Karl Marx

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Karl Marx
Karl Marx
Karl Marx em outros projetos:

Karl Heinrich Marx (Trier, 5 de Maio de 1818 - Londres, 14 de Março de 1883), foi um filósofo, cientista social, economista, historiador e revolucionário alemão.


Cartas[editar]

Reflexões de um homem jovem: Carta de Karl Marx a seu pai (1837)[editar]

"A História considera os maiores aqueles homens que se enobreceram trabalhando para o bem comum; a experiência aclama como mais feliz o homem que fez o maior número de pessoas felizes; a própria religião nos ensina que o ser ideal, o qual todos se esforçam para copiar, sacrificou-se para o bem da humanidade, e quem se atreveria a desprezar tais discernimentos?

Se nós tivéssemos escolhido uma posição na vida na qual nós pudéssemos quase que inteiramente trabalhar para a humanidade, nenhum fardo poderia nos derrubar, porque eles são sacrifícios para o benefício de todos; então nós podemos experimentar não uma alegria mesquinha, limitada, egoísta, mas nossa felicidade pertencerá a milhões, nossas ações viverão em silêncio mas perpetuamente no trabalho, e acima de nossas cinzas serão derramadas as lágrimas quentes das pessoas nobres."

Obras[editar]

  • "Até agora os filósofos ficam preocupados na interpretação do mundo de várias maneiras. O que importa é transformá-lo."
- Die Philosophen haben die Welt nur verschieden interpretiert , es kömmt drauf an, sie zu verändern
- 11ªtese sobre Feuerbach; "Thesen über Feuerbach (1845)"; (veja: wikisource)
  • "O sofrimento religioso é ao mesmo tempo a expressão do sofrimento verdadeiro e um protesto contra o sofrimento real. A religião é o suspiro da criatura aflita, o coração de um mundo sem coração, é o espírito da situação sem espírito. A religião é o ópio do povo. A abolição da religião como felicidade ilusória é o que falta para sua verdadeira felicidade. Pedir para que descartem as ilusões sobre sua situação é pedir para que descartem a própria situação que necessita de ilusões. A crítica da religião, em seu âmago, a crítica desse vale de lágrimas da qual a religião é a auréola. Essa crítica retirou as flores imaginárias das correntes dos homens, não para que ele continue a usar essas correntes sem consolo ou fantasia, mas para que ele possa quebrar essas correntes e então colher a flor viva."
- Die Religion ist der Seufzer der bedrängten Kreatur, das Gemüt einer herzlosen Welt, wie sie der Geist geistloser Zustände ist. Sie ist das Opium des Volkes.
- Crítica da Filosofia do Direito de Hegel. Einleitung. Introdução. MEW 1, S. 378, 1844 MEW 1, p. 378, 1844
  • "Minha contribuição foi somente demostrar que: 1. a existência de classes é um resultado de determinadas fases históricas do desenvolvimento da produção; 2. A luta de classes levará a uma ditadura do proletariado 3. E tal ditadura não é mais do que uma transição para o fim das classes sociais e uma sociedade sem classes"
- 1. die Existenz der Klassen bloß an bestimmte historische Entwicklungsphasen der Produktion gebunden ist; 2. dass der Klassenkampf notwendig zur Diktatur des Proletariats führt; 3. dass diese Diktatur selbst nur den Übergang zur Aufhebung aller Klassen und zu einer klassenlosen Gesellschaft bildet
- carta para Joseph Weydemeyer (5 de março de 1852)
  • "De cada um, de acordo com suas habilidades, a cada um, de acordo com suas necessidades."
- Crítica ao programa de Gotha (1875); (veja: (wikisource)
  • "O que é a riqueza, senão a totalidade das necessidades, capacidades, prazeres, potencialidades produtoras, etc., dos indivíduos, adquirida no intercâmbio universal? O que é, senão o pleno desenvolvimento do controle humano sobre as forças naturais – tanto as suas próprias quanto as da chamada ‘natureza’? o que é, senão a plena elaboração de suas faculdades criadoras, sem outros pressupostos salvo o desenvolvimento histórico precedente que faz da totalidade deste desenvolvimento – isto é, o desenvolvimento de todos os poderes humanos em si, não medidos por qualquer padrão previamente estabelecido – um fim em si mesmo? O que é a riqueza, senão uma situação em que o homem não se reproduz a si mesmo numa forma determinada, limitada, mas sim em sua totalidade, se desvencilhando do passado e se integrando no movimento absoluto do devir?"
- Grundrisse (1858)

Dezoito Brumario[editar]

Os seres humanos fazem sua própria história, ainda que sob circunstâncias afetadas pelo passado - Karl Marx, 1818-1883.svg
  • "Os homens fazem a sua própria história, mas não a fazem como querem, não a fazem sob circunstâncias de sua escolha e sim sob aquelas com que se defrontam diretamente, legadas e transmitidas pelo passado."
- Die Menschen machen ihre eigene Geschichte, aber sie machen sie nicht aus freien Stücken, nicht unter selbstgewählten, sondern unter unmittelbar vorgefundenen, gegebenen und überlieferten Umständen
- Dezoito Brumário de Louis Bonaparte (1852); (veja: wikisource)
  • "Os homens fazem sua própria história, mas não a fazem como querem... A tradição de todas as gerações mortas oprime como um pesadelo o cérebro dos vivos."
- Dezoito Brumário de Louis Bonaparte (1852)

O Capital[editar]

