrevista à Folha de S.Paulo, em 25/11/2010.[47]
  • "[Gasta-se] dinheiro do povo para tratar essa gente depois que contrai a doença com esses atos. [...] Se for na sacanagem… [...] Problema deles."
- Em entrevista a Mônica Iozzi, do programa CQC, sobre tratamento de pessoas com HIV.[48]
  • "[...] seus filhos vão receber na escola um kit intitulado Combate à Homofobia. Na verdade, é um estímulo ao homossexualismo, à promiscuidade. [...] A grande discussão da nossa Comissão de Direitos Humanos e Minorias é a profundidade em que a língua de uma menina tinha que entrar na boca da outra menina. Dá para continuar discutindo esse assunto? Dá nojo! Esses gays e lésbicas querem que nós entubemos, como exemplo de comportamento, a sua promiscuidade. [...] Essa história de homofobia é uma história de cobertura para aliciar a garotada, especialmente os garotos que eles acham que têm tendências homossexuais. [...] Eu realmente assumo o que disse na TV Câmara: se um garoto tem desvio de conduta logo jovem, ele deve ser redirecionado para o caminho certo, nem que seja com umas palmadas. Acusam-me de ser violento, mas não sou promíscuo, não sou canalha com as famílias brasileiras!"
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 30/11/2010.[49]

2011[editar]

  • "Devemos colocar um fim, uma transição para o Bolsa Família, porque, cada vez mais, pobres coitados, ignorantes, ao receberem bolsa família, tornam-se eleitores de cabresto do PT. Logicamente, levando-se em conta isso, não interessa ao PT fazer com que o povo tenha cultura, emprego, trabalho, porque vai perder esse curral eleitoral."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 02/02/2011.[50]
  • "O Bolsa Família nada mais é do que um projeto para tirar dinheiro de quem produz e dá-lo a quem se acomoda, para que use seu título de eleitor e mantenha quem está no poder. Ou seja, quem está no poder, ao brigar por educação e pelo fim da miséria, deixará de ter votos de miseráveis. E nós devemos colocar, se não um ponto final, uma transição a projetos como o Bolsa Família."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 10/02/2011.[51]
  • "Tem muito mais violência no país contra o professor do que contra homossexuais. Quando eles falam em agressões, é em horário avançado, quando as pessoas que têm vergonha na cara estão dormindo. A regra deles é a porrada e querem acusar nós, os normais, os héteros."
- Criticando a criação da Frente Parlamentar LGBT, em entrevista à revista Época em 19/02/2011.[52]
  • "É um estímulo ao homossexualismo. É uma porta aberta para a pedofilia."
- Criticando um vídeo proposto para o combate à homofobia nas escolas, em entrevista à revista Época em 19/02/2011.
  • "Essa política de defender o coitadinho já está aí desde que o Figueiredo saiu e olha como está a situação da educação no país hoje em dia. [...] O espancamento, que é uma lesão física, está previsto em lei que você não pode, é crime. Mas, quando um filho nosso começa a ter desvios, ter comportamento violento, você pega uma cinta, dá três lambadas e ele se endireita. E se você pode direcionar o comportamento agressivo, porque não o comportamento delicado demais? Eu tenho pavor, Deus me livre um filho meu começar a entrar para esse lado de ser delicado demais."
- Em entrevista à revista Época em 19/02/2011.
  • "Qual o problema? Eu vou continuar criticando porque eles querem ser uma classe de primeira categoria. É o plano do Projeto de Lei 122 [que criminaliza a homofobia] que está no Senado. Se aprovar aquele projeto e um dia eu tiver que aprovar alguém comissionado, eu já nem pego o funcionário se perceber que joga no outro time. Isso porque, na hora de ser mandado embora, você nunca sabe o que ele vai alegar. Olha que absurdo, numa escola, dois moleques de 16 anos começam a trocar beijos e, se o diretor advertir, começa com três anos de detenção."
- Perguntado se achava que falar mal de gays publicamente é um direito, em entrevista à revista Época em 19/02/2011.
  • "Eu não entraria em um avião pilotado por um cotista, nem aceitaria ser operado por um médico cotista."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre cotas raciais. O Globo, 29/03/2011. [53]
  • "Daria uma porrada nele, pode ter certeza disso. Se agir com energia é torturar, vai ser torturado."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre se eventualmente um filho usasse entorpecentes. O Globo, 29/03/2011. [53]
  • "Isso nem passa pela minha cabeça. Eles tiveram uma boa educação. Eu sou um pai presente, então não corro este risco."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre se eventualmente um filho fosse homossexual. O Globo, 29/03/2011. [53]
  • "Não iria porque não participo de (eventos para) promover os maus costumes. Até porque acredito em Deus, tenho uma família, e a família tem que ser preservada a qualquer custo, senão a nação simplesmente ruirá."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre participar de um desfile gay. O Globo, 29/03/2011. [53]
  • "Não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco. Os meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado por Preta Gil sobre se eventualmente um filho dele se apaixonasse por uma negra. O Globo, 29/03/2011. [53]
  • "O que eu entendi ali da Preta Gil, por Deus que está no céu, era como eu reagiria no caso do meu filho tivesse um relacionamento com um gay. Foi isso que eu entendi."
- Em 30/03/2011, durante o velório do ex-vice-presidente José Alencar, sobre sua resposta à pergunta de Preta Gil no dia anterior no programa CQC.[54]
  • "[...] que exemplo ela tem de vida para cobrar ética? Se você entrar no blog dela, está escrito lá que ela já participou de atos sexuais com outras mulheres, participa de suruba."
- Em 30/03/2011, durante o velório do ex-vice-presidente José Alencar, sobre Preta Gil, após a cantora declarar no Twitter, após a transmissão do CQC, que acionaria a Justiça.[54]
  • "Eu estou me lixando para esse pessoal. Criaram aí a frente parlamentar de combate à homofobia, frente gay aí. O que esse pessoal tem para oferecer para a sociedade? Casamento gay? Adoção de filhos? Dizer que se seus jovens, um dia, forem ter um filho, que se for gay é legal? Esse pessoal não tem nada a oferecer."
- Em 30/03/2011, durante o velório do ex-vice-presidente José Alencar.[54]
  • "Tudo que as bichas têm a oferecer, as mulheres têm e é melhor."
- Ao programa CQC de 04/04/2011. El País.[55]
  • "[...] não teria orgulho de ter um filho gay."
- Em audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em 27/04/2011.[56]
  • "O problema é seu. Eu não teria orgulho de ter um filho como você."[56]
- Respondendo ao deputado federal Jean Wyllys em audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em 27/04/2011.[56]
  • "Estou sofrendo preconceito heterossexual."
- Em audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em 27/04/2011.[56]
  • "Agora virou bagunça. O próximo passo vai ser a adoção de crianças (por casais homossexuais) e a legalização da pedofilia."
- Após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo. Jornal do Brasil 05/05/2011.[57]
  • "Eu não quero que o meu filho menor vá brincar com o filho adotivo de dois homossexuais. Não deixo. Não quero que ele aprenda com o filho do vizinho que a mamãe usa barba, que isso é normal. Não vou deixá-lo nessas companhias porque o futuro do meu filho também será homossexual. Vão dizer que estou discriminando e estou, sim."
- Após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo. Jornal do Brasil 05/05/2011.[57]
  • "Se ser homofóbico é defender as crianças nas escolas, defender a família e a palavra de Deus, pode continuar me chamando de homofóbico com muito prazer, pode me dar o diploma de homofóbico."
- Após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo. Jornal do Brasil 05/05/2011.[57]
  • "Vai ver a mãe crescer usando cueca e o pai usando calcinha. [Haveria] passeata gay mirim."
- Sobre crianças adotadas por homossexuais, após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo. Jornal do Brasil 05/05/2011.[57]
  • "É um cúmulo aprovar esse projeto e ser preso por causa de um boiola."
- em reunião da Comissão de Direitos Humanos do Senado, em 12/05/2011.[58]
  • "E eu sou homofóbico? Ela é heterofóbica. Não pode ver um heterossexual na frente dela que alopra! Já que está difícil ter macho por aí, eu estou me apresentando como macho e ela aloprou. Não pode ver um heterossexual na frente. Ela deu azar duas vezes: uma que sou casado e outra que ela não me interessa. É muito ruim, não me interessa."
- Sobre a então senadora Marinor Brito em reunião da Comissão de Direitos Humanos do Senado, em 12/05/2011.[59]
  • "Minha mãe, basicamente, era aquela chocadeira: um filho atrás do outro."
- Folha de S.Paulo, 16/05/2011.[60]
  • "Teve gente torturada, sim. Nós não negamos. Você só pode obter informações dessa maneira, é a regra do jogo. O pessoal da esquerda fazia besteira -carro-bomba, sequestro- e depois se vitimizava. Se o cara matou colega seu, é do ser humano pegar para arrebentar. Hoje, com a cabeça que tenho, faria muito melhor. Tem que eliminar. Guerra é guerra."
- Folha de S.Paulo, 16/05/2011.[60]
  • "Minha relação com os negros sempre foi ótima. Não vou dizer que meus melhores amigos eram negros, mas tive bons amigos negros."
- Folha de S.Paulo, 16/05/2011.[60]
  • "A molecada, ao invés de se preocupar com matemática, português, física, etc., vai perder tempo discutindo homossexualismo, estudando livros que mostram que dois homens namorando é normal, duas mulheres dormindo juntas é normal. Isso aí ajuda a deseducar, a deixar o cara mais burro."
- O Tempo, 22/05/2011.[61]
  • "Eu já falei aqui que o heterossexual está sendo discriminado. Esse pessoal gay prega que o verdadeiro orgasmo só é atingido por quem faz sexo anal. É essa a mensagem que eles estão pregando aqui dentro da Câmara. Você vai falar que não, aí eles perguntam: 'você já experimentou?'."
- O Tempo, 22/05/2011.[61]
  • "Se não tem jeito de, na conversa, mudar, você tem de dar um couro nele. E muitos concordam com isso. Se eu posso mudar um comportamento agressivo num filho meu, por que eu não posso mudar um comportamento extremamente delicado, fora do padrão para um garoto? Lógico que eu posso. Eu tenho o direito; mais que o direito, eu tenho o dever de tentar. Se eu percebesse isso aí em qualquer filho meu, tinha apanhado; pode ter certeza disso aí. 'Isso é coisa de menina, vai ser homem, moleque!'. Muita gente fala que levou porrada do pai e, graças a isso, é homem hoje em dia."
- O Tempo, 22/05/2011.[61]
  • "Obrigado à Preta Gil. Podemos até discutir, se ela estiver desempregada, trabalhar para a minha campanha no Rio de Janeiro me criticando, eu até arranjaria uma graninha para ela, uns R$ 600 por mês, que é o que ela merece."
- O Tempo, 22/05/2011.[61]
  • "Direita não, extrema-direita."
- Sobre seu alinhamento ideológico, em entrevista para O Tempo, 22/05/2011.[61]
  • "Quem não presta no Brasil é 70% do eleitorado."
- O Tempo, 22/05/2011.[61]
  • "E eu nem entro na questão de gastar dinheiro público, gasolina, com esses movimentos promíscuos, porque ninguém tem orgulho de ter um filho gay, um irmão gay, um pai gay."
- Sobre a autorização do governo do Rio de Janeiro para militares usarem farda em eventos LGBT. O Tempo, 22/05/2011.[61]
  • "Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui: prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí. Para mim ele vai ter morrido mesmo."
- Em entrevista à revista Playboy. Extra, 07/06/2011.[62]
  • "[...] se um casal homossexual vier morar do meu lado, isso vai desvalorizar a minha casa! Se eles andarem de mão dada e derem beijinho, desvaloriza."
- Em entrevista à revista Playboy. Extra, 07/06/2011.[62]
  • "O ex-Secretário do Ministério da Educação, André Lázaro, afirmou que a cena do beijo lésbico do 'kit gay' foi discutida durante três meses para ver até onde ia a língua da menina na boca da outra. Devem ter medido com régua, 'tira um milímetro, coloca dois'..."
- Sobre o projeto Escola sem Homofobia, em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[63]
  • "Unidade familiar é homem e mulher, como diz na nossa constituição federal."
- Em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[63]
  • "Entendo que uma criança adotada por um casal gay será, de certeza, homossexual. Vai puxar o bigodudo ou careca."
- Em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[63]
  • "Faço uma relação entre o homossexualismo e a pedofilia porque muitas das crianças que serão adoptadas por casais gays vão ser abusadas por esses casais homossexuais."
- Em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[63]
  • "Prefiro, sim, um filho atropelado por um comboio a um filho homossexual. Se o meu filho fosse gay, estaria morto para mim. [...] Não tem porque ser gay ou maconheiro. Se ele mudar, é porque é um sem-vergonha."
- Negando usar força de expressão, em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[63]
  • "Sou parlamentar com P maiúsculo, não com H minúsculo de homossexual."
- Em sua defesa em representação contra ele no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, 06/2011.[64]
  • "Sou preconceituoso, com muito orgulho."
- Época, 02/07/2011.[65]
  • "Se essa fosse sua opção para ser feliz não estaria (nem poderia) ser proibido por mim mas, certamente, não iria me convencer a frequentar minha casa."
- Sobre se algum parente assumisse ser homossexual. Época, 02/07/2011.[65]
  • "A maioria dos homossexuais é assassinada por seus respectivos cafetões, em áreas de prostituição e de consumo de drogas, inclusive em horários em que o cidadão de bem já está dormindo. O PLC 122, na prática, criará uma categoria de vítimas privilegiadas, ou seja, com proteção especial em virtude de sua opção sexual."
- Época, 02/07/2011.[65]
  • "Se posso mudar o comportamento de um filho agressivo ou desrespeitoso por que não poderia mudar o efeminado com a mesma atitude? Homossexualismo, como regra, é comportamento e não genética."
- Sobre bater em um filho dele caso fosse transexual. Época, 02/07/2011.[65]
  • "Alguém tem alguma dúvida que programas assistencialistas, como o Bolsa Família, que acostuma o homem à ociosidade, são um obstáculo para que se escolha um bom presidente?"
- Época, 02/07/2011.[65]
  • "Ninguém gosta de homossexual, a gente suporta. O PSOL é um partido de pirocas. É coisa de veados o que eles estavam fazendo."
- Sobre representação feita pelo PSOL contra Bolsonaro em 2011.[66]
  • "Eu estou me lixando para a senadora. Eu vou responder à senadora [Marinor Brito] num papel higiênico."
- Sobre representação feita pelo PSOL contra Bolsonaro em 2011.[67]
  • "Se gosta de homossexual, assuma. Se o teu negócio é amor com homossexual, assuma."
- Referindo-se à então presidente Dilma Rousseff durante pronunciamento sobre o projeto Escola sem Homofobia, na Câmara dos Deputados em 24/11/2011.[68]

