Emílio Garrastazu Médici

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emílio Garrastazu Médici
Emílio Garrastazu Médici
Emílio Garrastazu Médici em outros projetos:

Emílio Garrastazu Médici, também conhecido como Médici; (4 de dezembro de 1904 - 9 de outubro de 1985), foi um político e presidente de Brasil de 1969 a 1974.


  • "O Brasil vai bem, mas o povo vai mal."
- Entrevista com Tarcísio Meirelles Padilha, Rio de Janeiro, 15 de julho de 1994, citado em "Diálogos na sombra: bispos e militares, tortura e justiça social na ditadura" - páginas 97 c/c 507, Ken Serbin, Editora Companhia das Letras, 2001, ISBN 8535901868, 9788535901863, 566 páginas
  • "A economia vai bem, mas o povo vai mal"
- Revista Visão - página 47, 1974
  • "Sinto-me feliz todas as noites quando assisto o noticiário. Porque, no noticiário da Globo, o mundo está um caos, mas o Brasil está em paz."
  • "Sinto-me feliz todas as noites quando ligo a televisão para assistir ao jornal. Enquanto as notícias dão conta de greves, agitações, atentados e conflitos em várias partes do mundo, o Brasil marcha em paz, rumo ao desenvolvimento. É como se eu tomasse um tranqüilizante após um dia de trabalho."
  • "A eleição direta é uma piada."
- No ano da campanha das Diretas Já (Veja de 26/12/84).
- Fonte: Do bestial ao genial: frases da política - Página 17 - de Paulo Buchsbaum e André Buchsbaum - Editora Ediouro Publicações, 2006, ISBN 850002075X, 9788500020759

Sobre[editar]

  • "Em 1970, no auge da ditadura militar, em que o presidente Médici andava perseguindo os meus companheiros do PT, nós vivemos o maior boom de empregos da história desse país, a um crescimento de 10% ao ano"
- Lula, 08/2002
- Lula elogia governo Médici, Folha de S. Paulo 30/08/2002
  • "(...) É com muito orgulho que de vez em quando as pessoas falam “Lula defende ... elogia o governo Geisel, elogia o não sei das quantas. Pois eu agora – veja a contradição, Requião – um dos presidentes que permitiu que a gente vivesse um momento político mais crítico da historia do país, o presidente Médici, foi o homem que assinou a Embrapa e foi o homem que assinou Itaipu. (...) Os outros gestos que as pessoas fizeram que permitiram que o Brasil encontrasse seu rumo. Cada um de nós será julgado um dia. Cada um de nós será julgado por aquilo que fizemos e pelo que deixamos de fazer"
Lula, comemoração dos 35 anos da Embrapa, abril de 2008.
- Fonte:Lula, ser E não ser, Carta Maior, 15/05/2013