Arthur Schopenhauer

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arthur Schopenhauer
Arthur Schopenhauer
Arthur Schopenhauer em outros projetos:

Arthur Schopenhauer. Nasceu em Danzig (na época uma cidade livre do báltico) em 22 de Fevereiro de 1788, morreu em Frankfurt em 21 de Setembro de 1860. Filósofo alemão do século XIX.


  • "As religiões são como vaga-lumes: para brilhar precisam das trevas."
- Die Religionen sind wie die Leuchtwürmer; sie bedürfen der Dunkelheit, um zu leuchten.
- Parerga und Paralipomena: kleine philosophische Schriften - Volume 2 - Página 369, Arthur Schopenhauer, Julius Frauenstädt - 1862
  • "A riqueza influencia-nos como a água do mar. Quanto mais bebemos, mais sede temos".
- Der Reichthum gleicht dem Seewasser: je mehr man davon trinkt, desto durstiger wird man.
- Parerga und Paralipomena: kleine philosophische Schriften, Volume 1‎ - Página 366, Arthur Schopenhauer, Julius Frauenstädt - Hayn, 1862 - 530 páginas
  • "Quanto mais claro é o conhecimento do homem – quanto mais inteligente ele é – mais sofrimento ele tem; o homem que é dotado de gênio sofre mais do que todos."
- the more distinctly a man knows, the more intelligent he is, the more pain he has ; the man who is gifted with genius suffers most of all.
- The works of Schopenhauer, abridged - página 196, Arthur Schopenhauer, Will Durant - Simon and Schuster, 1928 - 539 páginas
  • "Toda criança é, de certo modo, um gênio. E todo gênio é, de certo modo, uma criança."
- Fonte: Fonte: Zero Hora - ANO 49 - N° 17.151 - Almanaque Gaúcho/ Por Ricardo Chaves - Postado - Frase do dia: Schopenhauer/ por Luís Bissigo - 21 de setembro de 2012

O Mundo como Vontade e Como Representação[editar]

  • "O mundo é minha representação."
  • "O homem é um animal metafísico."
  • "Entre os desejos e as realizações destes transcorre toda a vida humana."
  • "As causas não determinam o carácter da pessoa, mas apenas a manifestação desse carácter, ou seja, as ações."
  • "O que é a modéstia senão uma humildade hipócrita por meio da qual, num mundo infestado de vil inveja, um homem procura implorar perdão por suas virtudes e seus méritos àqueles que não têm nenhum ? Pois quem não se atribui nenhum mérito porque não tem nenhum não é modesto, mas meramente honesto."
    • Vol. I, Cap. III, O Mundo como Representação (Segundo Aspecto)
  • "A felicidade não passa de um sonho, e a dor é real... Há oitenta anos que o sinto. Quanto a isso, não posso fazer outra coisa senão me resignar, e dizer que as moscas nasceram para serem comidas pelas aranhas e os homens para serem devorados pelo pesar."
  • "A honra não se ganha; só se perde."
  • "Na verdade, só existe prazer no uso e no sentimento das próprias forças, e a maior dor é a reconhecida falta de forças onde elas seriam necessárias."
  • "A morte é propriamente o gênio inspirar, ou a musa da filosofia, e por isso Sócrates a definiu como "preparação para a morte". Sem a morte, seria mesmo difícil que se tivesse filosofado."
  • "Hegel, destruidor de papel, de tempo e de mentes! Na Alemanha, Hegel, um charlatão repugnante, estúpido e escrevinhador de disparates sem igual, conseguiu ser aclamado como o maior filósofo de todos os tempos (...) Enquanto outros sofistas, charlatães e obscurantistas falsificam e arruínam apenas o conhecimento, Hegel destruiu até mesmo o órgão do conhecimento, a própria inteligência."
  • "decepção contínua e desilusão, bem como a natureza geral da vida, apresentam-se como previsto e calculado para despertar a convicção de que nada vale nossos esforços, nossos esforços e nossas lutas, que todas as coisas boas estão vazias e fugazes, que o mundo em todos os lados está falido, e que a vida é um negócio que não cobre os custos..."
- that continual deception and disillusionment, as well as the general nature of life, present themselves as intended and calculated to awaken the conviction that nothing whatever is worth our exertions, our efforts, and our struggles, that all good things are empty and fleeting, that the world on all sides is bankrupt, and that life is a business that does not cover the costs…
- The world as will and representation, Volume 2 - página 574, Arthur Schopenhauer, Dover Publications, 1969