2012[editar]

  • "O comandante Jean Wyllys abandonou a tropa de homossexuais. E a tropa de homossexuais, agora, está batendo em retirada do campo de batalha. São heterofóbicos. Quando veem um macho na frente eles ficam doidos. (...) Homossexualismo... direito... vai queimar tua rosquinha onde tu bem entender, porra!"
- Sobre esforços de conversão de orientação sexual ou "cura gay", em sessão da Câmara dos Deputados em 2012.[69]
  • "90% desses meninos adotados vão ser homossexuais e vão ser garotos de programa com toda certeza desse casal"
- Sobre adoção por casais homoafetivos, em entrevista ao programa Agora É Tarde em 01/03/2012.[70]
  • "Preferia que fosse um hétero. Uma pessoa normal."
- Sobre se preferia ter um vizinho homossexual ou heterossexual, em entrevista ao CQC em 03/2012.[71]
  • "Orgulho [dele] não tenho, né? O que você tem que entender é o seguinte: guerra é guerra. Ele foi um grande estrategista. Quando você tem um general, aqui no Brasil, em qualquer exército do mundo, aquele general tem que estar pronto para aniquilar o outro país, destruir o outro país, para defender o seu povo."
- Sobre Adolf Hitler, em entrevista ao CQC em 03/2012.[71][72]
  • "Todo mundo ia atrás de galinha no galinheiro na minha cidade. Alguns mais malandros, iam atrás da bezerrinha, da jumentinha. Era comum. Não tinha mulher como tem hoje. [Uma galinha] deu uma voltinha aqui."
- Em entrevista ao CQC em 03/2012.[71]
  • "Já. Era garoto em Eldorado, uma menina forçou a barra para cima de mim. (...) Não queria trair a galinha."
- Em entrevista ao CQC em 03/2012, sobre já ter agredido alguma mulher.[71]
  • "Se eu der R$ 20 pra você votar em mim, posso perder meu registro, ser cassado. Agora o governo dá para 10 milhões de família de forma vitalícia, R$ 40 bilhões por ano, e tudo bem. O Bolsa Família é uma mentira, você não consegue uma pessoa no Nordeste para trabalhar na sua casa. Porque se for trabalhar, perde o Bolsa Família"
- Em entrevista ao programa Brasil em Discussão, na Record News, em 15/05/2012.[73]
  • "Não tem pensão para homossexual. Eles não geraram filhos!"
- Em entrevista ao programa A Liga, da Band, em 12/06/2012.[74]

2013[editar]

  • "Voltem para o zoológico."
- Declarou a um grupo de representantes dos negros que manifestavam contra a eleição de Marco Feliciano para presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, 07/03/2013[75][76]
  • "Vocês querem queimar a rosca? Vão queimar, pô. 'Ah, meu filho é gay, que maravilha!' A ditadura que você gosta é outra, mas essa eu não posso te dar."
- Em reunião da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, em 13/03/2013.[77]
  • "Seu pai tem orgulho de você porque você dá o cu."
- Dirigindo-se a manifestantes em reunião da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, na segunda quinzena de 03/2013.[77]
  • "Ela [Eleonora Menicucci], no Correio Braziliense, declara que continua tendo relações sexuais com homens e mulheres, ou seja, linguajar popular: sapatona. E diz que o grande orgulho dela é a filha, que é gay. Essa mulher representa a sua mãe, Dilma Rousseff. A minha, não. Outra coisa: Plano Nacional de Promoção e Cidadania de Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. [...] Isso é um estímulo à pedofilia. [...] 'Inclusão da população LGBT em programas de alfabetização nas escolas públicas': cota pra professor homossexual na escola do Ensino Fundamental. O pobre, que tem filho em escola de Ensino Fundamental: é para o teu filho, para ensinar ao teu filho a ter como exemplo um traveco. [...] 'Reconhecer todas as configurações familiares protagonizadas por lésbicas, gays, bissexuais e travestis com base na desconstrução da heteronormatividade': ou seja, livros ensinando as crianças que 'papai' e 'mamãe' está errado. [...] o que aquela comissão representava: representava o estímulo ao homossexualismo infantil, representava o estímulo à pedofilia e grana do orçamento para a Parada Gay."
- Na Câmara dos Deputados, em 27/03/2013.[78]
  • "Eu sou parlamentar para pregar o que eu bem entender. Se eu achar que jornalista tem que ir para o pau-de-arara, eu posso falar!"
- Terra, 16/05/2013.[79]
  • "Se, atrás disso, vem a adoção de criança: uma criança adotada por um casal gay é 90% de chances que vai ser gay também. Você acha que eu vou pegar meu filho de 6 anos de idade e deixar ele brincar com outro moleque de 6 anos adotado por um casal gay? Não vou deixar! (...) A lei não vai fazer minha maneira de pensar (ficar) diferente."
- Sobre o casamento homoafetivo. Terra, 16/05/2013.[79]
  • "Ninguém, nenhum pai tem orgulho de ter um filho gay. Você já viu baile de debutante de gays? Você acha que um pai ia financiar um baile de 15 anos para um filho gay? Para dançar: 'o meu filho Joãozinho vai dançar com o Pedrinho'. Tá de brincadeira, pô!"
- Terra, 16/05/2013.[79]
  • "Quando um moleque está sendo extremamente violento — ele cospe na mãe, chuta o vizinho, quebra o vidro, não sei do quê —, você dá um pau nele e não vai melhorar o comportamento dele? Por que se (o filho) está sendo meio 'delicado' demais, também você não muda o comportamento dele? Muda, sim!"
- Terra, 16/05/2013.[79]
  • "Você já ouviu, em algum lugar, eu falar que homossexual tem que morrer? Tem que dar porrada? Eu nunca ouvi falar isso em lugar nenhum."
- Terra, 16/05/2013.[79]
  • "Eu tenho imunidade para falar que sou homofóbico sim, com muito orgulho, se é para defender as crianças nas escolas."
- Em entrevista para o Canal TWTV no YouTube, publicada em 05/06/2013.[80]
  • "Parlamentar não deve andar de ônibus. Fui ser deputado federal para não andar de ônibus, fusca, van, morar bem e pensar no bem do povo e da minha família."
- Sobre os parlamentares. Christina Nascimento e Paloma Savedra, Jornal O Dia. 12/08/2013[81]
  • "Não tem essa causa toda para esse clamor popular. Não existe homofobia no Brasil. A maioria dos que morrem, 90% dos homossexuais que morrem, morrem em local de consumo de drogas, em local de prostituição ou executados pelo próprio parceiro. Eu entrei nessa briga dos gays tendo em vista a proposta do governo em querer distribuir nas escolas públicas do primeiro grau um material didático que seria para combater a homofobia, mas na verdade estimula o homossexualismo. É uma questão de normalidade."
- Ao comentar sobre o sequestro e assassinato do adolescente Alexandre Ivo por skinheads ocorrido em 2010[82] , em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.[83]
  • "Tua cultura é diferente da nossa. Nós não estamos preparados ainda no Brasil, porque nenhum pai, nem você nem eu, tem orgulho de ter um filho gay. Orgulho? Prazer? Fazer festa porque apareceu um filho gay na família? Você tem que ter um norte na tua vida. Querem que os héteros continuem gerando crianças para que essas crianças se transformem em gays e lésbicas para satisfazê-los sexualmente no futuro. Então esse é o exemplo da sociedade brasileira que está sendo plantado aqui agora por esses grupos que eu chamo de fundamentalistas homossexuais."
- Em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.[83]
  • "Não gostar não é a mesma coisa que odiar. Eu não gosto dos talibãs. A sociedade brasileira não gosta de homossexual."
- Em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.[83]
  • "[...] tem passeatas de orgulho gay. Estamos pensando em fazer uma passeata do orgulho hétero. [...] Você não será convidado."
- Em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.[83]
  • "Só tem uma utilidade o pobre no nosso país: votar. Título de eleitor na mão e diploma de burro no bolso, para votar no governo que está aí. Só para isso e mais nada serve, então, essa nefasta política de bolsas do governo."
- No plenário da Câmara dos Deputados em 11/2013.[8]
  • "Tem que dar meios para quem, lamentavelmente, é ignorante e não tem meios controlar a sua prole. Porque nós aqui controlamos a nossa. O pessoal pobre não controla."
- Em 2013.[8]

