Barão de Itararé

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Barão de Itararé em outros projetos:

O Barão de Itararé, pseudônimo de Apparício Fernando de Brinkerhoff Torelly foi um jornalista, escritor e pioneiro no humorismo político brasileiro (29 de janeiro de 1895 - 27 de novembro de 1971).


Almanhaque, 1949[editar]

  • "Todo homem que se vende recebe mais do que vale."
- Almanhaque para 1949, "Almanhaque d'A Manha," primeiro semestre - Página 188; de Aparício Torrelly, BarÃo De ItararÉ, Sergio Luiz Papi - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 853140696X, 9788531406966 - 255 páginas
  • "O fígado faz muito mal à bebida."
- Almanhaque para 1949, "Almanhaque d'A Manha," primeiro semestre - Página 214; de Aparício Torrelly, BarÃo De ItararÉ, Sergio Luiz Papi - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 853140696X, 9788531406966 - 255 páginas
  • "O amor é cego, mas os guardas-civis, não".
- Almanhaque para 1949, "Almanhaque d'A Manha," primeiro semestre - Página 88; de Aparício Torrelly, BarÃo De ItararÉ, Sergio Luiz Papi - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 853140696X, 9788531406966 - 255 páginas
  • "O bacalhau é um peixe lavado e passado a ferro."
- Almanhaque para 1949, "Almanhaque d'A Manha," primeiro semestre - Página 87; de Aparício Torrelly, BarÃo De ItararÉ, Sergio Luiz Papi - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 853140696X, 9788531406966 - 255 páginas
  • "Este mundo é redondo, mas está ficando chato."
- Almanhaque para 1949, "Almanhaque d'A Manha," primeiro semestre; de Aparício Torrelly, BarÃo De ItararÉ, Sergio Luiz Papi - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 853140696X, 9788531406966 - 255 páginas
  • “Há qualquer coisa no ar, além dos aviões de carreira.”
- Almanhaque para 1949, "Almanhaque d'A Manha," primeiro semestre - Página 17; de Aparício Torrelly, BarÃo De ItararÉ, Sergio Luiz Papi - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 853140696X, 9788531406966 - 255 páginas
  • "As mulheres de certa idade nunca são de idade certa."
- Almanhaque para 1949, "Almanhaque d'A Manha," primeiro semestre - Página 187, Barão De Itararé, Sergio Luiz Papi - EdUSP, 2002, ISBN 853140696X, 9788531406966 - 255 páginas

Almanhaque, 1955[editar]

  • "A primeira ação de despejo foi a expulsão de Adão e Eva do Paraíso por falta de pagamento de aluguel e comportamento irregular."
- Almanhaque, 1955, segundo semestre, ou, "Almanaque d'A manha": edição fac-similar - Página 75; de Aparício Torrelly - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 8531406943, 9788531406942 - 192 páginas
  • "Este mês, em dia que não conseguimos confirmar, no ano 453 a.C., verificou-se terrível encontro entre os aguerridos exércitos da Beócia e de Creta. Segundo relatam as crônicas, venceram os cretinos, que até agora se encontram no governo."
- Almanhaque, 1955, segundo semestre, ou, "Almanaque d'A manha": edição fac simile - Página 9; de Aparício Torrelly - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 8531406943, 9788531406942 - 192 páginas
  • "Para este mundo ficar bom, é preciso fazer outro."
- Almanhaque, 1955, segundo semestre, ou, "Almanaque d'A manha": edição fac simile - Página 44; de Aparício Torrelly - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 8531406943, 9788531406942 - 192 páginas
  • "De onde menos se espera, daí é que não sai nada."
- Almanhaque, 1955, segundo semestre, ou, "Almanaque d'A manha": edição fac simile - Página 119; de Aparício Torrelly - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 8531406943, 9788531406942 - 192 páginas
  • "A televisão é a maior maravilha da ciência a serviço da imbecilidade humana."
- Almanhaque, 1955, segundo semestre, ou, "Almanaque d'A manha": edição fac simile - Página 70; de Aparício Torrelly - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 8531406943, 9788531406942 - 192 páginas
  • "Deus dá pente a quem não tem cabelo."
- Almanhaque, 1955, segundo semestre, ou, "Almanaque d'A manha": edição fac simile - Página 114; de Aparício Torrelly - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 8531406943, 9788531406942 - 192 páginas
  • "Quem inventou o trabalho não tinha o que fazer."
- Almanhaque, 1955, segundo semestre, ou, "Almanaque d'A manha": edição fac simile - Página 150; de Aparício Torrelly - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 8531406943, 9788531406942 - 192 páginas

Máximas e Mínimas[editar]

  • "O tambor faz muito barulho, mas é vazio por dentro."
- Máximas e mínimas do Barão de Itararé‎ - Página 423, de Aparício Torrelly, Afonso Félix de Sousa - Publicado por Record, 1985 - 187 páginas
  • "Tempo é dinheiro. Vamos, então, fazer a experiência de pagar as nossas dívidas com o tempo."
- Máximas e mínimas do Barão de Itararé‎ - Página 35, de Aparício Torrelly, Afonso Félix de Sousa - Publicado por Record, 1985 - 187 páginas
  • "Vamos deixar como está para ver como eu fico."
- Máximas e mínimas do Barão de Itararé‎ - Página 67, de Aparício Torrelly, Afonso Félix de Sousa - Publicado por Record, 1985 - 187 páginas
  • "O mal do governo não é a falta de persistência, mas a persistência na falta."
- Máximas e mínimas do Barão de Itararé‎ - Página 70, de Aparício Torrelly, Afonso Félix de Sousa - Publicado por Record, 1985 - 187 páginas
  • "Não é triste mudar de idéias; triste é não ter idéias para mudar."
- citado em "Barão de Itararé‎" - Página 72, de Ernani Ssó - Publicado por Tchê!, 1984 - 101 páginas
  • "Os homens nascem iguais, mas no dia seguinte já são diferentes."
- Máximas e mínimas do Barão de Itararé‎ - Página 28, de Aparício Torrelly, Afonso Félix de Sousa - Publicado por Record, 1985 - 187 páginas
  • "O casamento é uma tragédia em dois atos: um civil e um religioso."
- Máximas e mínimas do Barão de Itararé - página 53, Aparício Torrelly, Afonso Félix de Sousa - Record, 1985 - 187 páginas
  • "Tudo seria fácil se não fossem as dificuldades."
- Máximas e mínimas do Barão de Itararé - página 80, Aparício Torrelly, Afonso Félix de Sousa - Record, 1985 - 187 páginas


Mal atribuídas[editar]

  • "Testamento de pobre se escreve na unha."
- Almanhaque, 1955, segundo semestre, ou, "Almanaque d'A manha": edição fac-similar - Página 62; de Aparício Torrelly - Publicado por EdUSP, 2002 ISBN 8531406943, 9788531406942 - 192 páginas
    • citação similar: "testamento do pobre na unha se escreve."
"Adagios, proverbios, rifãos e anexins da lingua portugueza, tirados dos melhores autores nacionaes, e recopilados por ordem alfabetica" - Página 149; de Francisco Rolland, Tipografia Rolandiana - Publicado por Typ. Rollandiana, 1841 - 150 páginas