Saltar para o conteúdo

William Shakespeare

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
(Redirecionado de Shakespeare)
William Shakespeare
William Shakespeare
Nascimento abril de 1564
Stratford-upon-Avon (Reino da Inglaterra)
Morte 23 de abril de 1616 (51–52 anos)
Stratford-upon-Avon (Reino da Inglaterra)
Batizado 26 de abril de 1564
Residência Stratford-upon-Avon
Sepultamento Holy Trinity Church
Cidadania Reino da Inglaterra
Progenitores
  • John Shakespeare
  • Mary Shakespeare
Cônjuge Anne Hathaway
Filho(a)(s) Susanna Hall, Hamnet Shakespeare, Judith Quiney
Irmão(ã)(s) Joan Shakespeare, Edmund Shakespeare, Gilbert Shakespeare, Richard Shakespeare, Anne Shakespeare, Margaret Shakespeare, Joan Shakespeare
Alma mater
  • King Edward VI School, Stratford-upon-Avon
Ocupação dramaturgo
Obras destacadas Hamlet, Romeu e Julieta, As You Like It, Macbeth, Sonho em uma noite de verão, Sonetos de Shakespeare, O Amansar da Fera, Dois Cavalheiros de Verona, King John, Richard II, Henry IV, Part 1, Henry IV, Part 2, Henrique V, Henry VI, Part 1, Henry VI, Part 2, Henry VI, Part 3, Richard III, Henry VIII, Love's Labour's Lost, O Mercador de Veneza, Muito Barulho por Nada, The Merry Wives of Windsor, Twelfth Night, All's Well That Ends Well, Measure for Measure, Titus Andronicus, Julius Caesar, Otelo, Rei Lear, Antony and Cleopatra, Coriolanus, Timão de Atenas, Troilo e Créssida, Cymbeline, The Winter's Tale, Pericles, Prince of Tyre, A Tempestade, Os Dois Nobres Parentes, The Comedy of Errors
Causa da morte Desconhecido
Assinatura

William Shakespeare (23 de abril de 1564 - 23 de abril de 1616). Foi um dramaturgo e poeta britânico. Considerado poeta nacional inglês e maior dramaturgo da literatura universal.


Obras[editar]

  • "O homem roubado, que sorri, rouba alguma coisa do ladrão."
- The robbed, that smiles, steals something from the thief
- "Othello, the Moor of Venice" in "The dramatic works of William Shakspeare: with a life of the poet, and notes, original and selected; together with a copious glossary, Volume 4"‎ - Página 590, William Shakespeare - J.B. Lippincott & co., 1835
  • "Nós somos feitos do tecido de que são feitos os sonhos."
- We are such stuff as dreams are made on
- "The Tempest" in: The works of Mr. William Shakespear;: in six volumes. Adorn'd with cuts - Volume 1, Página 48, William Shakespeare, Nicholas Rowe - Printed for Jacob Tonson, 1709 - 3324 páginas
- Time's glory is to calm contending kings.
- William Shakespeare in The Rape of Lucrece
- Adversity's sweet Milk, Philosophy,
- "Romeo and Juliet" in: "The works of Mr. William Shakespear;: in six volumes. Adorn'd with cuts" - Volume 5, Página 22, William Shakespeare, Nicholas Rowe - Printed for Jacob Tonson, 1709
  • "Nossos corpos são nossos jardins, nossas vontades são nossos jardineiros. "
- Our bodies are our gardens, to the which our wills are gardeners.
- "Othello", Scene X in: "The plays of William Shakespeare, with the corrections and illustr. of various commentators, to which are added notes by S. Johnson" - Página 351, William Shakespeare, Samuel Johnson - 1765

Principais[editar]

HAMLET (1603)[editar]

"Isto acima de tudo: a ti mesmo sê sincero; E disto deve seguir-se, tão certo quanto a noite segue o dia, Que não poderás ser falso a homem nenhum. "

- Shakespeare Hamlet I 3 V. 78-80 1603
  • "[...]Que nojo o mundo, este jardim de ervas daninhas. [...]"
- Ato I - Cena II: Príncipe Hamlet
  • "Dê a todas pessoas seus ouvidos, mas a poucas a sua voz."
- Ato I - Cena III: Polônio
  • "Há algo de podre no reino da Dinamarca".

