Saltar para o conteúdo

William Butler Yeats

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
William Butler Yeats
William Butler Yeats
William Butler Yeats
Wikipédia
Wikimedia Commons
Domínio Público.br
Prêmio Nobel de Literatura (1923)

William Butler Yeats (Dublin, Irlanda, 13 de Junho de 1865 – Menton, França, 28 de Janeiro de 1939), muitas vezes apenas designado por W.B. Yeats, foi um poeta irlandês, dramaturgo, místico e figura pública.



  • "Tivesse eu os panejamentos bordados dos céus, (...)/ Estenderia esses mantos a teus pés./ Mas eu, sendo pobre, tenho apenas sonhos;/ E estendi meus sonhos a teus pés;/ Pisa com delicadeza, pois estás pisando/ em meus sonhos."
- Fonte: Revista Caras, Edição de Terça-feira, 17 de outubro de 2006.
  • "Espalhei meus sonhos aos seus pés. Caminhe devagar, pois você estará pisando neles".
- I have spread my dreams under your feet; Tread softly because you tread on my dreams.
- Later poems - Página 41, William Butler Yeats - Forgotten Books, 1924, ISBN 1605061484, 9781605061481 - 363 páginas
- No man has ever lived that had enough. Of children's gratitude or woman's love.
- Vacillation, III, st. 1
- Who dreamed that beauty passes like a dream?
- Poems - Página 208, William Butler Yeats - T. F. Unwin, 1895 - 285 páginas
- In dreams begins responsibility.
- Later poems - Página 146, William Butler Yeats - Forgotten Books, 1924, ISBN 1605061484, 9781605061481 - 363 páginas
  • "Pense como sábio, mas se expresse na língua do povo".
- Think like a wise man but communicate in the language of the people.
- Citado em "Modern quotations for ready reference", Arthur Richmond - Dover Publications, 1947 - 502 páginas
  • "Pense que a maioria das glórias dos homens começam e terminam, e diga: a minha glória foi ter amigos".
- Think where man's glory most begins and ends, And say my glory was I had such friends.
- The poems of William Butler Yeats - Página 244, William Butler Yeats - Hayes Barton Press, 1956, ISBN 1593772270, 9781593772277

Atribuídas[editar]

  • "O poema é o ato social de uma pessoa solitária".
- a poem is a social act done by a solitary man
- William Butler Yeats citado in: Prodigal Father: The Life of John Butler Yeats (1839-1922) - Página 516, William Michael Murphy - Syracuse University Press, 2001, ISBN 0815607253, 9780815607250, 680 páginas