2014[editar]

  • "Minoria tem que se calar, se curvar à maioria."
- Na Câmara dos Deputados em 11/02/2014.[84]
  • "Pedrinhas é o melhor presídio do Brasil. Se quiser desligar o telefone, pode desligar."
- Referindo-se ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, palco de dezenas de homicídios, em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[85]
  • "Eu pretendo ecoar, falar para o povo brasileiro do mais importante: a redução da idade penal e de uma política de planejamento familiar, de reduzir o número de filhos dos mais pobres. Porque os mais pobres têm bolsas [benefícios] que os estimulam a terem mais filhos. Então, gente sem cultura acaba tendo mais filhos para ganhar 70 reais por mês."
- Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[85]
  • "Os homossexuais querem se passar por vítimas, querem superpoderes. Qualquer homossexual que morre no Brasil, logo a mídia está dizendo que é homofobia. Há muitos que são mortos pelos próprios colegas ou em locais de prostituição, ou por overdose. Ao morrer, os ativistas dizem que é homofobia. No Brasil dez mulheres por dia são assassinadas por seus parceiros, isso é muito mais grave. Os crimes de homofobia tem que ser tratados da mesma forma que qualquer outra morte. Quantos heterossexuais morrem por dia? Morrem muitos mais que homossexuais."
- Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[85]
  • "Quem pensa dessa maneira de respeitar é quem quer levar essa matéria para as escolas para transformar crianças de seis anos em homossexuais. Ao ponto que daí facilita a pedofilia no Brasil."
- Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[85]
  • "A imensa maioria vem por comportamento. É amizade, é consumo de drogas. Apenas uma minoria nasce com defeito de fábrica."
- Sobre os homossexuais, em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[85]
  • "Só porque alguém gosta de dar o rabo dele passa a ser um semideus e não pode levar porrada?"
- Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[85]
  • "Temos de dar direitos humanos para seres humanos, não para marginais."
- Quando de sua candidatura para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, no início de 2014.[77]
  • "Você é uma idiota. Você aprendeu onde isso aí? Tô falando que tá no Diário do Congresso, como é que eu tô mentindo? Contra as mentiras, você quer forçar a barra. Você é uma analfabeta! Não atrapalhe seus colegas. Você está censurada. [...] Você é uma idiota. Você é uma ignorante. Você tá querendo impor a tua verdade pra cima de mim. Tô cagando e andando pra você."
- Em resposta à repórter Manuela Borges após questioná-lo sobre a negação do golpe militar de 1964. G1, 01/04/2014[86] e Veja SP, 04/04/2014[87]
  • "Índio não fala nossa língua, não tem dinheiro, é um pobre coitado, tem que ser integrado à sociedade, não criado em zoológicos milionários. [...] tem índio yanomami falando inglês melhor do que professor."
- Midiamax. 04/2014[88].
  • "Ela me disse 'Não é porque tenho mais de 60 anos que não continuo fazendo sexo'. Mentira! Com aquela cara, nem com Viagra na veia. Ela é feia pra caramba."
- Referindo-se à então ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, em reunião sobre o Estatuto da Família, em 07/05/2014.[89]
  • "Se eu não conseguir me candidatar, quero ser vice de Aécio Neves. Claro, nada disso nunca entrou em pauta e nunca ninguém falou sobre isso, mas seria uma grande honra para mim."
- Sobre a intenção de formar chapa com o então pré-candidato a presidência pelo PSDB, em entrevista ao site InfoMoney. em 22/05/2014.[90]
  • "Acho extremamente importante cortar essa carga tributária, sou totalmente a favor da meritocracia, do livre mercado... Mas claro que não é tudo, afinal, eu sou a favor de um governo autoritário. O governo não pode perder a mão e deixar tudo no [setor] privado, senão vira palhaçada. O problema não é estar na mão do governo, mas, sim, a forma como o governo administra."
- Em entrevista ao site InfoMoney. em 22/05/2014.[90]
  • "Sou contra privatizações. No entanto, pior que privatizar é 'PTizar'."
- Em entrevista ao site InfoMoney. em 22/05/2014.[90]
  • "Ela não merece porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero. Jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece."
- Referindo-se à deputada federal Maria do Rosário. Zero Hora, 10/12/2014.[91]
  • "Eu tenho pena do empresário no Brasil, porque é uma desgraça você ser patrão no nosso país, com tantos direitos trabalhistas. Isso nenhum deputado vai falar para você, porque você perde voto — já comecei agora a mostrar para você que não estou preocupado com voto. Pode escrever aí: quando o cara vai empregar, entre um homem e uma mulher jovem, o que que o empregador pensa? 'Poxa, essa mulher aqui tá com aliança no dedo, não sei o quê, ela vai casar, é casada, daqui a pouco engravida, seis meses de licença-maternidade, bonito para caralho, para caralho'. Quem que vai pagar a conta? É o empregador. No final, ele abate no INSS, mas ele fala o seguinte: 'quebrou o ritmo de trabalho. Quando ela voltar, vai ter mais um mês de férias. Então, no ano, ela vai trabalhar cinco meses'. Por isso que o cara paga menos para a mulher; qual a solução? É muito fácil eu, que sou empregado, ou que estou aqui no serviço público, que não tenho nada a ver com um empregado meu mandado embora, falar que é injusto, que tem que pagar salário igual. Só que aquele cara que está produzindo ali, na ponta da linha, com todos os encargos trabalhistas, aquela pessoa que fica fora, que perde o ritmo de trabalho, etc., etc., ele vai ter uma perda de produtividade. O produto dele vai ser posto mais caro na rua, ele vai ser quebrado pelo cara da esquina. Não tem solução para isso. Eu sou um liberal; se eu quero empregar na minha empresa você ganhando R$ 2 mil por mês e a Dona Maria ganhando R$ 1,5 mil, se a Dona Maria não quiser ganhar isso, que procure outro emprego! Se você acha que também não tá ganhando, que procure outro emprego. Eu que estou pagando; o patrão sou eu."
- Zero Hora, 10/12/2014.[92]
  • "Se você quer um bebê, por que não procura uma barriga de aluguel? Não se preocupe, logo os homossexuais poderão ter um útero implantado e então poderão ter um bebê."
- Em entrevista ao The Intercept, em 11/12/2014.[93]
  • " Entre o sangue meu, por exemplo, e de um homossexual [...] se perguntar pra quem precisa de doarem sangue […] você vai ver que a resposta..."[94]
- Em entrevista a Luciana Gimenez no programa SuperPop, em 13/04/2014.[95]

2015[editar]

  • "Não sei qual é a adesão dos comandantes, mas, caso venham reduzir o efetivo (das Forças Armadas) é menos gente nas ruas para fazer frente aos marginais do MST, que são engordados agora por senegaleses, haitianos, iranianos, bolivianos e tudo que é escória do mundo que, agora, está chegando os sírios também. A escória do mundo está chegando ao Brasil como nós não tivéssemos problema demais para resolver."
- Em entrevista ao Jornal Opção, em 17/09/2015.[96]
  • "Espero que o mandato dela acabe hoje, infartada ou com câncer, ou de qualquer maneira."
- Referindo-se a Dilma Rousseff em entrevista ao Jornal Opção, em 17/09/2015.[96]
  • "Se eu um dia tiver o mandato de presidente, o pessoal da Anistia Internacional não vai mais interferir na vida interna do nosso país."
- Em vídeo de 05/10/2015.[55]
  • "Reitero."
- Em 2015, sobre ter dito a frase "Coitada da cobra", respondendo a uma pergunta de Matheus Leitão, escritor do livro Em Nome dos Pais, sobre o uso de uma jiboia na tortura sofrida pela mãe de Matheus, a jornalista Miriam Leitão, enquanto esta estava grávida e presa do 38º Batalhão de Infantaria do Exército em Vila Velha.[97]

2016[editar]

  • "Eu não empregaria com o mesmo salário. Mas tem muita mulher que é competente."
- Sobre pagar a mulheres com o mesmo salário que homens. RedeTV!, 15/02/2016.[98]
  • "Eu mesmo não acredito que isso ainda ocorra."
- Sobre a desigualdade salarial entre homens e mulheres. Exame, 08/03/2016.[99]
  • "[...] temos um projeto que permite a laqueadura e vasectomia a partir dos 18 anos de idade. Portanto, é claro que sou contra o aborto."
- Exame, 08/03/2016.[99]
  • "Se eu fosse cadete da Academia Militar das Agulhas Negras e te encontrasse na rua, eu iria assobiar para você."
- Em resposta a Ellen Page no documentário Gaycation, em 03/2016.[100]
  • "Com o passar do tempo, com as liberalidades, as drogas e as mulheres trabalhando, aumentou bastante o número de homossexuais. Eu costumo dizer também que se um filho começa a andar com certas pessoas, com um certo comportamento, ele vai ter também aquele comportamento, vai ter aquele tipo de comportamento, achar que é normal."
- Em resposta a Ellen Page no documentário Gaycation, em 03/2016.[100]
  • "Me desculpa. Você foge à normalidade. Nós temos que ter um norte. Você beira, com todo o respeito, à teoria do absurdo. Até porque você e a sua companheira não geram filhos. Se for gerar, vai depender de algo doado por nós héteros, nós homens."
- Em resposta a Ellen Page no documentário Gaycation, em 03/2016.[100]
  • "Um muro como o muro de Berlim, o muro de Hitler."
- Atribuindo a Adolf Hitler a construção do Muro de Berlim, ao comentar sobre o muro levantado perto do Congresso Nacional antes da votação do impeachment de Dilma Rousseff. Época, 12/04/2016.[101]
  • "Nesse dia de glória para o povo brasileiro tem um nome que entrará para a história nessa data, pela forma como conduziu os trabalhos nessa casa. Parabéns, presidente Eduardo Cunha. Perderam em 1964. Perderam agora em 2016. Pela família e pela inocência das crianças em sala de aula que o PT nunca teve, contra o comunismo, pela nossa liberdade, contra o Foro de São Paulo, pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff, pelo Exército de Caxias, pelas nossas Forças Armadas, por um Brasil acima de tudo e por Deus acima de todos, o meu voto é sim."
- Em referência a Carlos Alberto Brilhante Ustra, acusado de casos de tortura e homicídios na ditadura militar, dirigindo a palavra ao então presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha durante a votação na Câmara dos Deputados do impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 17/04/2016.[102]
  • "Essa ideia de 'Oh, pobrezinho do preto, oh, pobrezinha da pessoa, oh, pobrezinha da mulher, oh, pobrezinho do índio'; todo mundo é pobrezinho alguma coisa!"
- Vice, 27/04/2016.[103]
  • "Não me arrependo de nada."
- Sobre os insultos a Maria do Rosário. Vice, 27/04/2016.[103]

2017[editar]