Ato I - Cena IV

  • "É melhor ter um epitáfio ruim do que a maledicência durante a vida."
- Ato II, Cena II: Príncipe Hamlet
  • "Ser, ou não ser, eis a questão: será mais nobre
Em nosso espírito sofrer pedras e setas
Com que a Fortuna, enfurecida, nos alveja,
Ou insurgir-nos contra um mar de provocações
E em luta pôr-lhes fim? Morrer.. dormir: não mais.
Dizer que rematamos com um sono a angústia
E as mil pelejas naturais-herança do homem:
Morrer para dormir... é uma consumação
Que bem merece e desejamos com fervor.
Dormir... Talvez sonhar: eis onde surge o obstáculo:
Pois quando livres do tumulto da existência,
No repouso da morte o sonho que tenhamos
Devem fazer-nos hesitar: eis a suspeita
Que impõe tão longa vida aos nossos infortúnios.
Quem sofreria os relhos e a irrisão do mundo,
O agravo do opressor, a afronta do orgulhoso,
Toda a lancinação do mal-prezado amor,
A insolência oficial, as dilações da lei,
Os doestos que dos nulos têm de suportar
O mérito paciente, quem o sofreria,
Quando alcançasse a mais perfeita quitação
Com a ponta de um punhal? Quem levaria fardos,
Gemendo e suando sob a vida fatigante,
Se o receio de alguma coisa após a morte,
–Essa região desconhecida cujas raias
Jamais viajante algum atravessou de volta –
Não nos pusesse a voar para outros, não sabidos?
O pensamento assim nos acovarda, e assim
É que se cobre a tez normal da decisão
Com o tom pálido e enfermo da melancolia;
E desde que nos prendam tais cogitações,
Empresas de alto escopo e que bem alto planam
Desviam-se de rumo e cessam até mesmo
De se chamar ação [...]"
- Ato III, Cena I: Príncipe Hamlet
- There are more things in heaven and earth , Horatio , Than are dreamt of in your philosophy
- Shakespeare's Hamlet - página 42, William Shakespeare · Maynard, Merrill, & Company, 1882

A Comédia dos Erros (1592-1593)[editar]

  • "A mancha do adultério em mim se alastra. Trago no sangue o crime da luxúria, pois se ambos somos um, e prevaricas, na carne trago todo o teu veneno, por teu contágio me tornando impura".
- Ato II - Cena II: Adriana
  • "As queixas venenosas de uma esposa ciumenta são de efeito mais nocivo do que dentada de cachorro louco".
- Ato V - Cena I: Abadessa
  • "Sem ser provada, a paciência dura".
- Ato II - Cena I: Adriana
  • "As mais belas jóias, sem defeito, com o uso o encanto perdem".
- Ato II - Cena I: Adriana

Macbeth (1605-1606)[editar]

  • "A vida é uma história contada por um idiota, cheia de som e de fúria, sem sentido algum."
- Macbeth, Cena V, Ato V
  • "Tens medo de nos atos (...) mostrar-te igual ao que és nos teus anelos?"
- Ato I - Cena VII: Lady Macbeth
  • "Durma-se que as malhas da luva emaranhados de cuidados / A morte da vida de cada dia, banho de trabalho dolorido / Bálsamo da mente ferida, o segundo curso da natureza é grande, / comando nutridor no banquete da vida.
- Sleep that knits up the ravelled sleeve of care / The death of each day's life, sore labour's bath / Balm of hurt minds, great nature's second course, / Chief nourisher in life's feast.
- "Macbeth" in: "The dramatic works of William Shakspeare" - Volume 3, Página 201, William Shakespeare, John Britton, Samuel ... - Printed by C. Whittingham, 1813

O Rei Lear (1605-1606)[editar]

  • "A cólera também tem privilégios".
- Ato II - Cena II: Kent

Péricles (1608-1609)[editar]

  • "É lícito aspirar ao que não se pode alcançar".
- Ato II- Cena I: Primeiro pescador

Antônio e Cleópatra (1606-1607)[editar]

  • "Pobre é o amor que pode ser contado".
- Ato I - Cena I: Antônio
  • "Entre dois beijos abrimos mão de reinos e províncias".
- Ato III - Cena VIII: Escaro

Noite de Reis (1599-1600)[editar]

  • "Os amigos me adulam e me fazem de asno, mas meus inimigos me dizem abertamente que o sou, de forma que com os inimigos (...) aprendo a me conhecer e com os amigos me sinto prejudicado".

A Tragédia do Rei Ricardo II (1595-1596)[editar]

  • "Nada me deixa tão feliz quanto ter um coração que não se esquece de seus amigos".

Ato II, Cena III: Bolingbroke

Trabalhos de Amor Perdidos (1594-1595)[editar]

  • "Chorar velhos amigos que perdemos não é tão proveitoso e saudável como nos alegrarmos pelas novas aquisições de amigos".

