Galvão Bueno

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Galvão Bueno
Galvão Bueno
Galvão Bueno em outros projetos:

Carlos Eduardo dos Santos Galvão Bueno (21 de julho de 1950), é um locutor esportivo e apresentador de televisão brasileiro.


  • "Trabalho na maior emissora do Brasil e tenho a maior audiência. Sou uma pessoa que cria polêmica. Isso resulta em afagos e pancadas. Mas aprendi com o Pelé e com o Ayrton Senna que, se lutei tanto para chegar onde cheguei, se trabalhei tanto para isso, tenho de aprender a lidar com essas questões".
- Ao ser perguntado sobre o fato de liderar as listas de melhor e pior narrador do Brasil
- Fonte: Entrevista na Revista Isto É Gente!, de 7 de Janeiro de 2002.
  • "Costumo dizer que tenho a maior audiência do País. Quando você transmite uma final de Copa do Mundo, ou uma partida entre Corinthians e Palmeiras, não existe outro produto na televisão que dê esse índice de audiência. Mas isso não significa que eu seja o maior ou o melhor".
- Fonte: Entrevista na Revista Isto É Gente!, de 7 de Janeiro de 2002.
  • "Depende da crítica. Morro de rir com as piadas do Casseta e Planeta. Eles têm um humor inteligente, de alto nível. A minha única dúvida é se tenho o narigão do tamanho que eles mostram (risos). Outro que pega no meu pé é o José Simão (colunista do jornal Folha de S.Paulo). É um cara que brinca até com o presidente Fernando Henrique. Tenho lugar cativo nas colunas dele. Não me importo".
- Ao ser perguntado se ele se incomoda com as críticas
- Fonte: Entrevista na Revista Isto É Gente!, de 7 de Janeiro de 2002.
  • "Deveria tomar mais. Bebo bebida gelada e fumo. São hábitos que deveria evitar. Mas uso aquele spray de própolis e, durante as Copas do Mundo, paro de fumar".
- Ao ser perguntado se toma cuidados com a voz.
- Fonte: Entrevista na Revista Isto É Gente!, de 7 de Janeiro de 2002.
  • "Eu ganho mais do que eu preciso e menos do que eu mereço. Mas não chega nem perto desse valor que você está falando. O importante é que eu estou feliz na emissora. Tenho 20 anos de casa e acho essa relação um casamento excepcional. Ela me dá as melhores condições de trabalho, eu tento dar a ela o melhor trabalho possível."
- Ao ser perguntado sobre seu salário, estimado na época da entrevista em 500 mil reais
- Fonte: Entrevista na Revista Isto É Gente!, de 7 de Janeiro de 2002.
  • "Sou absolutamente consumista. Gosto de me vestir bem, sou apaixonado por carros, por tecnologia, mas se eu tiver que fazer uma confissão daquilo que eu tenho compulsão por comprar, diria que tenho mania de bons vinhos. Não sou nenhum profundo conhecedor, mas tenho muito prazer em tomar os meus vinhos. Vou buscar o que existe de melhor".
- Fonte: Entrevista na Revista Isto É Gente!, de 7 de Janeiro de 2002.
  • "Isso é você que está dizendo".
- Ao ouvir que era torcedor do Flamengo.
- Fonte: Entrevista na Revista Isto É Gente!, de 7 de Janeiro de 2002.
  • O Roberto está para o Brasil assim como Frank Sinatra está para o mundo. O 'New York, New York' dele é 'Emoções', minha canção predileta”.
- Fonte: Revista IstoÉ Gente!, edição 341
  • "Quem nos pênaltis perde, um dia nos pênaltis ganha".
- Após o termino da final da Copa do Mundo de 2006 - Itália vs. França -, analisando o momento e os fracassos da Itália na cobrança de pênaltis em mundiais.
- Fonte: Rede Globo de Televisão, 9 de Julho de 2006.
  • "É impressionante, avó é uma coisa sempre sábia."
- Galvão Bueno, narrador da Globo em Sydney, ainda tonto com o fuso horário, depois de ouvir uma entrevista em que a avó da jogadora Shelda, do vôlei de praia, animava a neta a continuar lutando, mesmo com a derrota se avizinhando
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 669 - 4/10/2000
  • "O cérebro é igual a um queijo cremoso dentro de uma caixa de madeira."
- Galvão Bueno, narrador da Globo no GP de Fórmula 1 do Canadá, preocupado com o acidente sofrido pelo piloto polonês Robert Kubica
- Fonte: Revista Veja, Edição 2 013 - 20/06/2007

Sobre[editar]

  • "Ele quer adivinhar as coisas".
- Nelson Piquet se referindo ao narrador.

Bordões[editar]

  • "CALA BOCA GALVAO!"
- Situação em que vários torcedores expressam sua desaprovação.
  • "E quem é que sobe?"
- Em uma situação de bola aérea sobre a área.
  • "Haja coração!"
- Narrando um jogo emocionante.
  • "Bem amigos da Rede Globo!"
- Costumeira saudação de Galvão em suas transmissões.
  • "Ganhar é bom, mas ganhar da Argentina é muito mais gostoso!"
- Galvão Bueno fala sobre o clássico Brasil x Argentina.
  • "Errrrgue os braços"
-Costuma dizer isso quando o juiz termina um tempo de jogo.
  • "... os deuses do futebol..."
- Galvão Bueno costuma pedir aos tais "deuses" que evitem certas situações perigosas para a Seleção Brasileira.
- Ao conclamar o ex-goleiro da seleção brasileira para realizar suas defesas, apesar de que num jogo contra a Holanda pela Copa de 1994, interrompeu a frase no meio, pois os holandeses conseguiram o gol.
  • "Rrrrrrrrrrrrrrrrr"...
- Galvão Bueno costuma enfatizar o "R" iniciais dos nomes dos jogadores, principalmente os dos jogadores Ronaldinho, Ronaldinho Gaúcho, Roberto Carlos etc.
  • "É drrramática a situação"
- Ao comentar a situação de algum time ou seleção que está perdendo o jogo.
  • "Esse é o famoso gol estufa rede"
- Ao comentar um chute forte ao gol.
  • "Chuta, chuta, chuta....gooolll.....eu falei pra chutar"
- Ao narrar um lance de gol.
  • "É teste pra cardíaco!"
- Ao narrar um momento tenso num jogo da seleção brasileira
  • "Ayrton, Ayrton, Ayrton, Ayrton, Ayrton Senna é do Brasil!"
- Narrando uma vitória de Ayrton Senna na Fórmula 1. Costuma repetir o bordão com outros brasileiros, como Felipe Massa e Rubens Barrichelo.