Saltar para o conteúdo

Michel de Montaigne

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
(Redirecionado de Michel Montaigne)
Michel de Montaigne
Michel de Montaigne
Retrat suposat de Montaigne, dit «de Chantilly», executat per un autor anònim
Nascimento 28 de fevereiro de 1533
Saint-Michel-de-Montaigne (Reino da França)
Morte 13 de setembro de 1592 (59 anos)
Saint-Michel-de-Montaigne (Reino da França)
Cidadania Reino da França
Progenitores
  • Pierre Eyquem de Montaigne
Cônjuge Françoise de La Chassaigne
Alma mater
  • Colégio de Guiana
  • Universidade de Toulouse
Ocupação filósofo, tradutor, jurista, ensaísta, autobiógrafo, político, poeta advogado, moralistas franceses, escritor
Obras destacadas Ensaios
Religião Igreja Católica
Assinatura

Michel de Montaigne (?) foi um escritor francês.


Verificadas[editar]

  • "É uma perfeição absoluta, dir-se-ia divina, sabermos desfrutar lealmente do nosso ser."
- C'est une absolue perfection, et comme divine, de savoir jouir loyalement de son être
- Sagesse de Montaigne: Chapitres des Essais - Página xii, Michel de Montaigne, Club des libraries de France · 1957
  • "A verdadeira liberdade está no poder sobre si mesmo."
- Liberté. La vraie, c'est pouvoir toute chose sur soi
- Œuvres de Michel de Montaigne: avec une notice biographique, página 801, Michel de Montaigne - A. Desrez, 1838
  • "Todas as outras ciências são nocivas para quem não possui a ciência da bondade.
- Toute autre science est dommageable à celui qui n'a la science de la bonté.
- Œuvres de Michel de Montaigne: avec une notice biographique - Página xxxviii, Michel de Montaigne, Jean Alexandre C. Buchon, Jean-François Payen - A. Desrez, 1837 - 806 páginas
  • "A crença na bondade alheia não é um testemunho claro da própria bondade."
- La fiance de la bonté d'autrui est un non léger témoignage de la bonté propre.
- Bibliothèque universelle des dames: Morale - Tomo 12, Página 222, Michel Eyquem de Montaigne - 1788
- Les lois de la conscience que nous disons naître de nature, naissent de la coutume
- Œuvres de Michel de Montaigne: avec une notice biographique - página 798, Michel de Montaigne, ‎Jean Alexandre C. Buchon, ‎Jean-François Payen - A. Desrez, 1837

Obras[editar]

Ensaios[editar]

  • "Os príncipes me dão muito quando não me tiram nada e me fazem bem bastante quando não me fazem mal; é tudo o que lhes peço."
- Les princes me donnent prou, s'ils ne m'ostent rien ; et me font assez de bien, quand ils ne méfait point de mal : c'est tout ce que i'en demande.
- Essais de Michel de Montaigne, página 504, Michel de Montaigne, Firmin Didot, 1838, 648 páginas
- Le profit de l'vn est dommage de l'autre.
- Les Essais: édition nouvelle corrigée suivant les premières Impressions de L'Angelier. Avec la vie de l'Autheur extraicte de ses propres escrits, página 52, Michel de Montaigne - Michel Blageart, 1640 - 750 páginas
  • "Belas almas são as universais, abertas e prontas para tudo."
- Mais les belles ames, ce sont les ames universelles, ouvertes et prunes à tout
- Essais de Michel, seigneur de Montaigne, etc - Página 230, Michel de Montaigne - 1818
- pourquoi est-il non plus permis aux pères et aux pédants de fouetter les enfants et les châtier étant en colère ? ce n'est plus correction, c'est vengeance.
- Essais - Página 347, Michel de Montaigne - Périsse Frères, 1847 - 526 páginas

Livro 1[editar]

