Stephenie Meyer

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Stephenie Meyer
Stephenie Meyer
Stephenie Meyer em outros projetos:

Stephenie Meyer (24 de dezembro de 1973) é uma escritora estudanidense, autora da saga Crepúsculo. O primeiro livro da quadrilogia escrita por Meyer, Crepúsculo, e suas sequências, Lua Nova, Eclipse e Amanhecer, venderam cerca de 113 milhões de cópias no mundo todo [1]. A saga conta a história de Bella Swan, uma garota humana cuja vida muda completamente quando ela se apaixona pelo vampiro Edward Cullen. Meyer também é a autora do livro de ficção-científica, A Hospedeira.

Saga Crepúsculo[editar]

Crepúsculo (2005)[editar]

Ver artigo principal: Crepúsculo (livro)
  • Quando a vida lhe oferece um sonho muito além de todas as expectativas, é irracional se lamentar quando isso chega ao fim.
    • Bella Swan, Prólogo.
  • Era lindo, é claro; eu não podia negar isso. Tudo era verde: as árvores, os troncos cobertos de musgo, os galhos que pendiam das copas, a terra coberta de samambaias. Até o ar filtrava o verde das folhas. Era verde demais — um planeta alienígena.
  • De três coisas eu estava convicta. Primeira, Edward era um vampiro. Segunda, havia uma parte dele — e eu não sabia que poder essa parte teria — que tinha sede do meu sangue. E terceira, eu estava incondicional e irrevogavelmente apaixonada por ele.
    • Bella Swan, Capítulo 9
  • — É a hora do crepúsculo. — murmurou Edward [...]. — É a hora do dia mais segura para nós. — disse ele, respondendo à pergunta em meus olhos. — A hora mais fácil. Mas também a mais triste, de certa forma... O fim de outro dia, a volta da noite. A escuridão é tão previsível, não acha? — Ele sorriu tristonho.
    — Gosto da noite. Sem o escuro, nunca veríamos as estrelas.
    • Edward Cullen e Bella Swan, Capítulo 11.
  • [...] Nosso relacionamento não podia continuar se equilibrando, como estava, na ponta de uma faca. Cairíamos para um lado ou para o outro, dependendo inteiramente da decisão dele, ou de seus instintos. Minha decisão estava tomada antes mesmo que eu tivesse escolhido conscientemente, e eu me comprometera a ir até o fim. Porque não havia nada mais apavorante para mim, mais excruciante, do que a ideia de me afastar dele. Era uma impossibilidade.
    • Bella Swan sobre Edward Cullen, Capítulo 12.
  • — E então o leão se apaixonou pelo cordeiro... — murmurou ele.
    — Que cordeiro imbecil. — suspirei.
    — Que leão masoquista e doentio.
    • Edward Cullen e Bella Swan, Capítulo 13.
  • "Se eu pudesse sonhar, seria com você. Não me envergonharia disso."
    • Edward Cullen para Bella Swan, Capítulo 14.
  • "Por quase noventa anos andei entre os meus, e entre os seus... O tempo todo pensando que eu era completo comigo mesmo, sem perceber o que procurava. E sem encontrar nada, porque você ainda não estava viva."
    • Edward Cullen para Bella Swan, Capítulo 14.
  • — Eu te amo. — sussurrei.
    — Agora você é a minha vida. — respondeu ele simplesmente.
    • Bella Swan e Edward Cullen, Capítulo 15.
  • — O crepúsculo de novo. — murmurou ele. — Outro fim. Mesmo que o dia seja perfeito. sempre tem um fim.
    • Edward Cullen, Epílogo: Um Acontecimento Especial.

Lua Nova (2006)[editar]

