Sigmund Freud

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sigmund Freud
Sigmund Freud
Sigmund Freud em outros projetos:

Sigismund Schlomo Freud, mais conhecido, apenas, por Sigmund Freud (6 de maio de 1856 - 23 de setembro de 1939), nascido em Freiberg, Moravia, Áustria. Foi neurologista e fundador da Psicanálise.


  • “A maioria das pessoas não quer realmente a liberdade, pois liberdade envolve responsabilidade, e a maioria das pessoas tem medo de responsabilidade.” [Sigmund Freud] Die meisten Menschen wollen nicht wirklich Freiheit, denn zur Freiheit gehört auch Verantwortung - und davor fürchten sich die meisten Menschen.


  • "Como é ousado aquele que tem a certeza de ser amado."
- How bold one gets when one is sure of being loved."
- Freud, S. (1882). Letter from Sigmund Freud to Martha Bernays, June 27, 1882. Letters of Sigmund Freud 1873-1939, 10-12
  • "Na verdade não sou de forma alguma um homem de ciência, nem um observador, nem um experimentador, nem um pensador. Sou, por temperamento, nada mais que um conquistador - um aventureiro, em outras palavras - com toda a curiosidade, ousadia e tenacidade características desse tipo de homem."
- Fonte: carta a Wilhelm Fliess, 1o. de fevereiro de 1900
  • "Não desejo suscitar convicções, o que desejo é estimular o pensamento e derrubar preconceitos."
- Ich will keine Überzeugungen erwecken — ich will Anregungen geben und Vorurteile erschüttern.
- Gesammelte Schriften, Volume 7‎ - Página 250, Sigmund Freud, Anna Freud - Internationaler psychoanalytischer Verlag, 1924
  • "Não, nossa ciência não é uma ilusão. Ilusão seria imaginar que aquilo que a ciência não nos pode dar, podemos conseguir em outro lugar."
- Nein, unsere Wissenschaft ist keine Illusion. Eine Illusion aber wäre es zu glauben, daß wir anderswoher bekommen könnten, was sie uns nicht geben kann
- Gesammelte Werke: Bd. Werke aus den Jahren 1925-1931. 5. Aufl. 1976‎ - Página 380, Sigmund Freud, Anna Freud - S. Fischer, 1976 - 605 páginas
  • "Não posso ver mérito algum em se ter vergonha da sexualidade."
- Ich kann nicht finden, daß irgend ein Verdienst daran ist, sich der Sexualität zu schämen
- Massenpsychologie und Ich-Analyse‎ - Página 44, Sigmund Freud - Internationaler Psychoanalytischer Verlag, 1921 - 140 páginas
- der Traum sei absolut egoistisch
- Zur Technik der Psychoanalyse und zur Metapsychologie‎ - Página 243, Sigmund Freud - Internationaler Psychoanalytischer Verlag, 1924 - 275 páginas
  • "Um fortalecimento do intelecto tende a dominar a nossa vida instintiva"
- a strengthening of the intellect, which tends to master our instinctive life
- Civilization, war and death: selections from three works‎ - Página 97, Sigmund Freud, John Rickman - Hogarth Press, 1939 - 102 páginas
  • "Religião seria assim a neurose obsessiva universal da humanidade, tal como a neurose obsessiva das crianças, que decorre do Complexo de Édipo, na relação com o pai".
- Religion would thus be the universal obsessional neurosis of humanity, like the obsessional neurosis of children, it arose out of the Oedipus complex, out of the relation to the father.
- The Future of an Illusion, Works 21, 43

Atribuídas[editar]