  • "Papel de filho da puta que você está fazendo comigo. Tens moral para falar do Renan [filho de Bolsonaro]? Irresponsável. Mais ainda, compre merdas por aí. Não vou te visitar na Papuda. Se a imprensa te descobrir aí, e o que está fazendo, vão comer seu fígado e o meu. Retorne imediatamente."
- Em conversa pelo WhatsApp com o filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro, que não compareceu à eleição para presidente da Câmara dos Deputados em 02/02/2017, na qual Jair foi candidato.[104]
  • "Vamos dar fuzil para o produtor rural porque cartão de visita para invasor é o rifle 762."
- No Aeroporto João Suassuna, de Campina Grande, em 08/02/2017.[105]
  • "Como somos um país cristão, Deus acima de tudo. Não tem essa historinha de estado laico não. O Estado é cristão e a minoria que for contra, que se mude. Vamos fazer um Brasil para as maiorias! As minorias têm que se curvar para as maiorias. A lei deve existir para defender as maiorias! As minorias se adéquam ou simplesmente desapareçam!"
- No Aeroporto João Suassuna, de Campina Grande, em 08/02/2017.[105][72]
  • "Não, você não pode dar independência. O Banco Central independente sem um coração verde e amarelo no peito dos caras que estão lá dentro, esses caras vindo apenas do mercado financeiro, o presidente da República vai ser refém deles. Se deixar à vontade, toda vez que tiver um refresco na economia, esse pessoal vai inventar uma maneira de ajudar mais o sistema financeiro."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[106]
  • "Vocês (jornalistas) vão bater tanto em mim, que vocês vão fazer minha campanha, porque ainda existe um viés de esquerda em muito colega seu."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[106]
  • "[...] Nós podemos ter uma entrada muito grande da escória do mundo no Brasil, que seria uma minoria. Como se não bastasse nós temos quase 20 mil haitianos nas mãos do MTST em São Paulo, massa de manobras, inclusive o Haddad já cadastrados no bolsa-família…" [o entrevistador pergunta "O senhor acha que essas pessoas, 20 mil haitianos, seriam uma massa de manobra?"] "Você quer trazer o terror para o Brasil. Qualquer um traz com meia dúzia de pessoas, com armas, preparadas e dispostas, com armas de precisão para pegar você a seiscentos metros. É só começar a matar um cara importante, atirar outro acolá, e você cria um terror no Brasil." [o entrevistador pergunta "O senhor acha que os haitianos em São Paulo são isso?"] "Opa, olha só, não fale os haitianos, dentro deles tem uma minoria, pois tem senegalês, tem angolano. Você não sabe, eu sei por falar, o que enfrentar um angolano mascando folha de coca na favela da Maré, no Rio. A polícia não entra apesar de ser plana, não tem nem cota para atirar de cima."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[106]
  • "Morreu tarde no meu entender. [...] Olha não interessa [se eram contra a luta armada]. É política de vitimização."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, sobre os três integrantes do antigo Partido Comunista Brasileiro (contrário à luta armada) mortos no Centro de Informações do Exército (CIE) em 1975, então sob o comando do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra.[106]
  • "[...] uma criança que cresce olhando para dois homens, algo de anormal vai passar na cabeça dela."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[106]
  • "[...] o próprio Agnaldo Timóteo fala que o maior racista é, segundo ele, o próprio negro. E ele diz quando o elemento faz um grupo de pagode e começa a ganhar dinheiro, ele diz que bota uma loirinha embaixo do braço."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[106]
  • "Acabaram com nossa alegria de viver, não pode fazer uma brincadeira,uma piada, tudo não pode, é preconceito. Tá aí as feministas, tá aí o LGBT, as minorias. Uma desgraça no Brasil."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[106]
  • "Qual o tratamento para esse cara que tem de ser dado? 7,62."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, propondo o uso de fuzil 7,62 contra membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.[106]
  • "Sem tiro de advertência. Primeiro na testa [...]. Isso pra mim é terrorismo."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, falando sobre ocupações promovidas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.[106]
  • "Então você vai combater estuprador com ânus."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, respondendo se violência se combate com violência.[106]
  • "[...] se a Dilma apanhou, foi pouco [...]"
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, ao negar que a ex-presidente Dilma Rousseff tenha sido torturada durante a ditadura militar.[106]
  • "Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "Uma das acusações que recebo é 'Xenófobo!'. […] E eu sou contra estrangeiros aqui dentro."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "O único rio lá que se poderia fazer três hidrelétricas, o pessoal encheu de índio. Hoje você não pode fazer uma hidrelétrica."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "E voltamos aqui pra questão da xenofobia, né. Nós não podemos abrir as portas do Brasil pra todo mundo."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "Isso aqui é só reserva indígena, tá faltando quilombolas, que é outra brincadeira. Eu fui em um quilombola em El Dourado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador eles servem mais. Mais de um bilhão de reais por ano gastado com eles. [...] Não querem nada com nada."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "Alguém já viu um japonês pedindo esmola por aí? Porque é uma raça que tem vergonha na cara. Não é igual essa raça que tá aí embaixo ou como uma minoria tá ruminando aqui do lado."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "Se eu chegar lá, não vai ter dinheiro pra ONG, esses inúteis vão ter que trabalhar. […] Não vai ter um centímetro demarcado pra reserva indígena ou pra quilombola."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "Se um idiota num debate comigo, caso esteja lá, falar sobre misoginia, homofobia, racismo, baitolismo, eu não vou responder sobre isso."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "Tá pra ser transformado em lei o novo Código de Imigração. Tomem conhecimento. Qualquer estrangeiro ou até um monte de estrangeiro... Se alguém quiser pegar um navio e encher de haitiano, de angolano, de chinês, japonês, seja lá o que for. Japonês não vem pra cá não, tá. E jogar no porto aqui, dez mil aqui. O pessoal, ele fala, 'eu sou refugiado', passa a ter direito a abrir conta em Banco do Brasil e Caixa Econômica, com menos diligências do que qualquer um de nós brasileiros. Passa a ter direito a Sistema Único de Saúde gratuito […]"
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "O que que a Venezuela tá fazendo? Tá enchendo as suas ambulâncias e carros com pessoal idoso ou doença de alta complexidade e desovando nos hotéis, nos hospitais e postos de saúde de Roraima. E o que o governo brasileiro faz? Não faz nada. Tem que fazer alguma coisa. Se aceita, vamos criar campos de refugiados. Se aceita... Se não aceita, devolve. O Brasil não pode se transformar na casa da mãe Joana. Não pode a decisão de um governo acolher todo mundo de forma indiscriminada."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "Não sabemos ainda o nosso futuro, dada a quantidade de estrangeiro que estão aqui dentro. Lógico, eu não generalizo. Mas dentre esses uma minoria que pode fazer um estrago muito maior do que nós enfrentamos, em especial de 66 a 73, numa luta armada e na guerra e guerrilha dentro do nosso Brasil."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "Tínhamos na presidência um energúmeno que são sabia contar até dez porque não tinha um dedo."
- Em referência à deficiência física de Luiz Inácio Lula da Silva, em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[94]
  • "Estive à frente para aprovar a fosfoetanolamina. Cura ou não cura, não sei. Sou capitão do Exército, a minha especialidade é matar, não é curar ninguém."
- Folha de S.Paulo, 30/06/2017.[107]
  • "A sociedade comeu aquela mulher? Não fique culpando a sociedade. A sociedade é maravilhosa. Não estou culpando ninguém. A culpa é dela; ela que procurou fazer aquilo. Ela que procurou fazer sexo sem responsabilidade e, segundo ela, procurou a clínica de aborto."
- Sobre uma mulher morta numa clínica clandestina de aborto. Vídeo divulgado em 04/08/2017 no programa Greg News, de Gregório Duvivier, na HBO.[108]
  • "Para ser candidato a presidente tem de falar que vai ampliar o Bolsa Família, então vote em outro candidato. Não vou partir para demagogia e agradar quem quer que seja para buscar voto."
- Na Festa do Peão de Barretos, em 26/08/2017.[109]
  • "Eu quero que todos, inclusive os gays, sejam felizes, mas que esse tipo de comportamento não seja ensinado nas escolas. Os pais querem ver o filho jogando futebol, não brincando de boneca por causa da escola."
- No programa Canal Livre, da Band, em 19/11/2017.[110]
  • "Se morrerem 40 mil bandidos [por ano, por ação da polícia], temos que passar para 80 mil."
- No programa Canal Livre, da Band, em 19/11/2017.[110]
  • "Quanto mais as facções se matarem, melhor."
- Em entrevista coletiva em Manaus, 14/12/2017.[111]

2018[editar]