Ver artigo principal: New Moon (livro)
  • "Tonta e desorientada, desviei a atenção do sangue vermelho e brilhante que pulsava de meu braço — e olhei nos olhos febris dos seis vampiros repentinamente vorazes."
    • Bella Swan, Capítulo 1.
  • — Você se esforça muito para compensar uma situação que não foi culpa sua [...]. Você não escolheu esse tipo de vida, e ainda assim tem que se esforçar tanto para ser bom.
    — Não sei se estou compensando alguma coisa. — ele discordou alegremente. — Como tudo na vida, só tive de decidir o que fazer com o que me foi dado.
  • "Naquela noite o céu estava completamente negro. Talvez não houvesse lua — um eclipse lunar, uma lua nova.
    Uma lua nova. Eu tremi, embora não estivesse com frio."
    • Bella Swan, Capítulo 3.
  • "O tempo passa. Mesmo quando isso parece impossível. Mesmo quando cada batida do ponteiro dos segundos dói como o sangue pulsando sob um hematoma. Passa de modo inconstante, com guinadas estranhas e calmarias arrastadas, mas passa. Até para mim."
    • Bella Swan, Capítulo 4.
  • "Eu parecia uma lua perdida — meu planeta destruído em algum cenário desolado de cinema-catástrofe — que continuava, apesar de tudo, a rodar numa órbita muito estreita pelo espaço vazio que ficou, ignorando as leis da gravidade."
    • Bella Swan, Capítulo 9.
  • "Algo de que eu tinha certeza — sabia disso na boca do estômago, no cerne de meus ossos, sabia disso do alto de minha cabeça à sola dos pés, sabia no fundo de meu peito vazio — era que o amor pode dar às pessoas o poder de despedaçar você.
    • Bella Swan, Capítulo 9.
  • Depois que você gosta de uma pessoa, é impossível ser lógica com relação a ela.
    • Bella Swan, Capítulo 13.
  • "Nunca vi nada mais lindo — mesmo enquanto eu corria, ofegando e gritando, pude perceber. E os últimos sete meses nada significaram. E as palavras dele no bosque nada significaram. E não importava se ele não me quisesse. Eu jamais desejaria nada a não ser ele, não importa o quanto vivesse."
    • Bella Swan, Capítulo 20.
  • "Antes de você, Bella, minha vida era uma noite sem lua. Muito escura, mas havia estrelas... Pontos de luz e razão... E depois você atravessou meu céu como um meteoro. De repente tudo estava em chamas; havia brilho, havia beleza. Quando você se foi, quando o meteoro caiu no horizonte, tudo ficou negro. Nada mudou, mas meus olhos ficaram cegos pela luz. Não pude mais ver as estrelas. E não havia mais razão para nada."
    • Edward Cullen, Capítulo 23.

Eclipse (2007)[editar]

Ver artigo principal: Eclipse (livro)
  • "Sou um país neutro. Sou a Suíça. Recuso-me a ser afetada por disputas territoriais entre criaturas míticas."
    • Bella Swan para Edward Cullen, Capítulo 6.
  • "Se houvesse uma maneira de eu me tornar humano por você... por pior que fosse o preço, eu pagaria."
    • Edward Cullen para Bella Swan, Capítulo 12.
  • — Odeio você, Jacob Black.
    — Isso é bom. O ódio é uma emoção apaixonada.
    — Vou lhe dar sua paixão. — murmurei. — Assassinato, o crime definitivo de paixão."
  • [...] Edward estava no banco traseiro da viatura policial de meu pai, atrás da divisória de fibra de vidro, com cara de quem se divertia — talvez por causa da expressão alegre de meu pai, e do sorriso que se alargava a cada vez que Charlie olhava Edward pelo retrovisor.
    • Bella Swan, Capítulo 16.
  • "Eles se destacavam do resto da multidão, com sua beleza e graça de outro mundo. Perguntei-me como pude ter caído naquela sua farsa sobre serem humanos. Um casal de anjos, parado ali com as asas intactas, seria mais discreto."
    • Bella Swan sobre Alice and Edward Cullen, Capítulo 16.
  • "Perguntei-me se eu era um monstro. Não do tipo que ele [Edward] julgava ser, mas um monstro real. Do tipo que magoa as pessoas. Do tipo que desconhecia limites quando se tratava de fazer o que queria."
    • Bella Swan, Capítulo 19.
  • — [...] Sabe, Jacob, se não fosse pelo fato de sermos inimigos naturais e você também estar tentando roubar a razão de minha existência, eu podia gostar de você.
    — Talvez... se você não fosse um vampiro repugnante planejando tirar a vida da garota que eu amo... bom, não, nem assim.
    • Edward Cullen e Jacob Black, Capítulo 22.
  • "[...] quando eu a deixei, Bella, deixei-a sangrando. Foi Jacob que a suturou. Isso tinha de deixar sua marca... nos dois. Não tenho certeza se esse tipo de sutura se dissolve sozinha."
    • Edward Cullen, Capítulo 24.
  • "Eu sou perfeito para você, Bella. Teria sido tranquilo para você... confortável, fácil como respirar. Era o caminho natural que sua vida teria tomado [...]. Se o mundo fosse como devia ser, se não houvesse monstros e nenhuma magia..."
    • Jacob Black, Capítulo 26.
  • — Ele é como uma droga para você, Bella. — Sua voz ainda era gentil e nada crítica. — Vejo que você não pode viver sem ele agora. É tarde demais. Mas eu teria sido mais saudável. Não uma droga; eu teria sido o ar, o sol.
    O canto de minha boca se virou para cima num meio-sorriso tristonho.
    — Antigamente eu pensava em você assim, sabia? Como o sol. Meu sol particular. Você compensava bem as nuvens para mim.
    Ele suspirou.
    — Com as nuvens eu posso lidar. Mas não posso lutar com um eclipse.
    • Jacob Black e Bella Swan, Capítulo 26.

