Leonel Brizola

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Leonel Brizola
Leonel Brizola
Leonel Brizola em outros projetos:

Leonel Brizola (22 de janeiro de 1922 - 21 de junho de 2004), foi político brasileiro; entre outras funções, presidente do PDT (Partido Democrático Trabalhista).


  • "A educação é o único caminho para emancipar o homem. Desenvolvimento sem educação é criação de riquezas apenas para alguns privilegiados."
- Brizola em conferência da UNE, no RJ, em 16 de junho de 1961.
- Fonte: Brizola. Página 32. Marcus Cunha e Jesus Pereira. Edição dos autores. Pelotas, 1989.
  • "Nós defendemos com unhas e dentes o direito à propriedade, porque achamos uma coisa ão boa que queremos estendê-la para todos os brasileiros."
- Durante palestra no 5° Congresso Internacional de Urbanismo.
- Fonte: Brizola. Página 32. Marcus Cunha e Jesus Pereira. Edição dos autores. Pelotas, 1989.
  • "Ele tinha prisão de ventre política."
- Comentando a saída de Jaime Lerner do partido.
- Fonte: Revista Veja
  • "Tu me emprestaste as tuas calcinhas e eu saí com elas."
- Ao responder a uma jornalista que tinha perguntado como Brizola tinha fugido para o exílio, no golpe de 64 (Revista Imprensa de maio de 2003).
- Fonte: Do bestial ao genial: frases da política - Página 18 - de Paulo Buchsbaum e André Buchsbaum - Editora Ediouro Publicações, 2006, ISBN 850002075X, 9788500020759
  • "Há um ambiente favorável a um Juscelino 2."
- Leonel Brizola, presidente do PDT, depois da reunião com o governador mineiro Itamar Franco, sem dizer qual dos dois será o novo Nonô
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 678 - 6 de dezembro de 2000.
  • "Eu vou arrebentar o alambrado."
- Leonel Brizola, candidato do PDT à prefeitura do Rio, rachando os cascos ao ultrapassar Benedita da Silva, do PT, nas pesquisas
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 664 - 30/8/2000
  • "Esses pastores querem é estação de rádio e dinheiro. São adoradores dos bezerros de ouro."
- Leonel Brizola, candidato do PDT à prefeitura do Rio, atacando líderes evangélicos
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 663 - 23/8/2000
  • "O PT é como uma galinha que cacareja para a esquerda, mas põe os ovos para a direita."
- Leonel Brizola, candidato do PDT à prefeitura do Rio
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 659 - 26/7/2000
  • "Vai ser a concorrência do Diabo com o Demônio, e o vencedor será o Inferno."
- Leonel Brizola, candidato do PDT à prefeitura do Rio, sobre a necessidade de união das esquerdas contra os candidatos Luiz Paulo Conde (PFL) e Cesar Maia (PTB)
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 656 - 5/7/2000
  • "O Rio tem de fazer uma espécie de Revolução de 30, sem armas: vamos derrubar o regime neoliberal para o Rio resolver seus problemas."
- Leonel Brizola, num surto utópico-nacionalista, ao se lançar candidato a prefeito do Rio de Janeiro
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 654 - 21/6/2000
  • "Já tinha de enfrentar o César, agora ainda vou ter de enfrentar o Brutus?"
- Leonel Brizola, pré-candidato a prefeito do Rio (PDT), referindo-se ao concorrente do PTB, Cesar Maia, e à sua cria política, Anthony Garotinho, que estaria trabalhando por sua derrota nas urnas
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 653 -14/6/2000
  • "O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo"
- Refrão usado por Brizola e pela população revoltada com o escândalo da Proconsult, nas eleições de 1982, onde a Rede Globo e a Rádio Globo tentavam plantar na mente da população a idéia de que Moreira Franco seria o vitorioso

Sobre Anthony Garotinho[editar]

- Leonel Brizola, presidente nacional do PDT, criticando o governador fluminense
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 676 - 22 de novembro de 2000
- Leonel Brizola, presidente nacional do PDT, lembrando que os candidatos apoiados pelo governador fluminense perderam na região metropolitana do Rio
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 674 - 8/11/2000
  • "Garotinho é um animador de auditório. É ou não é? Ééééé..."
- Leonel Brizola, imitando Silvio Santos para criticar o governador fluminense, Anthony Garotinho
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 670 - 11/10/2000
  • "O Garotinho é que nem perereca, vai para lá e para cá."
- Leonel Brizola, candidato do PDT à prefeitura do Rio, criticando o governador, eleito pelo seu partido
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 667 - 20/9/2000