Parerga e Paralipomena[editar]

  • "Como Diderot já disse, em "O Sobrinho de Rameau", a pessoa que ensina a ciência não é a mesma que entende dela e a realiza com seriedade, pois a esta não sobra tempo para ensinar."
  • "Só se dedicará a um assunto com toda a seriedade alguém que esteja envolvido de modo imediato e que se ocupe dele com amor. É sempre de tais pessoas, e não dos assalariados, que vêm as grandes descobertas."
  • "(...) tudo o que se realiza em função de outra coisa é feito apenas de maneira parcial, e a verdadeira excelência só pode ser alcançada, em obras de todos os gêneros, quando elas foram produzidas em função de si mesmas e não como meios para fins ulteriores."
  • "Um bom cozinheiro pode dar gosto até a uma velha sola de sapato; da mesma maneira, um bom escritor pode tornar interessante mesmo o assunto mais árido."
  • "Diante da imponente erudição de tais sabições, às vezes digo para mim mesmo: ah, essa pessoa deve ter pensado muito pouco para poder ter lido tanto! Até mesmo quando se relata, a respeito de Plínio, o Velho, que ele lia sem parar ou mandava que lesse para ele, seja à mesa, em viagens ou no banheiro, sinto a necessidade de me perguntar se o homem tinha tanta falta de pensamentos próprios que era preciso um afluxo contínuo de pensamentos alheios, como é preciso dar a quem sofre de tuberculose um caldo para manter sua vida."
  • "Em geral, estudantes e estudiosos de todos os tipos e de qualquer idade têm em mira apenas a 'informação', não a 'instrução'. Sua honra é baseada no fato de terem informações sobre tudo, sobre todas as pedras, ou plantas, ou batalhas, ou experiências, sobre o resumo e o conjunto de todos os livros. Não ocorre a eles que a informação é um mero 'meio' para instrução, tendo pouco ou nenhum valor por si mesma, no entanto é uma maneira de pensar que caracteriza uma cabeça filosófica."
  • "Quando observamos a quantidade e a variedade dos estabelecimentos de ensino e de aprendizado, assim como o grande número de alunos e professores, é possível acreditar que a espécie humana dá muita importância à instrução e à verdade."
  • "Os professores ensinam para ganhar dinheiro e não se esforçam pela sabedoria, mas pelo crédito que ganham dando a impressão de possuí-la. E os alunos não aprendem para ganhar conhecimento e se instruir, mas para poder tagarelar e ganhar ares de importante."
  • "Há pessoas, de fato muitas, que se riem disso [das queixas a respeito da poluição sonora], porque são insensíveis ao barulho - são, contudo, justamente aquelas que também são insensíveis a razões, a pensamentos, a poesias e a obras de arte, em suma: em relação a qualquer tipo de estímulos ao espírito. Isso é devido à dura constituição e à textura maciça de sua massa cerebral."
- Sobre barulho e ruído
  • "Os primeiros quarenta anos de vida nos dão o texto; os trinta seguintes, o comentário."
- die ersten vierzig Jahre unsers Lebens liefern den Text, die folgenden dreißig den Kommentar dazu
- Parerga und Paralipomena: kleine philosophische Schriften: Volume 1 - Página 523, Arthur Schopenhauer, Julius Frauenstädt - A. W. Hahn, 1862
- Ich nehme den Begriff der Lebensweisheit hier gänzlich im immanenten Sinne, nämlich in dem der Kunst, das Leben möglichst angenehm und glücklich durchzuführen
- Parerga und Paralipomena: kleine philosophische Schriften: Volume 1 - Página 299, Arthur Schopenhauer - A.W. Hayn, 1851
  • "A glória é tanto mais tardia quanto mais duradoura há de ser, porque todo fruto delicioso amadurece lentamente."
- In der Regel wird sogar der Ruhm, je länger er zu dauern hat, desto später eintreten; wie ja alles Vorzügliche langsam heranreift.
- Parerga und Paralipomena: kleine philosophische Schriften - Página 374, Arthur Schopenhauer - A.W. Hahn, 1851

Aforismos para a sabedoria de vida[editar]

Aforismos para a sabedoria de vida, Arthur Schopenhauer; Tradução, prefácio e notas de Jair Barbosa; Revisão da tradução de Karina Jennini - São Paulo: Martins Fontes, 2002.