  • "Se fosse para buscar os favores do mundo, teria me enfeitado de belezas emprestadas. Quero que me vejam aqui em meu modo simples, natural e corrente, sem pose nem artifício: pois é a mim que retrato."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Ao leitor, p. 37, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Ensinar os homens a morrer é ensiná-los a viver".
- (Ensaios, Livro I, Capítulo XX - "De como filosofar é aprender a morrer")
  • "Meditar sobre a morte é meditar sobre a liberdade; quem aprendeu a morrer, desaprendeu de servir; nenhum mal atingirá quem na existência compreendeu que a privação da vida não é um mal; saber morrer nos exime de toda sujeição e coação."
- (Ensaios, Livro I, "De como filosofar é aprender a morrer)
  • "Cada qual considera bárbaro o que não se pratica em sua terra."
- (Ensaios, Livro I, "Dos canibais")
  • "Não é uma alma que se forma, não é um corpo que se forma, é um homem. Não se deve separa-los."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. I, Cap. XXV, p. 113, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "O verdadeiro espelho de nossos discursos é o curso de nossas vidas."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. I, Cap. XXV, p. 117, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. I Cap. XXV, p. 122, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Os apressados que têm um desejo frenético de encontrar a cura se deixam levar por todo tipo de conselho."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. I, Cap. XXV, p. 126, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Quanto mais vazia a alma, e sem contrapeso, mais facilmente se verga sobre a carga da primeira persuasão."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. I, Cap. XXVI, p. 132, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Quantas coisas pouco verossímeis existem, testemunhadas por pessoas de ; se não podemos convencermos, ao menos devemos deixa-las em suspenso; pois condena-las como impossíveis é pretender conhecer, por uma temerária presunção até onde vai a possibilidade."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. I, Cap. XXVI, p. 135, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
- aussi y a-il des pertes triomphantes à l'envi des victoires.
- Les Essais: Donnez Sur Les Plus Anciennes Et Les Plus Correctes Editions: ... Avec des Notes, & de nouvelles Tables Des Matieres beaucoup plus utiles que celles qui avoient paru jusqu'ici, Volume 1, Capitre XXX - página 214, Michel Eyquem de Montaigne, Pierre Coste, Editora Societe, 1725, 362 páginas
  • "O que deveis procurar não é mais do que o mundo fala de vós, mais como deves falar de vós mesmo."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. 1 Cap. XXXVIII, p. 178, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "A posição de um homem que mistura a devoção com uma vida execrável parace ser bem mais condenável que a de um homem coerente consigo mesmo e inteiramente dissoluto."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. I, Cap. LVI, p. 182, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Fastidiosa enfermidade, a de se crer tão forte a ponto de persuadir-se de que não é possível acreditar no contrário."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. I, Cap. LVI, p. 184, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.

Livro 2[editar]

- Mon métier et mon art, c'est vivre
- Essais, Livre II, Chapitre "De l'exercitation", - Página 212, Michel de Montaigne - Périsse Frères, 1847 - 526 páginas
  • "Mesmo se pudesse me fazer temido, gostaria mais ainda de me fazer amado."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. II, Cap. VIII, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Quando se julga uma ação particular é preciso considerar várias circunstâncias, e o homem por inteiro que a produziu, antes de batiza-la."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. II, Cap. XI, p. 269, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
- la couardise est mere de la cruauté
- Les Essais: ensemble la vie de l'autheur et 2 tables, Livre second, Chapitre‎ XXVII - Página 509, Michel Eyquem de Montaigne - 1652
  • "Parece a cada homem que ele é a melhor forma da natureza humana: todos os outros devem ser regulados de acordo com ele."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. II, Cap. XXXII, p. 289, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Todas as tendencias que nascem em nós sem razão são viciantes: é uma espécie de doença que se deve combater."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. II, Cap. XXXVII, pp. 312-13, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. II, Cap. XXXVII, p. 334, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Não detesto as opiniões contrárias as minhas. Estou muito distante de me assustar ao ver discordâncias entre meus julgamentos e os dos outros e não me torna incompátivel com a sociedade por terem outra opinião e partido que não o meu."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. II, Cap. XXXVII, p. 341, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade."
- Et ne feut iamais au monde deux opinions pareilles, non plus que deux poils, ou deux grains : leur plus universelle qualité , c'est la diversité.
- Essais: avec des sommaires analytiques, et les notes de tous les commentateurs; precedes de la preface de Mademoiselle de Gournay et d'un pr℗ecis de la vie de Montaigne‎, Livre II, Chapitre XXXVII - Página 330, Michel Eyquem de Montaigne, Marie de Jars de Gournay - Tardieu-Denesle, 1828 - 391 páginas

Livro 3[editar]