Atribuídas[editar]

  • "Nossos caminhos são pacíficos, nossos métodos democráticos, mas se nos intentam impedir só Deus sabe nossa obstinação."
- citado por José Dilson em requerimento de 24/06/2004 na Assembléia Legislativa de São Paulo, em manifestação de pesar pelo falecimento, em 21/06/2004, de Leonel Brizola
  • "Venho e volto do campo e os bois são os mesmos: não mudam de caráter. Já os homens..."
- em 2003, como citado em "Do bestial ao genial: frases da política" - Página 99, Paulo Buchsbaum, André Buchsbaum - Ediouro Publicações, 2006, ISBN 850002075X, 9788500020759 - 294 páginas
  • "Essa reforma ministerial é um balaio de caranguejos. Uns caranguejos entrando, outros saindo."
- como citado em Revista Veja, edição 28.01.04
  • "Estou pensando em criar um vergonhódromo para políticos sem-vergonha, que, ao verem a chance de chegar ao poder, esquecem os compromissos com o povo."
- como citado em "Do bestial ao genial: frases da política" - Página 55, Paulo Buchsbaum, André Buchsbaum - Ediouro Publicações, 2006, ISBN 850002075X, 9788500020759 - 294 páginas
  • "Nós queremos um regime que não seja apenas da raposa, queremos um regime da raposa e da galinha, onde existam espaços para os dois."
- como citado em "Do bestial ao genial: frases da política" - Página 112, Paulo Buchsbaum, André Buchsbaum - Ediouro Publicações, 2006, ISBN 850002075X, 9788500020759 - 294 páginas
- em agosto de 1998, como citado no artigo "O gaúcho de sete fôlegos" em Revista Veja, edição 1646, 26/04/2000
  • "Não seria fascinante fazer essa elite engolir o Lula, esse sapo barbudo."
- em 1989, citado em "O Brasil vai às urnas: retrato da campanha presidencial" - página 152, Antonio de Padua Gurgel, David V. Fleischer, Editora Thesaurus, 1990, 159 páginas
  • "Demagogia! Não passa de demagogia! Puxando o saco do sr. Silvio Santos aqui na televisão."
- Em resposta a Paulo Maluf, em 12 de novembro de 1989, no debate dos presidenciáveis no SBT. Maluf havia dito que Silvio Santos, que teve a candidatura impugnada, participaria de seu governo.
- citado em Estado, de 13/08/2006

Sobre[editar]

  • "Desequilibrado! Desequilibrado! Pena que é um desequilibrado! Passou quinze anos no estrangeiro e não aprendeu nada, e o pior é que esqueceu nada."
- Paulo Maluf se referindo a Brizola no debate da TV Bandeirantes, na corrida presidencial de 1.989
  • "Um, dois, três, Brizola no xadrez! Se tiver lugar, põe também o João Goulart!"[1]
-Palavra de ordem na Marcha da Família com Deus pela Liberdade, 1964
  • "As Organizações Globo me pertencem assim como, reciprocamente, eu pertenço às Organizações Globo Por elas trabalhei e trabalho em cada instante de minha vigília há 65 anos. ( ... ) E é nestas condições que me dirijo ao companheiro Lula para dizer-lhe: Não caia na tentação de repetir a cantilena demagógica de Leonel Brizola. Ele é um fazendeiro que investe no estrangeiro seus bens, cuja origem não é conhecida. Do meu trabalho resultam empreendimentos que geram empregos para dezenas de milhares de brasileiros. Do dele, provavelmente, meia dúzia de peões uruguaios, cujo salário tenho alguma curiosidade de conhecer. Ele é um homem próspero, mas por onde passou no governo do Estado do Rio de Janeiro deixou um rastro de destruição física e moral. Não o copie, companheiro Lula. Julgue por si e como alguém que reconhece o valor do trabalho".
-Roberto Marinho em carta ao então candidato a presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva sobre Leonel Brizola que o criticava duramente em seu horário político em 1989. Jornal do Brasil 19/12/1989
  • Eu tinha uma relação muito boa e uma admiração muito grande pelo Brizola.
- Rodrigo Maia, em entrevista a Andreia Sadi, da GloboNews — 15 de março de 2019

Referências

  1. FALÇÃO, João. Giocondo Dias, A Vida de um Revolucionário. (meio século de história política do Brasil) - página 232. Rio de Janeiro: Agir, 1993. ISBN: 85-220-0359-9 (Google Books)