John Green

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Green
John Green
John Green em outros projetos:

John Green (Indianápolis, 24 de agosto de 1977) é um vlogger e escritor Norte-Americano.



Quem é Você, Alasca? (2005)[editar]

  • "François Rabelais. Era poeta. Suas últimas palavras foram: Saio em busca de um Grande Talvez. é por isso que estou indo embora. Para não ter de esperar a morte para procurar o Grande Talvez."
-Miles "Gordo" Halter, p.4

  • "Chega uma hora em que é preciso arrancar o Band-Aid. Dói, mas pelo menos acaba de uma vez e ficamos aliviados."
-Miles "Gordo" Halter, p.7

  • "E seu apelido vai ser... hmmm... Gordo.
    Como?
    Gordo, o Coronel disse. Porque você é magricela. Isso se chama ironia, Gordo. Já ouviu falar? Agora vamos arranjar uns cigarros para começar o ano com o pé direito.
-Chip "Coronel" Martin e Gordo, p.14

  • "Ele - ou seja, Simón Bolívar - 'estremeceu diante da revelação de que a corrida arrojada entre seus males e seus sonhos estava chegando ao fim. O resto eram trevas. 'Droga', ele suspirou. 'Como sairei deste labirinto?'"
-Alasca Young, p.19'

  • "O labirinto é a vida ou a morte? Do que ele está tentando escapar - do mundo ou do fim do mundo?"
-Alasca Young, p.20

  • "Você realmente leu todos aqueles livros em seu quarto?
    Ela riu. Não, é claro que não! Talvez tenha lido um terço daquilo. Mas vou ler todos. Eu os chamo de Biblioteca da Minha Vida. Desde pequena, percorro as vendas de garagem em busca de livros que pareçam interessantes. Então estou sempre lendo algum livro."
-Gordo e Alasca, p.20

  • "Podemos fazer muitas críticas ao Alabama, mas uma coisa é certa: as pessoas de lá não morrem de medo de fritura."
-Gordo, p.23

  • "Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer."
-Alasca Young, p.45

  • "Eu queria ser uma dessas pessoas que têm uma sequência a manter, que chamuscam o chão com sua intensidade. Mas agora, pelo menos, eu conhecia pessoas desse tipo, e elas precisavam de mim como um cometa precisa de uma cauda."
-Gordo, p.51

  • "Posso morrer jovem, ela disse, mas pelo menos morro inteligente."
-Alasca Young, p.54

  • "Cruzes! Não posso ser uma dessas pessoas que ficam sentadas falando que pretendem fazer isso e aquilo. Eu vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia.
    Como assim?
    Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente."
-Alasca e Gordo, p.55 e 56

  • "Às vezes, não entendo você., eu disse.
    Ela nem mesmo olhou pra mim. Apenas sorriu para a tevê e disse: Você nunca me entende. Essa é a graça."
-Gordo e Alasca, p.56

  • "Ela tem peitos lindos, o Coronel disse sem tirar os olhos da baleia.
    NÃO OBJETIFIQUE O CORPO DA MULHER!, Alasca gritou.
    Então ele olhou por sobre o livro. Desculpa. Peitos firmes.'
    'Dá no mesmo!

    Claro que não!, ele disse. Lindo é uma opinião sobre o corpo de uma mulher. Firme é apenas uma observação. Eles são firmes. Meu Deus!"
-Coronel e Alasca, p.61

  • "Deus punirá os perversos. E, antes que Ele os puna, nós os puniremos."
-Coronel, p.73

  • "Tenho medo de fantasmas, Gordo. E minha casa está cheia deles."
-Alasca Young, p.82

  • "Não é nem a vida nem a morte, o labirinto.
    Hmm..., certo. É o quê?
    O sofrimento, ela disse. São as coisas erradas que fazemos e as coisas erradas que fazem conosco. Essa é a questão. Bolívar estava falando sobre a dor, não sobre a vida e a morte. Como saímos deste labirinto de sofrimento?"
-Alasca e Gordo, p.84