Breaking Dawn (2008)[editar]

Ver artigo principal: Breaking Dawn (livro)
  • — Não tenha medo. — murmurei. — Nós pertencemos um ao outro.
    De repente, fui dominada pela verdade de minhas palavras. Aquele momento era tão perfeito, tão correto, que não havia dúvidas.
    • Bella Cullen para Edward Cullen, Capítulo 5.
  • — Quer que eu cante para você? Vou cantar a noite toda, se isso afugentar os sonhos ruins.
    • Edward Cullen to Bella Cullen, Capítulo 6.
  • — Eu te disse... — comecei.
    — Você sabia que "Eu te disse" tem um irmão, Jacob? — perguntou ela, interrompendo-me. — O nome dele é "Cala essa boca".
    • Jacob Black e Bella Cullen, Capítulo 10.
  • Eles são vampiros, afinal, admitiu Seth depois de um minuto, compensando a reação de Leah. Quer dizer, faz sentido. E se isso ajuda Bella, então é bom, não é?
    Leah e eu o encaramos.
    O que foi?
    Mamão deixou Seth cair muitas vezes quando ele era bebê, Leah me disse.
    De cabeça, aparentemente.
  • — Conhece essa, psicopata: sabe como os neurônios de uma loura morrem? [...] Os neurônios de uma loura morrem de solidão.
  • "Podia perceber — como o Universo girava em torno daquele único ponto. Eu nunca tinha enxergado a simetria do Universo, mas agora ela era clara.
    A gravidade da Terra não me prendia mais ao lungar em que eu estava.
    Agora era a garotinha nos braços da vampira loura que me mantinha ali.
    Renesmee.
    • Jacob Black, Capítulo 18.
  • — Seu vira-lata estúpido! Como pôde? O meu bebê!
    Enquanto eu o perseguia, ele saiu pela porta da frente, quase correndo de costas para a escada.
    — Não foi ideia minha, Bella!
    — Eu a segurei apenas uma vez e você já acha que tem algum direito idiota de lobo sobre ela? Ela é minha. [...] Como ousa ter imprinting com minha filha? Você enlouqueceu?
    • Bella Cullen e Jacob Black, Capítulo 22.
  • — [...] Vamos tirar a sorte. — sugeriu Alice. — Pedra, papel, tesoura. [...]
    — Por que não me diz logo quem venceu? — disse Edward, irônico.
    — Eu. Ótimo.
    • Alice e Edward Cullen, Capítulo 24.
  • — [...] Quem os governa, nômades? Vocês respondem aos desejos de alguém, além dos próprios? São livres para escolher seu caminho ou os Volturi decidirão como vocês vão viver?
    Eu vim testemunhar. Fico para lutar. Os Volturi não se importam com a morte da criança. O que eles buscam é a morte de nosso livre-arbítrio.
  • E assim, alegremente, [Edward e eu] continuamos aquela parte pequena e perfeita de nossa eternidade.
    • Bella Cullen, Capítulo 39.

Fontes[editar]

  • Meyer, Stephenie. (2008). Crepúsculo. [Tradução de Ryta Magalhães Vinagre]. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 416, 1ª Edição. ISBN 978-85-98078-30-4
  • Meyer, Stephenie. (2008). Lua Nova. [Tradução de Ryta Magalhães Vinagre]. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 480, 1ª Edição. ISBN 978-85-98078-35-9
  • Meyer Stephenie (2009). "Eclipse". [Tradução de Ryta Magalhães Vinagre]. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 446, 1ª Edição. ISBN 978-85-98078-41-0
  • Meyer Stephenie (2009). "Amanhecer". [Tradução de Ryta Magalhães Vinagre]. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 576, 1ª Edição. ISBN 978-85-98078-46-5

Referências[editar]

Referências