Henrique VI (1590-1591)[editar]

  • "As águas correm mansamente onde o leito é mais profundo".
- Ato III - Cena I: Suffolk
  • "os homens de poucas palavras são os melhores homens(...)He hath heard that men of few words are the best men; (...) Cena II

As Alegres Comadres de Windsor (1600-1601)[editar]

  • "Devemos aceitar o que é impossível deixar de acontecer".
- "Ato V - Cena V: Page

Conto do Inverno (1610-1611)[editar]

  • "Se os maridos das esposas infiéis desesperassem, enforcar-se-ia a décima parte da humanidade".

Coriolano (1607-1608)[editar]

  • "A adversidade põe à prova os espíritos".

ATO IV.Cena I. Coriolano

Sonho de uma Noite de Verão (1595-1596)[editar]

  • "O amor não vê com os olhos, vê com a mente; por isso é alado, é cego e tão potente".
- Ato I - Cena I: Helena
  • "Eu já representei a peça e era um elfe.
- Ato II - Cena I: Oberon
  • "No entanto, para dizer a verdade, hoje em dia a razão e o amor quase não andam juntos.
- Ato III - Cena I

Como Gostais (1599-1600)[editar]

  • "Se não te lembram as menores tolices que o amor te levou a fazer, é que jamais amaste".
- Ato I - Cena IV -: Sílvio
  • "Assim que se olharam, amaram-se; assim que se amaram, suspiraram; assim que suspiraram, perguntaram-se um ao outro o motivo; assim que descobriram o motivo, procuraram o remédio."
- Ato V - Cena II -: Rosalind

O Mercador de Veneza (1596-1597)[editar]

Ver artigo principal: O Mercador de Veneza.
  • "Podeis crer-me, senhor: caso eu tivesse tanta carga no mar, a maior parte de minhas afeições navegaria com minhas esperanças. A toda hora folhinhas arrancara de erva, para ver de onde sopra o vento; debruçado nos mapas, sempre, procurara portos, embarcadoiros, rotas, sendo certo que me deixara louco tudo quanto me fizesse apreensivo pela sorte do meu carregamento."
- Ato I - Salânio
  • "O amor é cego, e os namorados nunca vêem as tolices que praticam".
- Ato II - Cena VI: Jéssica'
  • "Sábio é o pai que conhece seu próprio filho."
- William Shakespeare; Mercador de Veneza, O - ato II, cena, II, Página 45, William Shakespeare, tradução de Carlos Alberto Nunes, Ediouro Publicações, 2005, ISBN 8500017228, 9788500017223 - 172 páginas

Tróilo e Cressida (1601-1602)[editar]

  • "Nisto (...) é que consiste a monstruosidade do amor: em ser infinita a vontade e limitada a execução; em serem ilimitados os desejos, e o ato, escravo do limite".
- Ato III - Cena II: Tróilo

Cimbelino (1609-1610)[editar]

  • "Os motivos do amor não têm motivo".
  • "Aquilo a que chamamos rosa, mesmo com outro nome, cheiraria igualmente bem."

William Shakespeare

" A rose by any other name would smell as sweet." William Shakespeare

Outras obras[editar]

  • "Sinto a fúria de suas palavras, mas não entendo nada do que você diz."
    • tradução alternativa: "Eu percebo uma fúria em suas palavras, mas não as palavras."
- I understand a fury in your words/ But not the words.
- "Othello" in: The Plays of William Shakespeare: With the Corrections and Illustrations of Various Commentators‎ - Volume XVI Página 374, de William Shakespeare, Joseph Dennie, Samuel Johnson, Isaac Reed, George Steevens - Publicado por C. and A. Conrad, 1809

exemplo - Soneto XLIII

Quanto mais fecho os olhos melhor vejo;
o dia todo vi coisas vulgares;
mas quando durmo em sonho te revejo;
pondo no escuro luzes estrelares;
tu, cuja sombra faz brilhar as sombras;
pois tanto brilho no negror produzes.
Como podem meus olhos abençoados;
assim te ver brilhar em pleno dia;
quando na noite escura deslumbrados;
dentro de fundo sono eu já te via?
Meu dia é noite quando estás ausente;
e a noite eu vejo o sol se estás presente.

