Erich Fromm

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Erich Fromm
Erich Fromm
Erich Fromm em outros projetos:

Erich Fromm (23 de março de 1900 - 18 de março de 1980), foi um filósofo e psicanalista alemão.


  • O nacionalismo é a nossa forma de incesto, é a nossa idolatria, é a nossa insanidade. "Patriotismo" é o seu culto.
- Nationalism is our form of incest, is our idolatry, is our insanity. "Patriotism" is its cult.
- Erich Fromm, The Sane Society (1955)
- Die Gefahr der Vergangenheit war, daß Menschen zu Sklaven wurden. Die Gefahr der Zukunft ist, daß sie Roboter werden.
- Politik und sozialistische Gesellschaftskritik‎ - Volume 5, Página 270, Erich Fromm, Rainer Funk - Deutsche Verlags-Anstalt, 1981, ISBN 342101955X, 9783421019554 - 480 páginas
  • "É curioso que tantos homens acreditem que viver não dá nenhum trabalho."
- citado em "Citações da Cultura Universal" - Página 23, Alberto J. G. Villamarín, Editora AGE Ltda, 2002, ISBN 8574970891, 9788574970899
  • "Um escritor americano, Alan Harrington, que em Life in the Crystal Palace [A vida no palácio de cristal]* oferece um retrato penetrante e sutil da vida numa grande corporação americana, cunhou uma excelente expressão para o conceito contemporâneo da verdade: "verdade móvel". Se trabalho para uma grande corporação que afirma que seu produto é melhor que o dos concorrentes, questionar se essa afirmação é justificada ou não no âmbito da realidade discernível torna-se irrelevante. O que importa é que, enquanto sirvo a essa corporação em particular, tal afirmação passa a ser a "minha" verdade e abro mão de questionar se ela é uma verdade objetivamente válida. De fato, se mudo de emprego e me transfiro para a corporação que era até agora "minha" concorrente, devo aceitar a nova verdade — de que seu produto é melhor — e, subjetivamente falando, essa verdade será tão verdadeira quanto a anterior. Um dos desenvolvimentos mais característicos e destrutivos de nossa sociedade é o fato de que o homem, ao se tornar cada vez mais um instrumento, transforma a realidade, progressivamente, em algo relacionado a seus próprios interesses e funções."
- Erich Fromm, Posfácio de 1984, de George Orwell; tradução de Alexandre Hubner e Heloisa Jahn. — São Paulo: Companhia das Letras, 2009, p. 374.
- * Alan Harrington, Life in the Crystal Palace. Nova York: Alfred A. Knopf inc., 1959; Londres: Jonathan Cape, Ltd, 1960.