  • "A virtude da modéstia é, decerto, uma invenção considerável para velhacos, pois, em conformidade com ela, cada um tem de falar de si mesmo como se fosse um deles."
- Página 71 (Cap. 4)
  • "Pois, assim como a escuridão nos torna temerosos e nos faz ver figuras apavorantes por toda parte, assim também a falta de clareza dos pensamentos provoca um efeito análogo, já que toda incerteza gera insegurança."
- Página 184 (Cap. 5)

Dores do Mundo[editar]

Dores do Mundo, Arthur Schopenhauer; Tradução de José Souza de Oliveira - São Paulo: Edigraf, 1960.

  • "O mundo é o inferno, e os homens dividem-se em almas atormentadas e em diabos atormentadores."
- Página 8
  • "Devemos considerar a vida como uma mentira contínua, tanto nas coisas pequenas como nas grandes. Prometeu? Não cumpre a promessa, a não ser para mostrar quanto o desejo era pouco desejável: tão depressa é a esperança que nos ilude, como a coisa com que contávamos. — Se nos deu, foi só para nos tornar a tirar. A magia da distância apresenta-nos paraísos que desaparecem como visões logo que nos deixamos seduzir."
- Página 11
  • "A vida do Homem oscila, como uma pêndula, entre a dor e o tédio, tais são na realidade os seus dois últimos elementos. Os homens tiveram que exprimir esta ideia de um modo singular; depois de haverem feito do inferno o lugar de todos os tormentos e de todos os sofrimentos, que ficou para o céu? Justamente o aborrecimento."
- Página 12
  • "A morte é a solução dolorosa do laço formado pela geração com voluptuosidade, é a destruição violenta do erro fundamental do nosso ser; o grande desengano."
- Página 36
  • "A música não exprime nunca o fenômeno, mas unicamente a essência íntima de todo o fenômeno, numa palavra a própria vontade. Portanto não exprime uma alegria especial ou definida, certas tristezas, certa dor, o medo, os transportes, o prazer, a serenidade do espírito; exprime-lhes a essência abstrata e a geral, fora de qualquer motivo ou circunstância. E todavia nessa quinta essência abstrata, sabemos compreendê-la perfeitamente."
- Página 40
  • "Quando ouço música, a minha imaginação compraz-se muitas vezes com o pensamento de que a vida de todos os homens e a minha própria vida não são mais do que sonhos de um espírito eterno, bons e maus sonhos, de que cada morte é o despertar."
- Página 41

A Arte de Insultar[editar]

A arte de insultar, Arthur Schopenhauer; Organização e ensaio de Franco Volpi; Tradução de Eduardo Brandão (italiano) e Karina Jannini (alemão) - São Paulo: Martins Fontes, 2003.

- Página 14
  • "Trata-se de uma ilusão voluptuosa aquela que faz o homem crer que encontrará prazer maior nos braços de uma mulher, cuja beleza corresponde aos seus anseios, do que nos braços de outra, ou até mesmo aquela que o convence firmemente — se endereçada exclusivamente a um único indivíduo — de que possuir tal mulher lhe proporcionará uma felicidade efusiva."
- Página 14
  • "Uma prova grandiosa da subjetividade deplorável dos homens, em decorrência da qual eles referem tudo a si mesmos e de todo pensamento retrocedem imediata e diretamente a si, nos é fornecida pela astrologia, que relaciona o curso dos grandes corpos celestes ao indivíduo mesquinho, bem como os cometas no céu às querelas e trapaças terrenas."
- Página 18
  • "O motor principal e fundamental no homem, bem como nos animais, é o egoísmo, ou seja, o impulso à existência e ao bem-estar. [...] Na verdade, tanto nos animais quanto nos seres humanos, o egoísmo chega a ser idêntico, pois em ambos une-se perfeitamente ao seu âmago e à sua essência. Desse modo, todas as ações dos homens e dos animais surgem, em regra, do egoísmo, e a ele também se atribui sempre a tentativa de explicar uma determinada ação. Nas suas ações baseia-se também, em geral, o cálculo de todos os meios pelos quais procura-se dirigir os seres humanos a um objetivo. Por natureza, o egoísmo é ilimitado: o homem quer conservar a sua existência utilizando qualquer meio ao seu alcance, quer ficar totalmente livre das dores que também incluem a falta e a privação, quer a maior quantidade possível de bem-estar e todo o prazer de que for capaz, e chega até mesmo a tentar desenvolver em si mesmo, quando possível, novas capacidades de deleite. Tudo o que se opõe ao ímpeto do seu egoísmo provoca o seu mau humor, a sua ira e o seu ódio: ele tentará aniquilá-lo como a um inimigo. Quer possivelmente desfrutar de tudo e possuir tudo; mas, como isso é impossível, quer, pelo menos, dominar tudo: "Tudo para mim e nada para os outros" é o seu lema. O egoísmo é gigantesco: ele rege o mundo."
- Página 51
  • "Como símbolo da ousadia e da impertinência, dever-se-ia escolher a mosca. Pois, enquanto todos os animais temem o homem mais do que tudo e voam antes mesmo que este se aproxime, a mosca pousa em seu nariz."
- Página 69
  • "A vida é como uma bola de sabão, que conservamos e sopramos tanto quanto for possível, porém com a firme certeza de que ela irá estourar."
- Página 92

