Ângela Rodrigues Alves

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ângela Rodrigues Alves em outros projetos:

Ângela Rodrigues Alves (São Paulo, 19 de agosto de 1955) é uma jornalista e ecologista brasileira.


  • "Ah, eu tenho certeza! A matéria sobre o tráfico [de animais silvestres] foi uma coisa impressionante. Uma semana de matérias no jornal da Band e nós tivemos mais de 1.800 e-mails. Nas ultimas matérias nós chegamos a mais de 7 pontos de Ibope... E muita gente que não sabia que era crime tirar o animal da natureza, ficou sabendo. Quem compra um papagaio na feira não sabe dos outros nove que morreram no caminho e do sofrimento que esses bichos passaram até serem comprados e colocados, para sempre, na sua prisão (que a gente costuma chamar de 'gaiola'). Os maus-tratos são uma constante e o consumidor tem que saber que é ele o responsável por essa situação."
- Ao ser perguntada pela revista Viverde, de novembro de 2007, se seus vídeos influenciaram as pessoas que os assistem.
  • "(...) O interessante é que o 'papagaio-verdadeiro' não é desta região. Eu diria que aqui é meio um quilombo. São os fugitivos de gaiolas da cidade que vão se unindo num bando. E é um bando muito engraçado, que tem as falas dos papagaios. Você tem o papagaio que chega aqui cantando 'atirei o pau no gato', o outro com canto original dele de mata, o outro que fala palavrão... eu diria que é um bando poliglota."
- Em entrevista à revista Viverde, de novembro de 2007, sobre os animais que recolhe em seu viveiro.
  • crime! Qualquer animal silvestre brasileiro não pode ser capturado, aprisionado, comercializado e transportado. Nem o bicho, nem as partes do bicho. Se o bicho saiu da floresta ou saiu do mato quem está com ele está cometendo um crime ambiental. O comprador de bicho só não comete crime quando compra o animal de um criador. Esse bicho tem que vir com anilha, microchip e nota fiscal. O que continua fazendo dele um 'comprador de bicho'."
- Ao afirmar, à revista Viverde, de novembro de 2007, que é crime capturar um animal silvestre da natureza.