  • "Os outros formam o homem, e eu o relato."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. II, p. 346, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Se o mundo se queixa de que falo de mais de mim, queixome de que ele não pensa se quer em si mesmo."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. II, p. 347, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Tenho minhas leis e meu tribunal para julgar a mim mesmo, e a eles me dirijo mais que a outro lugar. Restrinjo minhas ações em função dos outros, mas só as entendo em função de mim. Só vós é que sabeis se sois covarde e cruel, ou leal e devotado: os outros não nos veem, advinham-vos por conjecturas incertas; vem não tanto vossa natureza como vossa arte. Por isso, não confiais em sua sentença, confiais na vossa."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. II, p. 350, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Prefiro ter menos fama. E só me jogo ao mundo pela parte que dele tiro. Quando eu partir, ele estará quite comigo."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. II, p. 352, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Prezo pouco minhas opiniões, mas prezo igualmente a dos outros."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. II, p. 359, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Se me coubesse formar-me do meu jeito, não haveria nenhum feitio tão bom em que desejasse me fixar a ponto de não poder me desprender dele."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. III, p. 365, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Prefiro formar a minha alma a mobila-la."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. III, p. 366, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "A leitura me serve eme special para despertar, por objetos diversos, minha reflexão, para fazer trabalhar meu julgamento, não minha memória."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III Cap. III p. 366, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III Cap. III p. 370, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Hão de se contentar em valorizar as riquezas próprias e naturais. Escondem e encobrem suas belezas sobre belezas estrangeiras: é uma grande asneira abafar a própria claridade, para brilhar com uma luz emprestada,"
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. III, p. 370, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Quando jovem estudava por ostentação; depois, um pouco para tornar-me sábio; agora para me divertir, nunca pelo proveito."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. III, p. 380, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "A pior de minhas ações ou qualidades não me parece tão feita como acho feio e covarde não poder confessa-la."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. V, p.390, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Para eles, não há explicação mais convincente do que suas conclusões."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv.III, Cap. XI, p.503, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Do que digo não garanto outra certeza se não que é o que naquele momento o que eu tinha no pensamento."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. XI, p. 506, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "[Sobre os prazeres] não devemos persegui-los nem fugir deles, devemos aceita-los."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. XIII, p. 569, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "Não há nada tão belo e legítimo quanto agir como um homem deve agir, nem ciência tão ardua como saber viver esta vida. E de nossas doenças, a mais selvagem é desprezar nosso ser."
- Montaigne, Os Ensaios, Uma Seleção (2010), Liv. III, Cap. XIII, p. 574, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.
  • "A palavra é a metade de quem a pronuncia, metade de quem escuta".
- (Ensaios, Livro III, Capítulo XIII - "Da experiência")
  • "Os homens tendem a acreditar, sobretudo, naquilo que menos compreendem".
- Les hommes croient surtout ce qu'ils ne comprennent pas
- MONTAIGNE : Les Essais - III Traduction en français moderne, página 306, Guy de Pernon, 2008, ISBN 2918067008, 9782918067009


Atribuídas[editar]

  • "Dai-lhes bons vinhos e eles vos darão boas leis".
- versez-leur du bon vin, ils feront de bonnes lois.
- Montaigne citado em L'Événement du jeudi - Edições 309-312 - Página 14, S.A. L'Evénement du jeudi, 1990
  • "O que o teme sofre, sofre já de seu medo"
- Qui craint de souffrir, souffre déjà ce qu'il craint.
- Citado em "Dictionnaire universel de la langue française, avec le latin et les étymologies [...]: suivi d'un complément Manuel encyclopédique et de grammaire, d'orthographe, de vieux langage, de néologie" - Página 240, Pierre Claude Victor Boiste - Verdières, 1823 - 924 páginas
  • "Eu sei bem do que eu estou fugindo, mas não o que eu estou buscando".
- je sais bien ce que je fuis, mais non pas ce que je cherche
- Montaigne citado em "Le conservateur", Volume 3 - página 182, François-René de Chateaubriand, Editora Le Normant fils, 1819
  • "Não me encontro onde procuro, mas de repente, quando menos espero".
- Como citado in: Exame - Volume 4 - Página 188, Editora Exame, 1992
  • "Apenas pelas palavras o ser humano alcança a compreensão mútua. Por isso, aquele que quebra a sua palavra atraiçoa toda a sociedade humana".
- Como citado in; Rosa Dourada - Página 63, Rosângela Isabel Teixeira Coelho Dos Santos - Clube de Autores, 2006
  • "O que sou eu sou para mim mesmo importa mais do que eu significo para os outros".
- Como citado in: Veja - Volume 40,Edições 26-29 - Página 9, 2007
  • "A arte mascara e oculta."
- Como citado in: Arte é o que eu e você chamamos arte 801 definições sobre arte e o sistema da arte, página 13, Frederico Morais - Editora Record, 2000, ISBN 8501050024, 9788501050021 - 319 páginas


Referências

  1. «Citações». Revista Caras. 13 de Março de 2009 

Ligações externas[editar]

Os Ensaios de Montaigne Online e Completos em Francês