A Arte de Escrever[editar]

A Arte de Escrever, Arthur Schopenhauer; Organização, tradução, prefácio e notas de Pedro Süssekind - Porto Alegre: L&PM, 2009.

  • "O saber humano se espalha para todos os lados, a perder de vista, de modo que nenhum indivíduo pode saber sequer a milésima parte daquilo que é digno de ser sabido."
- Página 30
  • "A mais rica biblioteca, quando desorganizada, não é tão proveitosa quanto uma bastante modesta, mas bem ordenada. Da mesma maneira, uma grande quantidade de conhecimentos, quando não foi elaborada por um pensamento próprio, tem muito menos valor do que uma quantidade bem mais limitada, que, no entanto, foi devidamente assimilada."
- Página 39
  • "Os eruditos são aqueles que leram coisas nos livros, mas os pensadores, os gênios, os fachos de luz e promotores da espécie humana são aqueles que as leram diretamente no livro do mundo."
- Página 41
  • "A leitura não passa de um substituto do pensamento próprio. Trata-se de um modo de deixar que seus pensamentos sejam conduzidos em andadeiras por outra pessoa."
- Página 42
  • "Assim como a leitura, a mera experiência não pode substituir o pensamento. A pura empiria está para o pensamento como o ato de comer está para a digestão e a assimilação. Quando a experiência se vangloria de que somente ela, por meio de suas descobertas, fez progredir o saber humano, é como se a boca quisesse se gabar por sustentar sozinha a existência do corpo."
- Página 49
  • "A presença de um pensamento é como a presença de quem se ama. Achamos que nunca esqueceremos esse pensamento e que nunca seremos indiferentes à nossa amada. Só que longe dos olhos, longe do coração! O mais belo pensamento corre o perigo de ser irremediavelmente esquecido quando não é escrito, assim como a amada pode nos abandonar se não nos casamos com ela."
- Página 52
  • "A pena está para o pensamento como a bengala está para o andar. Da mesma maneira que se caminha com mais leveza sem bengala, o pensamento mais pleno se dá sem a pena. Apenas quando uma pessoa começa a ficar velha ela gosta de usar bengala e pena."
- Página 67
  • "Em quase todos os tempos, tanto na arte quanto na literatura, entra em voga e é admirada alguma noção fundamental falsa, ou um modo falso de se expressar, ou um maneirismo qualquer. As cabeças triviais se esforçam ardentemente para se apropriar de tal noção e exercitar tal modo. O homem inteligente reconhece e despreza essas coisas, permanecendo fora de moda."
- Página 69
  • "A verdade fica mais bonita nua, e a impressão que ela causa é mais profunda quanto mais simples for sua expressão."
- Página 94
  • "Exigir que alguém tivesse guardado tudo aquilo que já leu é o mesmo que exigir que ele ainda carregasse tudo aquilo que já comeu."
- Página 135
  • "Sabemos que, do ponto de vista gramatical, quanto mais antigas as línguas, mais perfeitas elas são, e pouco a pouco ocorre uma piora - partindo da elevação do sânscrito até a baixeza do jargão do inglês, esse traje mal-remendado de pensamento, feito com retalhos de tecidos heterogêneos."
- Página 145
  • "Poemas não podem ser traduzidos, mas apenas recriados poeticamente; e o resultado é sempre duvidoso."
- Página 150
  • "A língua é, para o espírito de uma nação, o que o estilo é para o espírito de um indivíduo."
- Dominar realmente várias novas línguas e lê-las com facilidade é um meio de se livrar das limitações nacionais que, de outro modo, ficam marcadas em cada pessoa. (N. do A.)
- Página 152

