Davi Kopenawa Yanomami

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Davi Kopenawa Yanomami
Davi Kopenawa Yanomami
Davi Kopenawa Yanomami em outros projetos:

Davi Kopenawa Yanomami, (Amazonas, AM, 18 de fevereiro de 1956) é um escritor, xamã e líder político yanomami.



  • "A floresta está viva. Só vai morrer se os brancos insistirem em destruí-la. Se conseguirem, os rios vão desaparecer debaixo da terra, o chão vai se desfazer, as árvores vão murchar e as pedras vão rachar no calor. A terra ressecada ficará vazia e silenciosa. Os espíritos xapiri, que descem das montanhas para brincar na floresta em seus espelhos, fugirão para muito longe. Seus pais, os xamãs, não poderão mais chamá-los e fazê-los dançar para nos proteger. Não serão capazes de espantar as fumaças de epidemia que nos devoram. Não conseguirão mais conter os seres maléficos, que transformarão a floresta num caos. Então morreremos, um atrás do outro, tanto os brancos quanto nós. Todos os xamãs vão acabar morrendo. Quando não houver mais nenhum deles vivo para sustentar o céu, ele vai desabar."
-A Queda do Céu: Palavras de um Xamã Yanomami. Companhia das Letras, 2019, página 6.
  • "Eu não vi as coisas de que eu falo no papel dos livros nem em peles de imagens. Meu papel está dentro de mim e me foi transmitido pelas palavras dos meus maiores."
-Survival International Public Meeting, 5 de dezembro, 1989
  • "Enquanto os xamãs ainda estiverem vivos, eles poderão evitar a queda do céu, mesmo que ele fique muito doente."
-Ação pela Cidadania, 1990, página 13
  • "Eu poderia falar onde não tem garimpo, que é no estado do Amazonas. Lá as crianças estão saudáveis, tem comida, tem banana, tem macaxeira, tem frutas e, os pais, as mães estão se alimentando junto dos seus filhos."
- Entrevista para o jornal Amazônia Real, 24 de janeiro, 2023, disponível em: https://amazoniareal.com.br/tragedia-humanitaria/.
  • "Quem matou o meu parente, meus irmãos, minha família, foi o presidente Jair Bolsonaro. Nos quatro anos que ele ficou junto com os garimpeiros levou a doença, coronavírus, malária, gripe, disenteria, verminose e outras doenças. Foi ele que matou. Ele matou e foi embora. Se não tivesse matado, estava aqui junto com nós."
- Entrevista para o jornal Amazônia Real, 24 de janeiro, 2023, disponível em: https://amazoniareal.com.br/tragedia-humanitaria/.