A. James Gregor

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Anthony James Gregor
A. James Gregor
A. James Gregor em outros projetos:

Anthony James Gregor (2 de abril de 192930 de Agosto de 2019) foi um historiador norte-americano, professor emérito de ciência política na Universidade da Califórnia, em Berkeley, reconhecido pelos seus estudos sobre fascismo, marxismo e segurança nacional.



The Fascist Persuasion in Radical Politics, 1974[editar]

The Fascist Persuasion in Radical Politics, Princeton: NJ, Princeton University Press (1974)

  • Em 1938, Mussolini estava convencido de que ‘dado o total colapso do sistema [herdado] de Lênin, Stalin transformara-se sem alarde num fascista.’
    (By 1938, Mussolini could confidently assert that ‘in the face of the total collapse of the system [bequeathed] by Lenin, Stalin has covertly transformed himself into a Fascist.’)
    p. 132
  • Onde os 'marxistas revolucionários' mobilizadores de massa chegam ao poder, e permanecem no poder por um tempo suficientemente longo para criar um sistema político, o que eles conseguem criar, geralmente, é um análogo razoável do estado Fascista.
    (Where mass-mobilizing ‘revolutionary Marxists’ have come to power, and remained in power sufficiently long to create a viable political system, what they have generally succeeded in creating is a reasonable analogue of the Fascist state.)
    p. 134

Young Mussolini and the Intellectual Origins of Fascism, 1979[editar]

Young Mussolini and the Intellectual Origins of Fascism, Berkeley: CA University of California Press (1979)

  • Mussolini foi um marxista ‘herege'.
    (Mussolini was a Marxist ‘heretic'.)
    p. xi
  • O Fascismo [italiano] foi uma variante do marxismo clássico, um sistema de crenças que trazia consigo alguns temas abordados por Marx e Engels e que terminou por encontrar expressão na forma de ‘nacional-sindicalismo’ e dar vida ao primeiro Fascismo.
    ([Italian] Fascism was a variant of classical Marxism, a believe system that pressed some themes argued by both Marx and Engels until they found expression in the form of ‘national syndicalism’ that was to animate the first Fascism.)
    p. xi
  • O nacionalismo revolucionário de Mussolini, enquanto se distinguia do patriotismo tradicional e do nacionalismo da burguesia, exibia muitas daquelas características que encontramos hoje no nacionalismo de povos subdesenvolvidos. Era um nacionalismo anticonservador que previa grandiosas mudanças sociais; era direcionado contra os opressores externos bem como os internos; evocava uma imagem de uma nação regenerada e renovada que tinha uma missão histórica a realizar; invocava um ideal moral de auto-sacrifício e comprometimento a serviço dos objetivos da coletividade; e recordava antigas glórias e antecipava uma glória compartilhada maior ainda.
    (Mussolini's revolutionary nationalism, while it distinguished itself from the traditional patriotism and nationalism of the bourgeoisie, displayed many of those features we today identify with the nationalism of underdeveloped peoples. It was an anticonservative nationalism that anticipated vast social changes; it was directed against both foreign and domestic oppressors; it conjured up an image of a renewed and regenerated nation that would perform a historical mission; it invoked a moral ideal of selfless sacrifice and commitment in the service of collective goals; and it recalled ancient glories and anticipated a shared and greater glory.)
    p. 99