Carlos Pena Filho

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carlos Pena Filho em outros projetos:

Carlos Pena Filho (17 de maio de 1929 a 1 de julho de 1960) foi um poeta natural de Recife, Pernambuco.


Sobre[editar]

  • "Há vinte anos de sua partida do Recife (quem mora em Recife engana a morte), tem uma pára ou pré posteridade a conviver com ele, o que ele conseguiu sem pedir, sem banalizar-se. Antes, fazendo-se compeendido e amado por todo os tipos de leitores, dos eruditos aos populares."
- Mauro Mota, como citado in: O livro de Carlos: Carlos Pena Filho, poesia e vida - Página 125, Edilberto Coutinho, Livraria J. Olympio Editora · 1983
  • "Nos últimos poemas, nos mais brasileiros pelo rítmo e pela temática, revela sua mestiçagem verbal, escreve palavras de sua época. Tudo isso como resultado da luta tremenda que trava todo escritor latino-americano em seu grande esforço de emancipação cultural, na procura de uma expressão nova e mestiça que refletia a sua alma americana, o seu povo, sua região. Luta que se espicha, às vezes, nos embates sociais e políticos."
- Tempo amarelo: ensaios - Página 43, Renato Carneiro Campos, Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana · 1980, ISBN: 9788570190024, 8570190026
  • "Escrevo esse nome, e estou certo de que o inscrevo na eternidade. Pois me parece impossível que as presentes e as futuras gerações esqueçam o poeta encantador, tão cedo e tão tragicamente desaparecido"
- Manuel Bandeira, como citado in: O livro de Carlos: Carlos Pena Filho, poesia e vida - Página 122, Edilberto Coutinho, Livraria J. Olympio Editora · 1983
  • "Sabia todos os verdes que há no verde"
- A educação pela pedra e depois - Página 119, João Cabral de Melo Neto, Editora Nova Fronteira · 1997, ISBN: 9788520908488, 8520908489