  • "Esse dinheiro de auxílio-moradia eu usava pra comer gente. Você tá satisfeita agora? Porque essa é a resposta que você merece."
- Ao ser questionado sobre o recebimento de auxílio-moradia pela Câmara dos Deputados. Folha de S.Paulo, 11/01/2018.[112]
  • "É igual aconteceu no governo do Fernando Henrique Cardoso, quando foi votada a PEC da reeleição. Eu pensem em votar favorável. Quando pintou 200 mil, pagos pelo governo FHC, eu tirei o time fora, votei contra."
- Jair Bolsonaro - Rádio Jovem Pan - Programa Pânico - 05/02/18 [113].
  • "O estatuto [do partido] não tem nada a ver. O que vale é você."
- Jair Bolsonaro - Rádio Jovem Pan - Programa Pânico - 05/02/18 [114].
  • "Tem que botar quem dê conta do recado. Se botar as mulheres, vou ter que indicar quantos afrodescendentes?"
- Na Câmara Municipal de Pouso Alegre em 08/03/2018, Dia Internacional da Mulher, sobre a participação de mulheres em eventual governo seu.[115].
  • "Cientistas descobrem do leite do ornitorrinco proteína capaz de combater superbactérias. Em nossa viagem à Ásia o interesse pela biodiversidade Amazônica se fez presente."
- Blog do Esmael. 18/03/2018[116].
  • "O Lula quis transformar o Brasil num galinheiro, agora esse crápula colhe ovos pelo Brasil todo."
- No Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, em 28/03/2018, sobre os ataques contra a caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um deles sendo uma ovada em um ônibus.[117]
  • "É tudo mentira. Está na cara que alguém deles deu os tiros. A perícia deverá ficar pronta entre hoje e amanhã e vai apontar a verdade."
- Em Ponta Grossa, em 28/03/2018, atribuindo a petistas a autoria dos tiros contra ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.[118]
  • "O meu plano de governo será o pior de todos. Quando eu falo o pior plano, não é porque eu quero que seja o pior plano. O Brasil não tem dinheiro e sabemos que mentira é recorrente por causa de eleição."
- Em visita à cidade de Belo Horizonte, em 09/05/2018.[119]
  • "Quem nunca deu um tapa no bumbum do filho e depois se arrependeu? Acontece."
- Sobre as execuções autorizadas pelo ex-presidente Ernesto Geisel, em entrevista à Rádio Super Notícia em 11/05/2018.[120]
  • "Lamento a morte dele, em que circunstância, se foi suicídio ou morreu torturado. Suicídio acontece, pessoal pratica suicídio. [...] essa é uma história que passou."
- Para o programa Mariana Godoy Entrevista, sobre o assassinato de Vladimir Herzog durante a ditadura militar brasileira.[121]
  • "[...] esses marginais que cometeram esse crime não merecem lei, não. Merecem é bala!"
- Durante passagem por Marabá em 12/07/2018, falando sobre o assassinato do empresário Luciano Fernandes em suposta disputa de terras.[122]
  • "Eu não quero mais o Lula preso. Eu quero o Lula em cana!"
- Durante passagem por Marabá em 12/07/2018.[122]
  • "Quem tinha que estar preso era o pessoal do MST (Movimento dos Sem Terra), gente canalha e vagabunda. Os policiais reagiram para não morrer. [...] Direitos humanos é a pipoca, pô."
- Em 13/07/2018, durante passagem pelo local do Massacre de Eldorado do Carajás, defendendo os policiais condenados pelas mortes de 19 trabalhadores sem-terra ocorridas em 1996.[123]
  • "Os índios e os afros são brasileiros como nós."
- Durante passagem por Parauapebas, em 13/07/2018.[123]
  • "Imagine o empresário encontrar no pátio da sua fábrica quem um dia o assaltou ou violentou sua filha? Quando teremos um presidente preocupado com as pessoas honestas? Os que concordam com isso poderiam, como exemplo, empregar em sua própria casa."
- Em publicação de 25/07/2018 no Twitter, sobre a Lei Federal 13.500/2017, que regulamenta a contratação de presos e ex-presos por empresas contratadas pela Administração Pública, de que o deputado e seu filho Eduardo haviam votado a favor.[124]
  • "Que dívida? Eu nunca escravizei ninguém. Os portugueses nunca pisaram na África. Os negros eram entregues pelos próprios negros."
- Sobre a história dos negros escravizados no Brasil, durante entrevista no programa Roda Viva em 30/07/2018.[125]
  • "Olhei para cara dele, pelo tamanho da cabeça, e pensei: 'esse cara não é xing ling'. Espero não ser processado por isso."
- Durante passagem por Vitória em 01/08/2018, falando sobre ter encontrado um cearense em Taiwan.[126]
  • "[Indolência] É a capacidade de perdoar? O índio perdoa."
- Em 07/08/2018, sobre a declaração de Hamilton Mourão, general da reserva e candidato a vice-presidente em sua coligação, de que o Brasil "herdou a cultura de privilégios dos ibéricos, a indolência dos indígenas e a malandragem dos africanos". Indolência significa desleixo, preguiça ou apatia, enquanto indulgência é a capacidade de perdoar.[127]
  • "Meus filhos todos atiraram com cinco anos de idade. Real, não é de ficção nem de espoleta não."
- Durante evento em Glicério, em 23/08/2018.[128]
  • "Você sabe atirar? Você sabe dar tiro? Atira. Policial tem que atirar."
- Para um menino, ao simular com as mãos da criança como se dispara uma arma de fogo, durante evento em Araçatuba, em 23/08/2018.[129]
  • "Então vamos respeitar o direito de o pedófilo fazer sexo com alguém de 2 anos de idade?."
- Comentando sobre os direitos dos homossexuais, em entrevista à revista americana Time em 23/08/2018.[130]
  • "Recado para o Supremo Tribunal Federal: respeite o artigo 53 da Constituição. O artigo diz: Eu deputado, sou inviolável por qualquer palavra, opinião e voto. Tá escrito e ponto final, porra. [...] Nós somos 90% cristãos, por que não temos nenhum lá dentro? Porque, de acordo com indicação política, o PT botou oito."
- Na Ceasa do Rio de Janeiro, em 28/08/2018, dia da análise pelo Supremo Tribunal Federal da denúncia contra o deputado por racismo.[131][132]
  • "Vamos fuzilar a petralhada toda aqui do Acre!"
- Durante evento em Rio Branco, em 01/09/2018.[133]
  • "O 13º salário do trabalhador está previsto no art. 7° da Constituição em capítulo das cláusulas pétreas (não passível de ser suprimido sequer por proposta de emenda à Constituição). Criticá-lo, além de uma ofensa a quem trabalha, confessa desconhecer a Constituição."
- Em 27/09/2018, em suas redes sociais, discordando de seu próprio o candidato a vice-presidente, general Hamilton Mourão, que havia criticado o 13º salário.[134]
  • "Vamos botar um ponto final em todos os ativismos do Brasil."
- Em 07/10/2018, após a divulgação dos resultados do primeiro turno das eleições de 2018.[135]
  • "Pô, cara! Foi lá pergunta essa invertida... quem tomou a facada fui eu, pô! O cara lá que tem uma camisa minha, comete lá um excesso. O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam. A violência veio do outro lado, a intolerância veio do outro lado. Eu sou a prova, graças a Deus, viva disso aí."
- Em 09/10/2018, sobre o esfaqueamento e assassinato do mestre de capoeira Moa do Katendê, vitimado após declarar ter votado no candidato a presidente Fernando Haddad (PT).[136]
  • "Dispensamos voto e qualquer aproximação de quem pratica violência contra eleitores que não votam em mim. A este tipo de gente peço que vote nulo ou na oposição por coerência, e que as autoridades tomem as medidas cabíveis, assim como contra caluniadores que tentam nos prejudicar. Há também um movimento orquestrado forjando agressões para prejudicar nossa campanha, nos ligando ao Nazismo, que, assim como o Comunismo, repudiamos completamente. Trata-se de mais uma das tantas mentiras que espalham ao meu respeito. Admiramos e respeitamos Israel e seu povo!"
- Após casos de violência por inconformismo político. Publicado no Twitter em 10/10/2018.[137]
  • "Sou vítima daquilo que prego."
- Ao tentar dizer que ele próprio era a verdeira vítima ao comentar sobre atos de violência perpetrados por seus seguidores.[138]
  • "Recuso qualquer tipo de apoio vindo de grupos supremacistas. Sugiro que, por coerência, apoiem o candidato da esquerda, que adora segregar a sociedade. Explorar isso para influenciar uma eleição no Brasil é uma grande burrice! É desconhecer o povo brasileiro, que é miscigenado."
- Em 16/10/2018, repudiando o apoio oferecido por David Duke, supremacista branco estadunidense e ex-líder da Ku Klux Klan.[139]

Sobre[editar]

1988[editar]

  • "[Preso] por ter sido indiscreto na abordagem de assuntos de caráter oficial, comprometendo a disciplina; por ter ferido a ética, gerando clima de inquietação na OM [organização militar] [...], da GU [Grande Unidade] e da força e por ter contribuído para prejudicar o excelente conceito da tropa pára-quedista no âmbito do Exército [...]"
- Registro da prisão do capitão.[3]

1992[editar]

  • "Ele tem agido mais como um sindicalista do que como um deputado realmente interessado em defender os interesses da instituição."
- Carlos Tinoco, então ministro do Exército, ao Jornal do Brasil em 05/1992.[140]

1993[editar]

  • "Neste momento em que estamos aqui conversando, há muitos dizendo: 'Temos que dar um golpe! Temos que derrubar o presidente [Itamar Franco]! Temos que voltar à ditadura militar!' E não é só o Bolsonaro, não! Tem muita gente no meio civil que está pensando assim. Quantos vêm falar comigo, me amolar com esse negócio: 'Quando é que o Exército vai dar o golpe? O senhor tem que agir, é preciso voltar!' São as vivandeiras!"
- Ernesto Geisel, general e presidente do Brasil na ditadura, em 28/07/1993.[141]

1994[editar]

  • "Presentemente, o que há de militares no Congresso? Não contemos o Bolsonaro, porque o Bolsonaro é um caso completamente fora do normal, inclusive um mau militar. Mas o que é de militar no Congresso? Acho que não há mais ninguém. Minha opinião é que, à medida que o tempo passa, essa ingerência vai diluindo e desaparecendo. Tem raízes históricas, mas agora, com a evolução, vai acabar"
- Ernesto Geisel, general e presidente do Brasil na ditadura, em 04/1994.[141]

2006[editar]

  • "Ele abusa das prerrogativas de parlamentar. Acho que apresentar um projeto e dizer que é contra é até falta de decoro parlamentar. É lamentável".
- Luiz Alberto (PT-BA), deputado federal em 2006, presidente da Frente de Defesa da Igualdade Racial, quando Bolsonaro apresentou um projeto de lei propondo cotas para parlamentares negros e afirmou ser contra o próprio projeto.[142]

2011[editar]

  • "Inimigo da democratização do país, saudoso assumido do regime militar, Bolsonaro cultiva a técnica publicitária de unir o preconceito à política. O pioneiro dessa estratégia foi Adolf Hitler. Ele não era inimigo de judeus. Nem inimigo de comunistas. Sua causa era combater o judaico-bolchevismo."
- Paulo Moreira Leite para a revista IstoÉ em 2011.[143]

2013[editar]

  • "Esse deve ter sido um dos mais estranhos e sinistros encontros que eu já experenciei. Bolsonaro é o típico homofóbico que encontrei pelo mundo todo, com seu mantra de que os gays querem dominar a sociedade, recrutar crianças ou abusar delas. Mesmo num país progressista como o Brasil, suas mentiras criam histeria entre os ignorantes, dos quais a violência pode surgir e acabar em ataques brutais como o que matou Alexandre Ivo. Podemos ver claramente que foi um crime homofóbico, o que faz a indiferença dos políticos ainda mais horrível para mim."
- Stephen Fry em seu documentário Out There, em outubro de 2013, após entrevistar Bolsonaro.[83]
  • "Ver tanta ignorância, brutalidade, estupidez e horror não ajudou. Tive que me concentrar para não perder a calma diante dos absurdos ditos por esse senhor."
- Stephen Fry, sobre Bolsonaro após entrevistar o deputado para o documentário Out There, em outubro de 2013.[82]

2014[editar]

  • "O representante eleito mais misógino e odioso do mundo democrático."
- The Intercept, 11/12/2014.[93]
  • "[...] Bolsonaro é uma desgraça nacional sem igual. Ele tem uma longa história de revoltante racismo, homofobia e outras formas variadas de fanatismo que se espera de um admirador da ditadura militar. [...] Em certo sentido, Bolsonaro é a mais extrema e repelente face de uma tentativa de direita ressurgente, dirigida por evangélicos, de atrasar o país em décadas, exatamente na direção oposta a que a maioria dos outros países civilizados está indo."
- The Intercept, 11/12/2014.[93]
  • "Um homem odioso que talvez, mais do que qualquer outra pessoa, exemplifique o lado atrasado do Brasil que ainda é uma presença enorme e tragicamente preocupante nesta grande nação."
- Andrew Downie em entrevista a The Intercept, 11/12/2014.[93]
  • "São tantas polêmicas que os políticos sulfurosos de outros países podem apenas se curvar. Suas palavras são tão extremas que seriam quase caricaturais se ele não assumisse tudo."
- Luc Vinogradoff em matéria do Le Monde em 12/12/2014.[144]

2016[editar]

  • "[...] é devastador saber que uma pessoa com tanta influência tenha tanto desdenho com a comunidade gay."
- Ellen Page após entrevistar Bolsonaro para o documentário Gaycation, em 03/2016.[100]
  • "A democracia tem mesmo que conviver com quem a ameaça, como o deputado Jair Bolsonaro? O que ele defende e proclama fere cláusulas pétreas. Um dos seus ideais ameaça o pilar básico da Constituição, que é a democracia. Ele usa a democracia para conspirar contra ela abertamente e sob a cobertura de um mandato. Ele exaltou em seu voto a tortura, que é um crime hediondo, e fez, inclusive, o elogio à figura do mais emblemático dos torturadores do regime militar, Carlos Alberto Brilhante Ustra. [...] Por que não sofre um processo de cassação pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados? O Supremo Tribunal Federal, em cujo foro ele está, deveria ser consultado sobre como agir nestes casos em que um político com prerrogativa de foro usa a sua imunidade para ameaçar explicitamente o país com a defesa do fim da democracia e fazer a apologia de um crime hediondo."
- Míriam Leitão. O Globo, 18/04/2016.[145]
  • "Esse simplismo de quem simpatiza com Bolsonaro é o que torna o deputado algo mais que uma piada sem graça. Na carência de saídas políticas sólidas, na onda de descrédito dos políticos, Bolsonaro prospera com um jeito apolítico. Nos Estados Unidos, isso foi um trunfo para o desastroso Donald Trump passar de bufão a ameaça real. Bolsonaro é um meme de si mesmo. Ecoa as convicções dos brasileiros mais reacionários. Exagera no barulho para disfarçar o oco. O lado externo de seu gabinete, contíguo ao do filho, parece uma página de boatos na internet. Ao lado da bandeira do Brasil e do Hino Nacional, há cartazes ridicularizando a Comissão da Verdade, que apurou crimes da ditadura militar. A notoriedade de Bolsonaro no plano nacional teve início quando ele começou a fazer discursos agressivos contra o 'kit gay' e a educação sexual nas escolas, em 2011. Não foi uma ascensão acidental. Foi estratégia."
- Flávia Tavares em matéria da revista Época de 21/04/2016.[146]
  • "Sua postura é puro cálculo. Não que ele não acredite no que fala. Mas tudo é pensado para os ouvidos de quem se choca ou vibra com seu destempero. [...] Bolsonaro depende do alvoroço que cria para crescer porque sua atuação parlamentar é pífia. Se não está no alto de um caminhão chutando pixulecos, ele não tem muito mais a mostrar."
- Flávia Tavares em matéria da revista Época de 21/04/2016.[146]
  • "Foi em muitos aspectos um casamento político entre o mais radical evangélico e o mais polêmico militarista, que juntos esperam conceber uma nova geração de governos de ultradireita. Bolsonaro traz o apoio de uma rica elite católica para a rede de igrejas evangélicas de base de Feliciano."
- Jonathan Watts, editor do The Guardian, em 05/05/2016[147]