Atribuídas[editar]

- Die Tiere leben in dieser Welt in der Hölle, und ihre Teufel sind die Menschen
- Arthur Schopenhauer citado em "Wozu Religion?: Sinnfindung in Zeiten der Gier nach Macht und Geld" - página 122, Eugen Drewermann, Jürgen Hoeren - Herder, 2001 - 224 páginas
  • "O belo artístico situa-se mais alto do que o da natureza (...) e, quanto mais o espírito e suas produções se situem mais elevados que a natureza, também mais elevada que a beleza da natureza será a beleza artística."
- Fonte: http://www.caras.uol.com.br - 5 de novembro de 2009 - EDIÇÃO 835 - Citações
  • "O maior erro que um homem pode cometer é sacrificar a sua saúde a qualquer outra vantagem."
- greatest mistake a man can make is to sacrifice health for any other advantage.
- Arthur Schopenhauer citado em Lifetime speaker's encyclopedia - Volume 1 - Página 354, Jacob Morton Braude - Prentice-Hall, 1962, 1224 páginas
  • "Se é certo que um Deus fez este mundo, não queria eu ser esse Deus: as dores do mundo dilacerariam meu coração."
- André Díspore Cancian. Ateísmo e Liberdade: Uma Introdução do Livre-Pensamento. André Cancian; ISBN 978-85-905558-1-0. p. 88

Sem fontes[editar]