  • "Simples assim. De centenas de quilômetros por hora ao repouso em um nanossegundo. Eu queria tanto me deitar ao lado dela, envolvê-la em meus braços e adormecer. Não queria transar, como nos filmes. Nem mesmo fazer amor. Só queria dormir com ela no sentido mais inocente da palavra. Mas eu não tinha coragem. Ela tinha namorado. Eu era um palerma. Ela era apaixonante. Eu era irremediavelmente sem graça. Ela era infinitamente fascinante. Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão."
-Gordo, p.91

  • "Sorte é coisa de otário."
-Alasca Young, p.117

  • "Isso é o medo: Perdi uma coisa importante, não consigo achá-la, preciso dela. É o que a pessoa sentiria se perdesse os óculos, fosse até uma óptica e descobrisse que todos os óculos do mundo tinham se acabado e que, agora, ela teria de se virar sem eles."
-Gordo, p.148

  • "Mas que diabos significa “instantâneo”? Nada é instantâneo. Arroz instantâneo leva cinco minutos, pudim instantâneo uma hora. Duvido que um instante de dor intensa pareça instantâneo.”
-Alasca, p.150

  • "Você não pode me mudar e depois ir embora, disse para ela, em voz alta. Porque eu estava bem, Alasca. Estava bem, só eu, as últimas palavras e os amigos da escola. Você não pode me mudar e depois morrer. Pois ela tinha personificado o Grande Talvez - tinha me mostrado que valia a pena deixar a minha vidinha e sair em busca de talvezes maiores, mas agora ela estava morta, assim como minha esperança no talvez."
-Gordo, p.177

  • "'Vou derramar este balde de água sobre as chamas do inferno e depois vou queimar os portões do paraíso com esta tocha para que as pessoas amem Deus não por desejarem o paraíso e por temerem o inferno, mas por ele ser Deus.'"
-Sr. Hyde, p.178

  • "Se pararmos de desejar que as coisas perdurem, não iremos sofrer quando elas desmoronarem"
-Alasca, p.201

  • "O labirinto é uma droga, mas eu o escolho."
-Coronel, p.222

  • "[...] tínhamos que perdoar para sair do labirinto."
-Gordo, p.224

  • "Eu sempre amaria Alasca Young, minha vizinha pervertida, com todo o meu pervertido coração."
-Gordo, p.224

  • "Quando os adultos dizem: 'Os adolescentes se acham invencíveis', com aquele sorriso malicioso e idiota estampado na cara, eles não sabem quanto estão certos. Não devemos perder a esperança, pois jamais seremos irremediavelmente feridos. Pensamos que somos invencíveis poque realmente somos. Não nascemos, nem morremos. Como toda energia, nós simplesmente mudamos de forma, de tamanho e de manifestação. Os adultos se esquecem disso quando envelhecem. Ficam com medo de fracassar. Mas essa parte que é maior do que a soma das partes não tem começo e não tem fim, e, portanto, não pode falhar.
    Eu sei que ela me perdoa, assim como eu a perdoo. As últimas palavras de Thomas Edison foram: “O outro lado é muito bonito”. E não sei onde fica o outro lado, mas acredito que seja em algum lugar e espero que seja bonito."
-Gordo, p.226

O Teorema Katherine (2006)[editar]