2017[editar]

  • "Nós estamos precisando de um presidente de pulso firme, que seja democrático, mas que seja firme, Temos que votar em um cara que realmente tenha credibilidade, que seja uma pessoa como nós. O Jair Bolsonaro, por exemplo. Mas não é só votar nele, não. Você tem que votar também em quem o apoia, porque se não o cara não terá como governar, Bolsonaro é um cara democrático, que tem pulso firme, e tenho certeza absoluta que você não irá ver nada de corrupção com ele"
-Amado Batista, cantor, em entrevista a rádio Cultura AM (Campo Grande-MS) em 30/01/2017.[148]
  • "Acabou que eu dei audiência para ele, porque ele foi a uns oito programas de televisão."
-Manuela Borges, repórter da RedeTV! que discutiu com Bolsonaro em 04/2014, entrevistada pelo portal UOL em 26/05/2017.[149]
  • "Primeiro, a candidatura dele é nacional. Segundo, é um dos dois ou três políticos que não se meteram em nenhum esquema de corrupção. Terceiro, ele tem algum amor ao Brasil"
-Olavo de Carvalho, escritor, explicando seu voto para Bolsonaro, em entrevista para a Folha de São Paulo publicada em 10/10/2017.[150]
  • "Suas declarações racistas, misóginas e antigays têm sido tão violentamente exageradas que a comparação com Trump — que Bolsonaro vê como modelo — é quase injusta com Trump. Como Trump, sua ascensão teve ajuda de grande parte da mídia brasileira; e como Trump, isso é paradoxal porque a maioria dos grandes meios de comunicação que o ajudaram não gostam dele."
-Mark Weisbrot, colaborador do US News, em 20/10/2017.[151]
  • "O radicalismo não leva a nada. Uma coisa é você ser radical como deputado. Outra é como candidato à Presidência. Vivemos num Estado laico e num Estado democrático de direito. Todos têm o direito de falar. Tem minorias que precisam ser respeitadas. Tudo isso você tem que debater, mas em alto nível."
-Carlos Manato, deputado federal (SD-ES) aliado de Bolsonaro, em entrevista ao jornal A Gazeta em 06/11/2017.[152]
  • "Diz-se pelo mercado livre e aberto e pela limitação da intervenção estatal, apesar de ter votado consistentemente ao lado do PT em todos os projectos mais estatizantes e de recair de vez em quando na defesa de um proteccionismo nacionalista. "
- Maria Henrique Espada, em artigo para a edição de 29/11/2017 da revista portuguesa Sábado.[153]

2018[editar]

  • "O que está a acontecer hoje com Jair Bolsonaro é como a ascensão de Hitler na Alemanha. Para mim, é um candidato que segue o mesmo caminho. [...] Assusta-me muito. Bolsonaro é uma ameaça muito real para nós. Ele teve um grande crescimento individual, tem um público eleitor jovem. São homens de classe média, que têm acesso à informação, mas que optaram por aceitar o discurso retrógrado de Jair Bolsonaro."
- Luize Valente em entrevista à agência Lusa, em 13/01/2018.[154]
  • "Uma pesquisa divulgada por Bolsonaro atestou que o leite do animal é capaz de combater uma superbactéria. Agora só falta os cientistas acharem a finalidade de Bolsonaro. O candidato salientou as qualidades do ornitorrinco, que, segundo ele, é da Amazônia. O animal, porém, vive na Austrália. Em breve Bolsonaro também citará as vantagens de um animal tipicamente brasileiro, o canguru. O ornitorrinco, que tem bico de pato e corpo de mamífero, havia muito intrigava a ciência. Imediatamente começaram as pesquisas para descobrir por que uma outra espécie, que defende a ditadura, disputa eleições."
Coluna humorística Sensacionalista. Veja, 23/03/2018.[155]
  • "Ele é um cara que vem trabalhando na base da falácia. Inclusive, eu penso hoje que a gente teve um papel meio principal, uma coisa que eu me arrependo um pouco. Ele era um cara tão ignorante, tão patético, sem nenhum tipo de competência e com valores morais tão deturpados que, pra gente, era um personagem tão bizarro, que era engraçado. A gente não tinha ideia que boa parte da população se identificaria com um ser humano tão vil assim. Acho que a gente, infelizmente, contribuiu."
Mônica Iozzi em entrevista a Rafael Cortez, ambos ex-repórteres do CQC, sobre a aparição de Bolsonaro no programa em 2011. Estadão, 04/04/2018.[156]
  • "[...] Jair Bolsonaro tratou com total menoscabo os integrantes de comunidades quilombolas. Referiu-se a eles como se fossem animais, ao utilizar a palavra “arroba”. Esta manifestação, inaceitável, alinha-se ao regime da escravidão, em que negros eram tratados como mera mercadoria, e à ideia de desigualdade entre seres humanos, o que é absolutamente refutado pela Constituição brasileira e por todos os Tratados e Convenções Internacionais de que o Brasil é signatário, que afirmam a igualdade entre seres humanos como direito humano universal e protegido. Não satisfeito, o acusado afirmou que os quilombolas não fazem nada e não servem nem para procriar, depreciando-os de modo enfático e absoluto, apenas por sua condição pessoal. Jair Bolsonaro ainda consignou, em comparação, que os japoneses são um povo trabalhador, que não pede esmola. Assim, evidenciou que, em sua visão, há indivíduos ou povos superiores a outros, tratando quilombolas como seres inferiores. [...], Jair Bolsonaro incita a discriminação entre seus ouvintes em relação aos estrangeiros, principalmente ao sustentar situações de envolvimento destes com práticas de guerrilha e luta armada [...]. Estas manifestações feitas pelo acusado [...] reforçam atitudes de violência e discriminação que são vedadas pela Constituição e pela lei penal, notadamente em face de estrangeiros ou imigrantes [...]. Ao assim agir, Jair Messias Bolsonaro praticou a conduta ilícita tipificada no art. 20, caput da Lei 7.716/89, vez que, em seu discurso tratou os quilombolas como seres inferiores, igualando-os a mercadoria (discriminação) e ainda reputou-os inúteis, preguiçosos (preconceito) e também incitou a discriminação em relação aos estrangeiros, estimulando os presentes no Clube Hebraica, um público de cerca de trezentas pessoas, além de outras pessoas que tiveram acesso a vídeos divulgados do evento, a pensarem e agirem de igual forma (induzimento e/ou incitação)."
Raquel Dodge, procuradora-geral da República, em denúncia contra o deputado ao Supremo Tribunal Federal, em 12/04/2018.[94]
  • "É importante explicar por que o Jair está subindo nas pesquisas. Você sabe qual é a função básica de um governo? Se você perguntar isso para um social-democrata, ele dirá que é saúde, educação, mas não é isso. Essa pauta é recente na história, surgiu há uns 300 anos, depois da Revolução Francesa. A função básica de um governo é preservar vidas e propriedades, e surgiu 500 anos atrás, com Thomas Hobbes e depois com John Locke. É o que o Bolsonaro está dizendo, preservar vidas e propriedades. Então, o Bolsonaro está subindo porque ele significa uma expectativa de ordem sobre esta agenda que foi ignorada nos últimos 30 anos."
- Paulo Guedes, economista, ao InfoMoney em 05/2018.[157]
  • "Não acredito nas convicções liberais do Bolsonaro. Tem que olhar o histórico de votações. Não é convicção liberal. Não acredito sequer que tem compromisso com as reformas. [...] O Bolsonaro também é comprometido com as corporações. De todo o espectro ideológico, a lógica é a mesma: servir as corporações. A extrema-esquerda segue a corporação dos professores. A extrema-direita, dos militares. É a mesma coisa. Muda a embalagem."
- Flávio Rocha, empresário dono das lojas Riachuelo, em 06/06/2018, enquanto era pré-candidato a presidência da República.[158]
  • "[...] o Sr. Bolsonaro seria um presidente desastroso. Sua retórica mostra que ele não tem respeito suficiente por muitos brasileiros, incluindo gays e negros, para governar de forma justa. Há pouca evidência de que ele entende os problemas econômicos do Brasil bem o suficiente para resolvê-los. Suas genuflexões à ditadura fazem dele uma ameaça à democracia em um país onde a fé nela foi abalada pela exposição do suborno e a miséria da crise econômica."
- Artigo da revista The Economist de 09/08/2018.[159]
  • "Mas aí é uma coisa que cabe a ele responder."
- Waldirene Santos da Conceição, a Wal, então secretária parlamentar de Bolsonaro, em conversa com jornalista da Folha S.Paulo em Angra dos Reis na tarde de 13/08/2018, sobre trabalhar como vendedora na loja Wal Açaí, em Angra dos Reis, no horário de seu expediente no gabinete do deputado, em Brasília.[160]
  • "Ante a superpopulação nas prisões e o aumento da violência urbana, propõe armar a população para que mate os criminosos. E quem não está de acordo deve ser um criminoso também, insinua. Sua guerra de frases de efeito distorsem qualquer intenção de debater. Seu discurso incendiário tem permeado em seus seguidores, que têm dito que se não ganhar as eleições, se deverá a uma fraude eleitoral."
- Carol Pires, repórter do The New York Times, em 27/07/2018.[161]
  • "Eu poderia até como cidadã e como qualquer cidadão brasileiro fazer questionamentos sobre seus proventos porque o senhor é um funcionário público há 27 anos e eu, como contribuinte, ajudo a pagar o seu salário. O meu salário não diz respeito a ninguém e eu posso garantir ao senhor, como mulher, que eu jamais aceitaria receber um salário menor de um homem que exercesse as mesmas funções e atribuições que eu."
- Renata Vasconcellos, apresentadora do Jornal Nacional, durante entrevista do então candidato a presidente em 28/08/2018, após comentário dele sobre o salário da entrevistadora.[162]
  • "Renata Vasconcellos tentou apertar Bolsonaro sobre a questão da desigualdade salarial entre homem e mulher, uma pauta endossada pelo movimento feminista radical. Só há um problema: é falso que mulheres ganham menos, dada a produtividade. Quando o entrevistado puxou da cartola que o próprio William Bonner ganha mais do que a colega, gerou mal estar, mas não mentiu."
- Rodrigo Constantino, economista, em coluna na Isto É publicada em 31/08/2018, comentando sobre entrevista de Bolsonaro no Jornal Nacional.[163]
  • "[...] o candidato lembrou que o problema não é com homossexual, mas sim com a doutrinação em sala de aula, para crianças. Ao mostrar um livro aprovado pelo MEC para escolas infantis, os entrevistadores entraram em pânico e pediram para Bolsonaro não expor o material no ar. Ou seja, o público da Globo não pode ver aquilo que crianças aprendem nas escolas públicas. Outro gol do candidato."
- Rodrigo Constantino, economista, em coluna na Isto É publicada em 31/08/2018, comentando sobre entrevista de Bolsonaro no Jornal Nacional.
  • "Exageram ao dizer que Bolsonaro é uma ameaça à democracia. Tentam pintá-lo como um monstro. Quando o PT pratica chicanas jurídicas, como no episódio do desembargador Rogério Favreto, para tentar garantir a candidatura de Lula, isso não é uma ameaça? Bolsonaro não é o vilão da eleição, seus oponentes não são os mocinhos."
- Jorge Zaverucha, professor universitário e cientista político, em entrevista a Folha de S. Paulo em 9 de setembro de 2018.[164]
  • "O cerne da manifestação é uma crítica a políticas de governo, a políticas com as quais não concorda o denunciado, não chegando a extrapolar para um discurso de ódio"
- Ministro Alexandre de Moraes, em seu voto, o decisivo, no processo por crime de racismo ao qual Bolsonaro era acusado. 11/09/2018.[165]
  • "Suas declarações, principalmente as mais grosseiras e vulgares em momento algum tiveram intuito, pelo menos o intuito objetivo que se percebe, de negar o sofrimento ou ser contra, o sofrimento causado aos negros e seus descendentes pela escravidão"
- Ministro Alexandre de Moraes, em seu voto, o decisivo, no processo por crime de racismo ao qual Bolsonaro era acusado. 11/09/2018.
  • "Ou seja, declarações absolutamente desconectadas da realidade. Mas no caso em questão, na contextualidade da imunidade, não me parece que, apesar da grosseria, apesar do erro, da vulgaridade, do desconhecimento das expressões, não me parece que a conduta do denunciado tenha extrapolado os limites da liberdade de expressão qualificada e abrangida pela imunidade material. Não teria a meu ver extrapolado um verdadeiro discurso de ódio, de incitação ao racismo ou à xenofobia"
- Ministro Alexandre de Moraes, em seu voto, o decisivo, no processo por crime de racismo ao qual Bolsonaro era acusado. 11/09/2018.
  • "Dr. Duke & Tom Kawczynski celebram a saída da embaixadora (prostituta) e a fabricação por Bolsonaro da Revolução Pró-Brancos!" [...] Eles também falaram sobre a guerra civil, o Dia de Colombo e o impressionante Jair Bolsonaro, o brevemente eleito generalíssimo do Brasil.
- David Duke, supremacista branco estadunidense ex-líder da Ku Klux Klan, em 09/10/2018, na chamada para o programa de rádio em seu site.[166]
  • "Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista. Ele é totalmente um descendente europeu. Ele se parece com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França. E ele está falando sobre o desastre demográfico que existe no Brasil e a enorme criminalidade que existe ali, como por exemplo nos bairros negros do Rio de Janeiro."
- David Duke, supremacista branco estadunidense ex-líder da Ku Klux Klan, em 09/10/2018, durante seu programa de rádio.[139]

