Discussão:Bertolt Brecht

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

"Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário. E agora não contente querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence."

Em que livro se encontra esse poema?

O estilo não parece Brecht, e o uso do verbo "privatizar" não me parece compatível com o período histórico em que Brecht viveu.

Alguém pode esclarecer?

Em portugues tem duas obras que citam a frase:
4 x Brasil: itinerários da cultura brasileira - página 84, Fernando Luis Schüler, Gunter Axt, Artes e Ofícios, 2005, ISBN 8574211273, 9788574211275, 270 páginas
Redação Oficial: conforme decreto no 4.176/28.3.2002 - página 221, EDWALDO CRUZ, Editora UFAL, 2008, ISBN 8571774005, 9788571774001, 280 páginas
Ver ainda http://web.onda.com.br/charlesb/citacao/Bertold_Brecht.htm
No mínimo a frase deve ser separada numa seção tipo atribuidas.
--Chico (discussão) 12h41min de 22 de maio de 2015 (UTC)[Responder]
Então fui ver cada uma dessas possíveis fontes. As duas primeiras não ajudaram muito - a primeira aponta para o Google Books, e só nos dá o texto em português, sem nenhuma atribuição; a segunda dá o "texto completo", que seria o muito famoso e muito citado "Analfabeto Político", com o trecho sobre privatização "anexado" (de uma forma que nem sequer faz muito sentido no conjunto do texto), e atribui tudo a Brecht. Mas é o fac-simile de uma prova de concurso, não me parece que se possa considerar uma fonte confiável.
A terceira (http://web.onda.com.br/charlesb/citacao/Bertold_Brecht.htm) faz algo melhor: dá o suposto texto original alemão,
"Sie privatisierten Ihr Leben, Ihre Arbeit, Ihre Liebesstunde und Ihr Recht des Denkens. Die Private Gesellschaft macht ein Schritt in Front um Ihrem Brot und Ihrem Lohn. Und jetzt, nicht froh, wollen sie das Wissen privatisieren, die Weisheit, der Gedanke, alles gehört doch nur zur Menschheit."
Como não sei alemão, não sei sequer se isso pode ser traduzido da forma como citado aqui. Vejo, pelo menos, que o texto em alemão não tem a superabundância de rimas pobres que caracteriza a suposta tradução em português (e que me levou a achar o trecho incompatível com Brecht, que bem obviamente não gostava de rimas, fossem pobres ou ricas).
De qualquer forma, joguei o texto em alemão no Google. Com aspas, só retorna um resultado, que é justamente a terceira fonte levantada por você, ou seja, um blog pessoal em português. Sem aspas, retorna dois resultados, o blog já considerado, e
http://hettche.de/
que me pareceu ser uma página sobre literatura. Mas usa as palavras do trecho em questão de forma isolada, sem que constituam sequer uma frase. Não dá portanto para considerar como uma fonte.
Vejo também que a citação não consta do Wikiquote em inglês, francês, espanhol ou alemão.
Minha impressão é que Brecht nunca escreveu isso. "Privatização" não era ainda uma palavra da moda quando Brecht faleceu, em 1956 (e muito menos na Alemanha Oriental, onde Brecht vivia), de maneira que parece ser um anacronismo atribuir-lhe um texto sobre o assunto. 177.205.107.250 14h31min de 23 de maio de 2015 (UTC)[Responder]