{Tradução de w:Anna Amélia Carneiro de Mendonça}

- William Shakespeare citado em Revista da Academia Pernambucana de Letras - Edições 18-20 - Página 87, Academia Pernambucana de Letras - 1967
  • "Homens de poucas palavras são os melhores homens." (da Peça: Henrique VI - Cena II)
  • "O cansaço ronca em cima de uma pedra, enquanto a indolência acha duro o melhor travesseiro."
- Ato III – Cena IV: Belário - Em Cimbelino. Citado em http://shakespearebrasileiro.org/citacoes/
  • "Mal usada, mesmo a mais dura faca perde o fio."
- The hardest knife ill used doth lose his edge.
- The Poems of William Shakspere: with Facts Connected with His Life; Abridged from “William Shakspere,” a Biography [by C. Knight]. - página 179, William Shakespeare, ‎Charles Knight - C. Knight & Company, 1843 - 404 páginas
  • "Assim que se olharam, amaram-se; assim que se amaram, suspiraram; assim que suspiraram, perguntaram-se um ao outro o motivo; assim que descobriram o motivo, procuraram o remédio; e nestes graus eles fizeram um par de escadas para o casamento."
- No sooner met but they looked; no sooner looked but they loved; no sooner loved but they sighed; no sooner sighed but they asked one another the reason; no sooner knew the reason but they sought the remedy; and in these degrees have they made a pair of stairs to marriage
- The Plays of William Shakespeare: Accurately Printed from the Text of the Corrected Copy Left by George Steevens: With a Series of Engravings, from Original Designs of Henry Fusell, and a Selection of Explanatory and Historical Notes, Volume 3 - página 203, William Shakespeare, ‎George Steevens - F.C. and J. Rivington, 1805
  • "Não há nada bom ou nada mau, mas o pensamento o faz assim."
- There is nothing either good or bad, but thinking makes it so
- Dramatic Works: With Explanatory Notes - Volume 3 - Página 1668, William Shakespeare, ‎Samuel Ayscough - J. Stockdale, 1790
  • "Pois a verdade nunca pode ser confirmada o suficiente, embora as dúvidas já tenham dormido."
- For truth can never be confirm'd enough, 200 Though doubts did ever sleep.
- The Late and Much Admired Play, Called Pericles, Prince of Tyre: With the True Relation of the Whole History, Adventures, and Fortunes of the Said Prince - página 68, William Shakespeare - T. Cotes, 1635
  • "O demônio pode citar as Escrituras para justificar seus fins."
- The devil can quote Scripture for his purpose.
- Comedy of errors. Much ado about nothing. Love's labour's lost. Midsummer-night's dream. Merchant of Venice, página 549, William Shakespeare, ‎Samuel Weller Singer - Bell and Daldy, 1856
  • "Quem se compraz de ser adulado, é digno do adulador.
- He that loves to be flattered, is worthy of the flatterer.
- The Works of Mr. William Shakespear;: In Six Volumes. Adorn'd with Cuts, Volume 5, página 2166, William Shakespeare - Jacob Tonson, 1709
  • "A ambição deve ser feita de coisas mais resistentes."
- Ambition should be made from sterner stuff
- The Works of Mr. William Shakespear;: In Six Volumes. Adorn'd with Cuts, Volume 5, página 22269, William Shakespeare - Jacob Tonson, 1709
  • "Os homens têm morrido de tempos em tempos - e os vermes os devoravam, mas não foi por amor."
- Men have died from time to time, and worms have eaten them, but not for love.
- As You Like It ... as performed at the Theatre-Royal, Drury Lane. Regulated from the prompt-book ... by Mr. Hopkins, Prompter - página 51, William Shakespeare, HOPKINS (Prompter.) W. Gilbert, 1783 - 70 páginas
  • "Um indivíduo pode sorrir, sorrir, e ser um vilão."
- One may smile, and smile, and be a villain
- The Works of William Shakespeare, Volume 1, página XII, Hamlet, ato 1, s 5, William Shakespeare, Chapman and Hall, 1866
  • "A beleza persuade os olhos dos homens por si mesma, sem necessitar de um orador."
- Beauty itself doth of itself persuadeThe eyes of men without orator
- Supplement to the Edition of Shakespeare's Plays Published in 1778 - Volume 1, página 474, William Shakespeare, ‎Samuel Johnson, ‎George Steevens - C. Bathurst, 1780
- Beauty provoketh thieves sooner than gold
- The Plays of William Shakespeare, in Eight Volumes, with the Corrections and Illustrations of Various Commentators; to Wich are Added Notes by Sam Johnson: Volume the second. Containing As you like it. Love's labour's lost. The winter's tale. Twelfthnight: or, what you will. The merry wives of Windsor, Volume 2, página 25, H. Woodfall, C. Bathurst, J. Beecroft, 1768 - 557 páginas