Ver também[editar]

Referências[editar]

  1. Coluna "Ponto de Vista", O salário está baixo, Revista VEJA - 03/09/1986 - Edição 939 - pág. 154
  2. O artigo em VEJA e a prisão de Bolsonaro nos anos 1980. Veja, 15/05/2017
  3. 3,0 3,1 Bolsonaro admitiu atos de indisciplina e deslealdade no Exército. Folha de S.Paulo, 15/05/2017.
  4. Bolsonaro se candidata à Câmara e quer ser representante dos militares
  5. Pôr bombas nos quartéis, um plano na Esao
  6. Pobre não sabe fazer nada, disse Bolsonaro quando era vereador no Rio, nos anos 1990. Folha de S.Paulo, 25/07/2018.
  7. Ministros decidem processar Bolsonaro
  8. 8,0 8,1 8,2 8,3 8,4 Bolsonaro defendeu esterilização de pobres para combater miséria e crime. Folha de S.Paulo, 11/06/2018.
  9. No Brasil, Bolsonaro aplaude
  10. 10,0 10,1 Bolsonaro defende ditadura e pode ser cassado
  11. Conversations/Jair Bolsonaro; A Soldier Turned Politician Wants To Give Brazil Back to Army Rule. The New York Times, 25/07/1993.
  12. Apesar do atual aceno ‘liberal’, Bolsonaro foi contra reformas e Plano Real. O Globo, 19/11/2017.
  13. 13,0 13,1 VÍDEO – Gregório Duvivier fala de Jair Bolsonaro: “olha pros seus problemas e dá resposta fácil”. Diário do Centro do Mundo, 06/07/2018
  14. Marginais rendem Bolsonaro e levam motocicleta e arma
  15. 15,0 15,1 15,2 Como o discurso de Bolsonaro mudou ao longo de 27 anos na Câmara?. BBC Brasil, 07/12/2017.
  16. Diário do Congresso Nacional. Câmara dos Deputados, 22/09/1995.
  17. Bolsonaro se opõe à extinção. Folha de S.Paulo, 17/02/1996.
  18. Gastaram muito chumbo com Lamarca. Ele deveria ter sido morto a coronhadas" - Jair Bolsonaro, deputado federal. O Globo, 06/01/2000.
  19. October 7, 2018: Brazilian Elections. HBO, 07/10/2018.
  20. Coronel Ubiratan deve perder a imunidade
  21. Comissão defende picaretas, diz deputado
  22. Bolsonaro ataca d. Paulo em plenário
  23. Violência domina protesto em Brasília. Folha de Londrina, 21/05/1998.
  24. Veja
  25. 25,0 25,1 25,2 25,3 25,4 O dia que Bolsonaro quis matar FHC, sonegar impostos e declarar guerra civil
  26. 26,0 26,1 Mesa da Câmara quer suspender Bolsonaro
  27. 27,0 27,1 "É uma esperança para a AL"
  28. 28,0 28,1 28,2 28,3 28,4 28,5 28,6 28,7 28,8 "Eu defendo a tortura"
  29. Bolsonaro elege o filho 'troglodita'. O Estado de S. Paulo, 06/10/2000
  30. Apoio de FHC à união gay causa protestos
  31. Bolsonaro dá apoio a comunista
  32. Inconveniência da indicação do Embaixador José Viegas para o cargo de Ministro da Defesa. Câmara dos Deputados, 04/12/2002.
  33. Discurso em 05/12/2002 às 09:20
  34. 34,0 34,1 34,2 Após defender legalização de paramilitares no passado, Bolsonaro agora se diz desinteressado no assunto. O Globo, 08/07/2018.
  35. Para rebater deputada, Bolsonaro diz que não a 'estupraria'. Folha de S.Paulo, 09/12/2014
  36. Discurso em 14/4/2004 às 14:00. Câmara dos Deputados, 14/04/2004.
  37. Seção "Veja essa", Revista VEJA - 20 de abril de 2005 - Edição 1901 - pág. 49
  38. [1]
  39. Vigilantes take over Rio shanty towns. BBC News, 08/03/2008
  40. http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u401933.shtml
  41. Gay de direita, Clodovil é lembrado por polêmicas no Plenário. Época. 18/06/2018
  42. Agência Brasil
  43. Estadão
  44. http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,cartaz-contra-desaparecidos-do-araguaia-irrita-deputados,378349
  45. DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. Câmara dos Deputados, 18/08/2010.
  46. Comissão vai debater declaração de Bolsonaro sobre punição a filho gay. Câmara dos Deputados, 01/12/2010.
  47. Deputado federal defende na TV agressões físicas para mudar "filho gayzinho". Folha de S.Paulo, 25/11/2010
  48. BOLSONARISTAS NEGAM HOLOCAUSTO, DESPREZAM MULHERES, INSULTAM MARIELLE E EXPÕEM ALMAS DOENTES. The Intercept, 19/09/2018.
  49. Discurso em 30/11/2010 às 14:56. Câmara dos Deputados, 30/11/2010
  50. DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. Câmara dos Deputados, 02/02/2011.
  51. DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. Câmara dos Deputados, 10/02/2011.
  52. A frente gay no paredão do Congresso. Época, 16/02/2011.
  53. 53,0 53,1 53,2 53,3 53,4 Bolsonaro diz na TV que seus filhos não 'correm risco' de namorar negras ou virar gays porque foram 'muito bem educados'
  54. 54,0 54,1 54,2 'Estou me lixando para esse pessoal', diz Bolsonaro sobre movimento gay
  55. 55,0 55,1 Bolsonaro: é isso que queremos?
  56. 56,0 56,1 56,2 56,3 Na Câmara, Bolsonaro se diz vítima de preconceito por ser heterossexual. G1, 27/04/2011.
  57. 57,0 57,1 57,2 57,3 Bolsonaro: próximo passo será legalização da pedofilia
  58. Bolsonaro e Marinor quase saem no tapa no Senado. Congresso em Foco, 12/05/2011.
  59. Deputado Bolsonaro e senadora Marinor Brito quase saem no tapa. O Globo, 12/05/2011.
  60. 60,0 60,1 60,2 'Salvei o Negão Celso, boiola, da morte'
  61. 61,0 61,1 61,2 61,3 61,4 61,5 61,6 "A minoria tem que se curvar". O Tempo, 22/05/2011.
  62. 62,0 62,1 DEPUTADO JAIR BOLSONARO FALA DA ‘PROMISCUIDADE DE PRETA GIL’ E DECLARA QUE ‘SERIA INCAPAZ DE AMAR UM FILHO HOMOSSEXUAL’ EM ENTREVISTA
  63. 63,0 63,1 63,2 63,3 63,4 Deputado Bolsonaro diz que Governo transforma gays numa classe privilegiada. Jornal de Notícias, 21/06/2011
  64. P maiúsculo
  65. 65,0 65,1 65,2 65,3 65,4 Jair Bolsonaro: "Sou preconceituoso, com muito orgulho"
  66. 7 vezes em que gays e mulheres foram alvo de Bolsonaro. Exame, 11/12/2014.
  67. Confira dez declarações polêmicas de Jair Bolsonaro
  68. Bolsonaro pede a Dilma para assumir 'se gosta de homossexual'. G1, 24/11/2011.
  69. Bolsonaro cita Clodovil e colega negro para rebater acusações de preconceito. Folha de S.Paulo, 21/05/2018.
  70. Veja 10 frases polêmicas de Bolsonaro que o deputado considerou 'brincadeira'
  71. 71,0 71,1 71,2 71,3 A entrevista mais sincera de Bolsonaro revela zoofilia, violência contra mulher e frisa homofobia
  72. 72,0 72,1 A VERDADE É DURA: QUEM FICA EM CIMA DO MURO CONSENTE COM AS IDEIAS NAZIFASCISTAS DO BOLSONARISMO. The Intercept, 26/09/2018.
  73. "Preconceituoso com orgulho", Jair Bolsonaro abre o jogo no Brasil em Discussão. Record News, 15/05/2012.
  74. Parada gay: Jair Bolsonaro afirma que Estado promove 'conduta que a sociedade não concorda'. The Christian Post, 13/06/2012.
  75. Revista Veja
  76. Pragmatismo Político
  77. 77,0 77,1 77,2 Bolsonaro coleciona polêmicas, insultos e representações arquivadas. Último Segundo, 16/12/2014.
  78. Bolsonaro ataca ministra e diz que Dilma não tem compromisso com família. Terra, 27/03/2013.
  79. 79,0 79,1 79,2 79,3 79,4 Bolsonaro sobre casamento gay: 'não querem igualdade, e sim privilégios'. Terra, 16/05/2013.
  80. [youtube:4X0RG6DE114 Deputado Jair Bolsonaro falando sobre Homosexualismo]. Canal TWTV, 05/06/2013.
  81. 'Parlamentar não deve andar de ônibus', diz deputado Jair Bolsonaro IG
  82. 82,0 82,1 Stephen Fry sobre Bolsonaro: "Suas mentiras criam histeria entre os ignorantes"
  83. 83,0 83,1 83,2 83,3 83,4 Jair Bolsonaro provoca polêmica em documentário do ator Stephen Fry sobre homofobia. Veja SP, 23/10/2013
  84. Militantes fazem beijo gay na Câmara e discutem com Jair Bolsonaro. Estadão, 11/02/2014.
  85. 85,0 85,1 85,2 85,3 85,4 85,5 “Os gays não são semideuses. A maioria é fruto do consumo de drogas” El País, 14/02/2014.
  86. Câmara suspende sessão sobre golpe militar após tumulto no plenário
  87. Jair Bolsonaro se irrita e chama jornalista de “analfabeta” e “idiota”; assista
  88. 'Índio é pobre coitado e vive em zoológicos milionários', diz Bolsonaro
  89. Bolsonaro ofende ministra: “Com aquela cara, nem com Viagra na veia”. Revista Fórum, 09/05/2014.