  • Uma das regras fundamentais em sua vida era nunca fazer em pé qualquer coisa que pudesse realizar, com a mesma facilidade, deitado.
    • Colin Singleton
  • Quero chorar, então devo estar chorando.
    • Colin Singleton
  • Só que as mães mentem. Está na descrição do cargo delas.
    • Colin Singleton, p. 8
  • Então ficou deitado ali imaginando se o seu pesar pararia, e repetiu mentalmente a já decorada mensagem, e quis cair no choro, mas em vez disso sentiu apenas uma dor no plexo solar. Chorar é algo a mais: é você mais as lágrimas. Mas o sentimento que Colin carregava era um macabro choro ao contrário. Era você menos alguma coisa.
    • Colin Singleton, p. 12
  • Doía como a pior surra que já tomara. E ele já havia tomado muitas.
    • Colin Singleton, p. 12
  • Ele gostava de todos os livros, porque adorava o simples ato de ler, a magia de transformar os rabiscos de uma página em palavras dentro da cabeça.
    • Colin Singleton
  • A saudade o mantinha mais desperto que o café.
    • Colin Singleton, p. 23
  • Colin estava convencido de que o mundo continha exatamente dois tipos de pessoas: os Terminantes e os Terminados. Muita gente poderá argumentar que se enquandra em ambos, mas quem diz isso não entende direito o "x" da questão: você é predisposto a um destino ou ao outro. Pode ser que um Terminante nem sempre parta o coração de alguém e um Terminado nem sempre tenha o coração partido. Mas todo mundo segue uma tendência.
    • Colin Singleton, p. 24
  • Pelo amor de Deus, ele só queria brincar de robô. O que havia de tão errado nisso?
    • Colin Singleton, p. 29
  • Aquele sorriso seria capaz de pôr fim a guerras e curar o câncer.
    • Colin Singleton, p. 44
  • Qual o sentido de estar vivo se você nem ao menos tenta fazer algo extraordinário?
    • Colin Singleton, p. 46
  • Colin não riu. Em vez disso, pensou: Absorventes internos têm cordinhas? Por quê? De todos os grandes mistérios da humanidade — Deus, a natureza, o universo etc. —, esse era o que ele menos conhecia. Para Colin, esses absorventes eram um pouco como os ursos-pardos: estava ciente da existência deles, mas nunca tinha visto um solto por aí, e também não fazia muita questão.
    • Colin Singleton, p. 79
  • Nunca fora tão bom assim em matemática, 30 mas era um maldito de um especialista mundialmente famoso em levar o fora das namoradas.
    • Colin Singleton, p. 83
  • As pessoas simplesmente gostam de Hassan, do mesmo jeito que gostam de fast food e de celebridades.
    • Colin Singleton, p. 84
  • Na hora que Colin se sentou, Hollis perguntou a Hassan: "Cê gostaria de fazer uma oração?"
    "Claro." Hassan pigarreou.
    "Bismillah". E pegou o garfo.
    "Só isso?" Hollis perguntou, curiosa.
    "Só. Somos um povo conciso. Conciso e faminto."
    • Hollis Wells and Hassan Harbish, p. 84
  • Era algo, ele pensava, que os escritores sempre faziam: escrever as coisas de um jeito diferente do que são na verdade.
    • Colin Singleton, p. 95
  • Queria prolongar o momento antes da hora H — porque, por melhor que seja a sensação do beijo, nada é melhor que a expectativa do beijo.
    • Colin Singleton, p. 106-107
  • Só quero fazer alguma coisa que seja importante. Ou ser alguma coisa importante. Eu só quero ser importante.
    • Colin Singleton, p. 126
  • É possível amar muito alguém, ele pensou. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela.
    • Colin Singleton, p. 141
  • Os livros são o melhor exemplo de Terminado: deixe-os de lado e eles o esperarão para sempre; dê-lhes atenção e sempre retribuirão seu amor
    • Colin Singleton, p. 148
  • Como alguém para de ter pânico de ser deixado para trás e acabar sozinho para sempre e não significar nada para o mundo?
    • Colin Singleton, p. 179

Cidades de Papel (2008)[editar]