  • "Eu rezo por ninguém além de mim mesmo: Grant, eu posso nunca ser tão afeiçoado; Confiar no homem em seu juramento ou vínculo; Ou uma prostituta, por seu choro; Ou um cachorro que parece estar dormindo: Ou um guardião com minha liberdade; Ou meus amigos, se eu precisar deles."
- I pray for no man but myself: Grant I may never prove so fond, To trust man on his oath or bond; Or a harlot, for her weeping; Or a dog, that seems a-sleeping: Or a keeper with my freedom; Or my friends, if I should need 'em.
- Timon of Athens in: The Dramatic Works of William Shakepeare: With Explanatory Notes. To which is Added a Copious Index to the Remarkable Passages and Words, Volume 2, página 807, William Shakespeare, ‎Samuel Ayscough - J. Stockdale, 1807
  • "O sono é o prenúncio da morte."
- Citado em "Tudo Novo em Seu Corpo, V.1 - Nutrição - Página 55, Eduardo Gomes de Azevedo, Jurua Editora, 2004, ISBN 8536208295, 9788536208299 - 210 páginas
  • "É melhor um tolo espirituoso do que um espírito tolo."
- Better a witty fool, than a foolish wit.
- The Plays of William Shakespeare in Ten Volumes: With Corrections and Illustrations of Various Commentators, Volume 4, William Shakespeare, ‎Samuel Johnson, ‎George Steevens - C. Bathurst, 1778
  • "Consciência é uma palavra usada pelos covardes para incutir medo aos fortes."
- Conscience is but a word that cowards use, Devis'd at first to keep the strong in awe
- King Richard III in: The Works of Shakespear: Historical plays: King Henry VI, pt. I-III. King Richard III. King Henry VIII, página 400, William Shakespeare, ‎Sir Thomas Hanmer, ‎Alexander Pope - Printed at the Theatre, 1743
  • "O que chamamos rosa, sob uma outra designação teria igual perfume."
- That which we call a rose, by any other name would smell as sweet.
- Romeo and Juliet ... with alterations and an additional scene by David Garrick , etc, página 21, William Shakespeare - J.&R. Tonson and S. Draper, 1750
  • "Sabiamente e devagar! Quem mais corre, tropeça!"
- Wisely and slow. They stumble that run fast
- Romeo and Juliet in: The Works of Mr. William Shakespear;: In Six Volumes. Adorn'd with Cuts, Volume 5 - página 2103, William Shakespeare - Jacob Tonson, 1709
  • "Nascidos, choramos por nos vermos neste imenso palco de tolos."
- When we are born, we cry that we are come to this great stage of fools
- king Lear in: The Works of Mr. William Shakespear;: In Six Volumes. Adorn'd with Cuts, Volume 5 - página 2534, William Shakespeare - 1709
  • "O amor é meramente uma loucura e, na minha opinião, merece uma casa escura e um chicote, como os loucos; a razão pela qual os amantes não são assim punidos curados é que a loucura é tão comum que os homens do chicote amam também."
- Love is merely a madness ; and, I tell you, deserves as well a dark house and a whip, as madmen do : and the reason why they are not so punished and cured, is, that the lunacy is so ordinary, that the whippers are in love too
- "As you like it" in: The plays of William Shakspeare... - Volume 2 - Página 232, William Shakespeare - Printed for T. Longman, 1797
  • "Quando fala o amor, a voz de todos os deuses deixa o céu embriagado de harmonia."
- And when love speaks, the voice of all the gods makes Heaven drowsy with the harmony
- "Love's labour's lost" in: The Plays and Poems of William Shakspeare: In Ten Volumes: Collated Verbatim with the Most Authentick Copies, and Revised; with the Corrections and Illustrations of Various Commentators; to which are Added, an Essay on the Chronological Order of His Plays; an Essay Relative to Shakspeare and Jonson; a Dissertation on the Three Parts of King Henry VI; an Historical Account of the English Stage; and Notes; by Edmond Malone,, Volume 2 - página 389, William Shakespeare - H. Baldwin, 1790
  • "Lutar pelo amor é bom, mas alcançá-lo sem luta é melhor." Variação: "Buscar o amor é bom, melhor é achá-lo."
- Ato III – Cena I: Olívia - Noite de Reis.

Atribuídas[editar]

  • "Não tenha medo da grandeza, Alguns nascem grandes, Alguns alcançam a grandeza e Alguns tem a grandeza imposta a eles..."
- Be not afraid of greatness: some men are born great, some achieve greatness, and some have greatness thrust upon them.
- Twelfth Night Noite de Reis; Money Hard and Soft: On the International Currency Markets; Brendan Brown - Macmillan Press Limited, 1978


Referências