  90. 90,0 90,1 90,2 "Se eu não for candidato, quero ser vice de Aécio", diz Jair Bolsonaro. InfoMoney, 22/05/2014.
  91. Bolsonaro diz que não teme processos e faz nova ofensa: "Não merece ser estuprada porque é muito feia"
  92. Em entrevista, Bolsonaro fala sobre diferença salarial entre homens e mulheres. GaúchaZH, 04/08/2018.
  93. 93,0 93,1 93,2 93,3 THE MOST MISOGYNISTIC, HATEFUL ELECTED OFFICIAL IN THE DEMOCRATIC WORLD: BRAZIL’S JAIR BOLSONARO. The Intercept, 11/12/2014.
  94. 94,00 94,01 94,02 94,03 94,04 94,05 94,06 94,07 94,08 94,09 94,10 94,11 94,12 94,13 Parecer Nº N.º 542/2018 - SFPO/STF. Ministério Público Federal, 12/04/2018
  95. Jair Bolsonaro esclarece polêmicas no SuperPop. RedeTV!, 13/04/2014.
  96. 96,0 96,1 Ouça entrevista em que Bolsonaro chama refugiados de “escória” e sugere infarto a Dilma. Jornal Opção, 21/09/2015.
  97. A cobra da extrema direita e o encontro do filho de Míriam Leitão com Bolsonaro. Por Kiko Nogueira. Diário do Centro do Mundo, 16/07/2018.
  98. Bolsonaro diz que não pagaria a mulheres o mesmo salário dos homens
  99. 99,0 99,1 Bolsonaro diz não acreditar que desigualdade salarial exista
  100. 100,0 100,1 100,2 100,3 "Você foge a normalidade", diz Jair Bolsonaro a Ellen Page O Povo, 11/03/2016
  101. Jair Bolsonaro: "É o muro do Hitler"
  102. 'Enquanto me dava choques, Ustra me batia com cipó e gritava', diz torturado aos 19 anos
  103. 103,0 103,1 Meet Brazil's Donald Trump: He's Deliberately Outrageous and He Wants to Be President
  104. No WhatsApp, Bolsonaro diz que não irá visitar filho na Papuda. Veja, 09/02/2017.
  105. 105,0 105,1 Bolsonaro defende porte de arma para todos e fuzil contra o MST. Jornal da Paraíba, 08/02/2017.]
  106. 106,00 106,01 106,02 106,03 106,04 106,05 106,06 106,07 106,08 106,09 106,10 Sem tiro de advertência: primeiro na testa’. Estadão, 02/04/2017.
  107. Bolsonaro diz que, no Exército, sua 'especialidade é matar'
  108. ID do vídeo no YouTube: CfvkWHHC9jQ. HBO Brasil, 04/08/2017.
  109. Bolsonaro visita Festa do Peão e critica Bolsa Família e legislação ambiental. Folha de S.Paulo, 26/08/2017.
  110. 110,0 110,1 Se não houver fraude, estarei no 2° turno, diz Bolsonaro. Folha de S.Paulo, 20/11/2017.
  111. 'Quanto mais as facções criminosas se matarem, melhor', diz Bolsonaro em Manaus. A Crítica, 14/12/2017.
  112. 'Tem que pegar o meu patrimônio. Esquece meus filhos', diz Bolsonaro
  113. [youtube:Fh0cVPs015k Pânico - 05/02/18]
  114. [youtube:Fh0cVPs015k Pânico - 05/02/18]
  115. Bolsonaro 'homenageia' as mulheres em visita a Minas
  116. Mais uma pérola de Bolsonaro: leite de ornitorrinco da Amazônia
  117. Bolsonaro: 'Lula quis transformar Brasil num galinheiro, agora colhe ovos por onde passa'. Estadão, 28/03/2018.
  118. Bolsonaro diz que tiros partiram dos próprios petistas. Estadão, 29/03/2018.
  119. 'O meu plano de governo será o pior de todos', diz Bolsonaro. Estado de Minas, 10/05/2018.
  120. Bolsonaro compara execuções do regime militar a 'tapa no bumbum do filho'. Correio Braziliense, 11/05/2018.
  121. 'Suicídio acontece, pessoal pratica', diz Bolsonaro ao se referir a Herzog. Folha, 07/07/2018
  122. 122,0 122,1 Bolsonaro diz que homicídios merecem 'bala' e não a lei. O Globo, 12/07/2018.
  123. 123,0 123,1 Bolsonaro defende PM por massacre em Carajás. Estadão, 14/07/2018.
  124. Bolsonaros votaram lei que permite contratação de presos. BR18, 25/07/2018.
  125. Bolsonaro sobre ditadura: ‘Ferida que precisa ser cicatrizada, esquece’. Poder360, 31/07/2018.
  126. Em Vitória, Bolsonaro ataca FHC e faz piada com cearense em discurso. Tribuna Online, 02/08/2018.
  127. Ao desviar-se de polêmica de vice, Bolsonaro tropeça no dicionário. Veja, 07/08/2018.
  128. Bolsonaro diz que filhos atiram com munição desde os 5 anos e critica ECA. UOL, 23/08/2018.
  129. 'Você sabe atirar?', pergunta Bolsonaro a uma criança. Terra, 23/08/2018
  130. Jair Bolsonaro Loves Trump, Hates Gay People and Admires Autocrats. He Could Be Brazil's Next President. Time, 23/08/2018.
  131. Em dia de análise de denúncia, Bolsonaro manda recado ao STF: 'sou inviolável'. G1, 28/08/2018.
  132. Em dia de julgamento sobre racismo, Bolsonaro faz críticas ao STF. Jornal do Commercio, 28/08/2018.
  133. STF dá a Bolsonaro 10 dias para explicar declaração sobre 'fuzilar a petralhada'. G1, 06/09/2018.
  134. Bolsonaro rebate Mourão: quem critica 13º ofende quem trabalha e 'confessa desconhecer a Constituição'. O Dia, 27/09/2018.
  135. Organizações repudiam fala de Bolsonaro contra ativismos. Valor, 12/10/2018.
  136. Bolsonaro comenta morte de capoeirista na Bahia: 'Lamento, um excesso’. G1, 10/10/2018.
  137. Em campanha polarizada, país registra agressões ligadas à discussão eleitoral. Folha de S.Paulo, 11/10/2018.
  138. Em ato falho, Bolsonaro diz que é “vítima daquilo que prega”. Exame, 11/10/2018.
  139. 139,0 139,1 'Ele soa como nós': David Duke, ex-líder da Ku Klux Klan, elogia Bolsonaro, mas critica proximidade com Israel. BBC Brasil, 16/10/2018.
  140. Frases. Folha de S. Paulo, 07/05/1992.
  141. 141,0 141,1 CASTRO, Celso; D'ARAUJO, Maria Celina. Ernesto Geisel. Rio de Janeiro: FGV, 1997 in NOGUEIRA, Kiko. Nem Geisel suportava Bolsonaro: um “mau militar”, “completamente fora do normal”. Diário do Centro do Mundo. 12/10/2018.
  142. Bolsonaro, que é contra as cotas, propõe reserva de vagas para deputados negros. Agência Brasil, 01/07/2006
  143. A nova imoralidade de Bolsonaro. IstoÉ, 2011.
  144. Homophobe, misogyne, raciste… Jair Bolsonaro, le député brésilien qui ose tout. Le Monde, 12/12/2014.
  145. Bolsonaro ameaça a democracia e defende crime hediondo
  146. 146,0 146,1 Bolsonaro, o meme de si mesmo. Época, 21/04/2016.
  147. With Rousseff on the ropes, Brazil's far right sees an opening
  148. Amado Batista declara apoio a Jair Bolsonaro como presidente em 2018. O Povo, 01/02/2017.
  149. Repórter chamada de "idiota" por Bolsonaro em 2014 desistiu de processo: "não tive respaldo". UOL, 26/05/2017
  150. Ideólogo de Bolsonaro, Olavo de Carvalho critica nova direita. Folha de S. Paulo, 10/10/2017
  151. Brazil's Donald Trump?. US News, 20/10/2017
  152. Jair Bolsonaro: um "mito" que atrai amores e rancores na política. Gazeta Online, 06/11/2017.
  153. Jair Bolsonaro, o candidato que assusta o Brasil. Sábado, 03/02/2018.
  154. Jornalista compara ascensão de Bolsonaro à de Hitler. Deutsche Welle, 13/01/2018.
  155. Para se eleger, Bolsonaro conta com leite do ornitorrinco e voto das antas
  156. 'A gente, infelizmente, contribuiu', diz Monica Iozzi sobre popularidade de Bolsonaro. Estadão, 04/04/2018.
  157. ENTREVISTA: Alckmin é “irrelevante” e centro terá que escolher quem apoiará no 2º turno, diz Paulo Guedes. InfoMoney, 24/05/2018.
  158. Cotado para ministério, Flavio Rocha já questionou liberalismo de Bolsonaro. Poder360, 13/08/2018.
  159. The danger posed by Jair Bolsonaro. The Economist, 10/08/2018.
  160. Assessora fantasma de Bolsonaro continua vendendo açaí em horário de expediente. Folha de S.Paulo, 13/08/2018.
  161. Jair Bolsonaro pone en riesgo la democracia en Brasil. The New York Times, em 27/07/2018.
  162. Globo se pronuncia após embate entre Bolsonaro e Renata Vasconcellos no Jornal Nacional. Yahoo Notícias, 31/08/2018.
  163. Jornalismo Lacrador. Isto É, 31/08/2018.
  164. Bolsonaro não é o vilão da eleição, diz cientista político. Folha de S. Paulo, 09/09/2018.
  165. STF rejeita denúncia de racismo contra Jair Bolsonaro. G1, 11/09/2018.
  166. Dr Duke & Tom Kawczynski Celebrate the Exit of Ambassad(whore) Nikki Haley and Brazil’s Bolsonaro Brewing of Pro-White Revolution!. DavidDuke.com, 09/10/2018.