  • "Mas as coisas vão acontecendo... as pessoas se vão, ou deixam de nos amar, ou não nos entendem, ou nós não as entendemos... E nós perdemos, erramos, magoamos uns aos outros. E o navio começa a rachar em determinados lugares. E então, quando o navio racha, o final é inevitável. (...) Mas ainda há um momento entre o momento em que as rachaduras começam a se abrir e o momento em que nós rompemos por completo. E é nesse intervalo que conseguimos enxergar uns aos outros."
    • Quentin Jacobsen, p.358
  • "Isso sempre me pareceu tão ridículo, que as pessoas pudessem querer ficar com alguém só por causa da beleza. É como escolher o cereal de manhã pela cor, e não pelo sabor."
    • Margo Roth Spiegelman, p.47
  • "Uma cidade de papel para uma menina de papel. (…) Eu olhava para baixo e pensava que eu era feita de papel. Eu é que era uma pessoa frágil e dobrável, e não os outros. E o lance é o seguinte: as pessoas adoram a ideia de uma menina de papel. Sempre adoraram. E o pior é que eu também adorava. Eu tinha cultivado aquilo, entende? Porque é o máximo ser uma ideia que agrada a todos. Mas eu nunca poderia ser aquela ideia para mim, não totalmente."
    • Margo Roth Spiegelman, p.348
  • "Mas ainda há um tempo entre o momento em que as rachaduras começam a se abrir e o momento em que nós nos rompemos por completo. E é nesse intervalo que conseguimos enxergar uns aos outros, por que vemos além de nós mesmos, através de nossas rachaduras, e vemos dentro dos outros através das rachaduras deles."
    • Quentin Jacobsen, p.358
  • "Nada acontece como a gente acha que vai acontecer."
    • Margo Roth Spiegelman, p.354
  • "Ela amava tanto mistérios que se tornou um."
    • Quentin Jacobsen, p.17
  • "O segredo que só agora eu havia descoberto: ir embora é uma sensação boa e pura apenas quando você abandona uma coisa importante, algo que tinha um significado. Arrancando a vida pela raiz. Mas só se pode fazer isso quando sua vida já criou raízes."
    • Quentin Jacobsen, p.267
  • "Minha dádiva foi a seguinte: de todas as casas em todos os condados em toda a Flórida, eu era vizinho de Margo Roth Spiegelman."
    • Quentin Jacobsen, p.11
  • "Que coisa mais traiçoeira é acreditar que uma pessoa é mais do que uma pessoa."
    • Quentin Jacobsen, p.337
  • "Talvez ela merecesse ser esquecida. Porém, de qualquer modo, eu não podia esquecê-la."
    • Quentin Jacobsen, p.187

A Culpa É Das Estrelas (2012)[editar]

  • "Faltando pouco para eu completar meu décimo sétimo ano de vida minha mãe resolveu que eu estava deprimida, provavelmente porque quase nunca saía de casa, passava horas na cama, lia o mesmo livro várias vezes, raramente comia e dedicava grande parte do meu abundante tempo livre pensando na morte."
    • Hazel Grace Lancaster, p. 11, Primeiro Parágrafo.
  • "Só que, na verdade, a depressão não é um efeito colateral do câncer. É um efeito colateral de se estar morrendo. (O câncer também é um efeito colateral de se estar morrendo. Quase tudo é, na verdade.)"
    • Hazel Grace Lancaster, p. 11
  • "Só tem uma coisa pior nesse mundo que bater as botas aos dezesseis anos por causa de um câncer: ter um filho que bate as botas por causa de um câncer"
    • Hazel Grace Lancaster, p. 14-15
  • "Às vezes, um livro enche você de um estranho fervor religioso, e você se convence de que esse mundo despedaçado só vai se tornar inteiro de novo a menos que, e até que, todos os seres humanos o leiam."
    • Hazel Grace Lancaster, p. 37
  • "Às vezes as pessoas não tem noção das promessas que estão fazendo no momento em que as fazem"
    • Hazel Grace Lancaster, p. 61
  • "Esse é o problema da dor – o Augustus disse, e ai olhou para mim. – Ela precisa ser sentida."
    • Augustus "Gus" Waters, p. 63
  • "Se ela estivesse melhor ou o senhor, mais doente, então as estrelas não estariam tão terrivelmente cruzadas, mas é da natureza das estrelas se cruzar, e nunca Shakespeare esteve tão equivocado como quando fez Cássio declarar: 'A culpa, meu caro Bruto, não é das nossas estrelas / Mas de nós mesmos.' Fácil falar quando se é um nobre romano (ou Shakespeare!), mas não ha qualquer escassez de culpa em meio às nossas estrelas."
    • Peter Van Houten, p. 106
  • "Enquanto ele lia, me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra."
    • Hazel Grace Lancaster, p. 118
  • "O mais estranho nas casas é que quase sempre elas são a impressão de que não tem nada acontecendo do lado de dentro, embora a maior parte das nossas vidas seja passada lá. Fiquei me perguntando se esse seria mais ou menos o objetivo da arquitetura.
    • Hazel Grace Lancaster, p. 130
  • "Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você".
    • Augustus "Gus" Walters, p. 130
  • “Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros… Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.”
    • Hazel Grace Lancaster, p. 235
  • " Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações."
    • Augustus "Gus" Waters, p. 281
  • "Não dá para escolher se você vai ou não vai se ferir neste mundo, meu velho, mas é possível escolher quem vai feri-lo."
    • Augustus "Gus" Waters, p. 283