Question book-3.svg Este artigo ou secção não cita as suas fontes ou referências. Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes.
  • "A solidão é a sorte de todos os espíritos excepcionais."
  • "Qualquer verdade passa por três estágios: Primeiro, é ridicularizada. Segundo, é violentamente combatida. Terceiro, é aceita como óbvia e evidente."
  • "O que torna as pessoas sociáveis é a sua incapacidade de suportar a solidão e, nela, a si mesmos."
  • "A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de caráter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem".
  • "Um insulto supera qualquer argumento".
  • "O bom humor é a única qualidade divina do homem."
  • "Ler quer dizer pensar com uma cabeça alheia, em lugar da própria."
  • "Por toda a parte o homem encontra oposição, vive continuamente em luta, e morre segurando suas armas."
  • "Parecemo-nos com carneiros a brincar na relva, enquanto o açougueiro, com os olhos, está a escolher alguns entre eles; pois nestes bons tempos não sabemos que infelicidade precisamente agora o destino está nos preparando: doença, perseguição, empobrecimento, mutilação, cegueira, loucura, morte etc."
  • "O amor é como os fantasmas de que todos falam, mas que ninguém viu."
  • "O ancião carrega o peso dos anos, andando de cá para lá, com seus passos vacilantes, ou repousa num canto, uma sombra, um fantasma do que era antes. Que resta ainda nele para ser destruído pela morte?"
  • "O exame de um cadáver mostra-me que a sensibilidade, a irritabilidade, a circulação do sangue, a reprodução etc., cessaram."
  • "Vá bater nos túmulos e perguntar aos mortos se querem ressuscitar: eles sacudirão a cabeça em um movimento de recusa."
  • "Os homens se assemelham-se a relógios a que se dá corda e trabalham sem saber a razão. E sempre que um homem vem a este mundo, o relógio da vida humana recebe corda novamente, para repetir, mais uma vez, o velho e gasto refrão da eterna caixa de música, frase por frase, com variações imperceptíveis."
  • "Em geral, nove décimos da nossa felicidade baseiam-se exclusivamente na saúde. Com ela, tudo se transforma em fonte de prazer."
  • "É uma verdade incrível como a existência da maior parte dos homens é insignificante e destituída de interesse, vista exteriormente, e como é surda e obscura sentida interiormente. Consta apenas de tormentos, aspirações impossíveis; é o andar cambaleante de um homem que sonha através das quatro épocas da vida, até à morte, com um cortejo de pensamentos triviais."
  • "Vista pelos jovens, a vida é um futuro infinitamente longo; vista pelos velhos, um passado muito breve."
  • "Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima!"
  • "A glória deve ser conquistada; a honra, por sua vez, basta que não seja perdida."
  • "Quanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência."
  • "O destino embaralha as cartas, e nós jogamos."
  • "Assim como a cera, naturalmente dura e rígida, torna-se, com um pouco de calor tão moldável que se pode levá-la a tomar a forma que se desejar, também se pode, com um pouco de cortesia e amabilidade, conquistar os obstinados e os hostis."
  • "A beleza é uma carta aberta de recomendação que nos predispõe bem o coração antecipadamente."
  • "Toda vez que a alegria se apresentar devemos abrir-lhe a porta e o portão, pois ela nunca é inoportuna."
  • "Sentimos a dor mas não a sua ausência."
  • "Casar-se significa duplicar as suas obrigações e reduzir pela metade dos seus direitos."
  • "Hegel, um charlatão banal, vácuo, repugnante e ignorante, que mistura insanidade e disparates com uma arrogância sem precedentes, o que os seus partidários transmitem como se tratasse de sabedoria imortal tida como verdade por idiotas... condenou à ruína toda uma geração de intelectuais"
  • "A modéstia é a humildade de um hipócrita que pede perdão por seus méritos aos que não têm nenhum."
  • "O que um indivíduo pode ser para o outro, não significa grande coisa, no fim cada qual acaba só. Ser feliz, diz Aristóteles, é bastar-se a si mesmo."
  • "Nada merece nosso esforço, todas as coisas boas são apenas vaidades, o mundo é uma bancarrota e a vida, um mau negócio, que não paga o investimento. Para ser feliz, é preciso ser como as crianças: ignorante."
  • "Uma maneira de agradar é deixar que cada um fale de si."
  • "O médico vê o homem em toda a sua fraqueza; o jurista o vê em toda a sua maldade; o teólogo, em toda a sua imbecilidade."
  • "Embora sejam muitas as coisas más deste mundo, a pior dentre todas é a sociedade."
  • "Em geral, chamamos de destino as asneiras que cometemos."
  • "Durante a leitura nossa cabeça é apenas o campo de batalha de pensamentos alheios."
  • "Na Índia, nossas religiões nunca lançarão raízes; a sabedoria antiga da raça humana não será suplantada pelos eventos da Galiléia. Pelo contrário, a sabedoria indiana flui de volta à Europa e produzirá uma mudança básica em nosso conhecimento e pensamento."
  • "Agora terei que ouvir novamente que minha filosofia é desesperada somente porque me expresso conforme a verdade, mas as pessoas querem que se lhes diga que o Senhor Deus tenha feito tudo do melhor modo. Dirijam-se à igreja, e deixem em paz os filósofos. Ao menos não exijam que este disponham suas doutrinas conforme seus ensinamentos: isto, fazem-no os trapaceiros, os filosofastros; a estes, podem encomendar doutrinas à vontade."
  • "Nossa razão se obscurece ao considerarmos que as inúmeras estrelas fixas, que brilham no céu, não têm outro fim senão o de iluminar mundos onde reinam o pranto, a dor, e onde, no melhor dos casos, só vinga o aborrecimento; pelo menos a julgar pela amostra que conhecemos."
  • "Se uma proclamação pública repentinamente anunciasse a anulação de todas as leis criminais, imagino que nenhum de nós teria coragem de ir para casa sob a proteção das causas religiosas."
  • "A descoberta da verdade é impedida de forma mais eficiente não pela aparência falsa das coisas que iludem e induzem ao erro, nem diretamente pela fraqueza dos poderes de raciocínio, mas pela opinião preconcebida e pelo preconceito."
  • "Viver é sofrer."
  • "O Homem é livre para fazer o que quer, mas não para querer o que quer."

Sobre[editar]

- Eine Bibliothek macht es möglich, daß einer den Marx sucht, den Schopenhauer findet und die Bibel entleiht
- Ernst R. Hauschka, em Aphoristiker, 1926, conforme citado em "Zitate, Metaphern und andere Bemerkungen: Zitate, Metaphern und andere Bemerkungen‎" - Página 24, de Emil Tessmer - Publicado por BoD – Books on Demand, 2000, ISBN 3831107610, 9783831107612 - 159 páginas