  • "A humanidade progride. Hoje queimam meus livros, séculos atrás teriam queimado a mim."
- citado em "Sobre Homens & Bestas‎" - Página 91, Dix, 2007, ISBN 8574197181, 9788574197180
  • "Antes que você seja diagnosticado com depressão ou baixa estima, primeiro certifique-se de que na verdade não esteja cercado por idiotas." (Steven Winterburn) [[1]]
  • "Como fica forte uma pessoa quando está segura de ser amada." /"Como é ousado aquele que tem a certeza de ser amado.""How bold one gets when one is sure of being loved." Freud, S. (1882). Letter from Sigmund Freud to Martha Bernays, June 27, 1882. Letters of Sigmund Freud 1873-1939, 10-12
  • "De erro em erro vai-se descobrindo a verdade." [carece de fontes]
  • "Em última análise, precisamos amar para não adoecer." "Ein starker Egoismus schützt vor Erkrankung, aber endlich musss man beginenn zu lieben, um nicht krank zu werden und musss erkraken, wenn man infolge von Versagung nicht lieben kann" Sigmund Freud, Zur Einführung des Narzisssmus (1914a/1982). SA. Band III, p.52 SB. Sobre o Narcisismo: uma introdução vol XIV, p. 101
  • "Existem momentos na vida da gente, em que as palavras perdem o sentido ou parecem inúteis, e, por mais que a gente pense numa forma de empregá-las elas parecem não servir. Então a gente não diz, apenas sente."
  • "From error to error, one discovers the entire truth." = De erro em erro, vai-se descobrindo toda a verdade. [carece de fontes]
  • "Não permito que nenhuma discussão filosófica me tire a alegria das coisas simples da vida" [carece de fontes]
  • "Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais; somos também, o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos; somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos...“sem querer“ [carece de fontes]
  • "Nós poderíamos ser muito melhores se não quiséssemos ser tão bons."
- citado em "Exame", Volume 8‎ - Página 162, Editora Exame,1996
  • "Nunca fui capaz de responder à grande pergunta: o que uma mulher quer?"
- Carta a Marie Bonaparte, como citado no "Sigmund Freud: Life and Work" [Sigmund Freud: Vida e Trabalho] (1955) por Ernest Jones, vol. 2, Pt. 2, Pt. 3, Ch. 3, Ch. 16
  • " Nunca tenha certeza de nada, porque a sabedoria começa com a dúvida."
  • "O caráter de um homem é formado pelas pessoas que escolheu para conviver."
  • "Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo da mudança, a pessoa muda."
  • "Quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo" / Na verdade é: "Ce que Pierre pense de Paul en dit plus sur Pierre que sur Paul" (autora: Lise Bourbeau,"O que Pedro pensa de Paulo, diz mais sobre Pedro do que Paulo")
  • Se dois indivíduos estão em acordo em tudo pode ter certeza que um dos dois pensa por ambos./"If two men agree on everything, you may be sure that one of them is doing the thinking." Autor: Lyndon B. Johnson
  • "Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro."
- citado em "Citações da Cultura Universal‎" - Página 249, Alberto J. G. Villamarín, Editora AGE Ltda, 2002, ISBN 8574970891, 9788574970899

Sobre[editar]

  • "Quando estava na faculdade, li todos aqueles livros clínicos sobre o sexo: Havelock Ellis, Freud, Krafft-Ebing. Não é novidade para mim que os homens que se casam com mulheres bonitas são com freqüência alvo da suspeita do homossexualismo. Eles contam com suas mulheres para atrair admiradores."
Saul Bellow; A Mágoa Mata Mais
  • "Freud ensinou que o amor era a supervalorização. Ou seja, se você visse o objeto amado como realmente é, não seria capaz de amá-lo."
Saul Bellow; A Mágoa Mata Mais
  • "Independente de crer ou não em Freud plenamente (sou bastante freudiano no modo de ver o mundo, e Freud foi o primeiro objeto de estudo sistemático em minha vida), a ambivalência aí descrita serve como matriz para o resto da vida."
Luiz Felipe Pondé sobre a teoria do "Complexo de Édipo" no artigo O terror da ambivalência[1]
  • "A seu modo Freud estava certo: nossa civilização - todas as civilizações - tende a exigir a morte psicológica, depois física, de seus cidadãos, inclusive os poderosos!"
José Ângelo Gaiarsa no livro Amores perfeitos[2]

Referências

  1. Luiz Felipe Pondé, O terror da ambivalência, Folha de S. Paulo, 27/05/2013
  2. José Ângelo Gaiarsa, Amores perfeitos, Editora Agora, p. 195, ISBN 8571838097