  • "Reunião de homens livres trabalhando com meios de produção comuns e, dependendo, a partir de um plano combinado, suas numerosas forças individuais como uma única e mesma força de trabalho social."
- Karl Marx, sintetizando o comunismo; em O Capital, Parte 1 - Capítulo 1: A Mercadoria; Seção 4: O Fetichismo da Mercadoria e o Seu Segredo, página 23 (veja a obra)
  • "Na manufatura e no artesanato, o trabalhador utiliza a ferramenta; na fábrica, ele é um servo da máquina."
- In Manufaktur und Handwerk bedient sich der Arbeiter des Werkzeugs, in der Fabrik dient er der Maschine
- "O Capital, volume 1

"Manifesto Comunista"[editar]

- Manifesto do Partido Comunista/I (veja:wikisource)
  • "Os operários não têm pátria."
- Die Arbeiter haben kein Vaterland
- Manifesto do Partido Comunista, seção II
  • "Nós, comunistas, temos sido acusados de querer abolir a propriedade adquirida pessoalmente, fruto do próprio trabalho e do mérito pessoal. Falais da propriedade do pequeno burguês? Não precisamos aboli-la: o desenvolvimento da indústria já a aboliu e continua a aboli-la diariamente."
- Manifesto do Partido Comunista, seção II - Proletários e Comunistas; (veja: wikisource)
  • "Os comunistas não se rebaixam a ocultar suas opiniões e os seus propósitos. Declaram abertamente que os seus objetivos só poderão ser alcançados pela derrubada violenta de toda ordem social existente. Que as classes dominantes tremam à idéia de uma revolução comunista. Nela, os proletários nada tem a perder a não ser suas prisões, tem um mundo a ganhar. Proletários de todos os países, uni-vos!"
- Die Kommunisten verschmähen es, ihre Ansichten und Absichten zu verheimlichen. Sie erklären es offen, daß ihre Zwecke nur erreicht werden können durch den gewaltsamen Umsturz aller bisherigen Gesellschaftsordnung.[...]
- Manifesto do Partido Comunista, IV
  • "Proletário de todos os países, uni-vos."
- Proletarier aller Länder, vereinigt euch!
- Manifesto do Partido Comunista, Seção IV, penúltimo parágrafo; (veja: wikisource)
  • "As idéias dominantes de uma época sempre foram as idéias da classe dominante."
- Die herrschenden Ideen einer Zeit waren stets nur die Ideen der herrschenden Klasse.
- Manifesto do Partido Comunista, seção IV
  • "Onde quer que tenha chegado ao poder, a burguesia destruiu todas as relações feudais, patriarcais, idílicas. Estilhaçou, sem piedade, os variegos laços feudais que subordinavam o homem a seus superiores naturais, e deixou subsistir entre os homens outro laço senão o interesse nu e cru, senão o frio 'dinheiro vivo'."
  • "Os trabalhadores não têm nada a perder em uma revolução comunista, a não ser suas correntes"
- Manifesto do Partido Comunista, Seção IV, penúltimo parágrafo; (veja: wikisource)
  • "O desenvolvimento da indústria moderna, portanto, abala a própria base sobre a qual a burguesia assentou seu regime de produção e de apropriação. O que a burguesia

produz principalmente são seus próprios coveiros. Sua queda e a vitória do proletariado são igualmente inevitáveis."

- Manifesto do Partido Comunista, Seção I, último parágrafo; (veja: wikisource)

Sobre[editar]

- Eine Bibliothek macht es möglich, daß einer den Marx sucht, den Schopenhauer findet und die Bibel entleiht
- Ernst R. Hauschka, em Aphoristiker, 1926, conforme citado em "Zitate, Metaphern und andere Bemerkungen: Zitate, Metaphern und andere Bemerkungen‎" - Página 24, de Emil Tessmer - Publicado por BoD – Books on Demand, 2000, ISBN 3-8311-0761-0, 9783831107612 - 159 páginas

Atribuídas[editar]

  • "O dinheiro não é apenas um dos objetos da paixão de enriquecer, mas é o próprio objeto dela. Essa paixão é essencialmente auri sacra fames (a maldita ganância do ouro), faz com que as pessoas vivam em torno de uma medíocre vida, ocasionada por necessidades impostas, gerando uma rotina alienada." [carece de fontes?]
  • "O trabalhador só se sente a vontade no seu tempo de folga, porque o seu trabalho não é voluntário, é imposto, é trabalho forçado." [carece de fontes?]
  • "O que caracteriza a economia política burguesa é que ela vê na ordem capitalista não uma fase transitória do progresso histórico, mas a forma absoluta e definitiva da produção social." [carece de fontes?]
  • "O estabelecimento de um dia de trabalho normal é o resultado de séculos de luta entre o capitalista e o operário." [carece de fontes?]
  • "Se o indivíduo trabalha apenas para si mesmo, poderá vir a ser um famoso erudito, um grande sábio, um poeta renomado, mas jamais alguém genuinamente grande e completo. A História chama essas pessoas de os maiores... aqueles que se enobrecem trabalhando para o propósito universal. A experiência exalta como o mais feliz aquele que fez mais pessoas felizes." [carece de fontes?]
  • "A classe capitalista rasgou o véu sentimental da família, reduzindo as relações familiares a meras relações monetárias." [carece de fontes?]
  • "Quanto mais o operário produz, menos tem para consumir; quanto mais cria valores, mais se deprecia." [carece de fontes?]
  • "A burguesia não pode existir sem revolucionar constantemente os instrumentos de produção e, portanto, as relações de produção, isto é, todo o conjunto das relações sociais. Esta mudança contínua da produção, esta transformação ininterrupta de todo o sistema social, esta agitação, esta perpétua insegurança distinguem a época burguesa das precedentes. Todas as relações sociais tradicionais e estabelecidas, com seu cortejo de noções e idéias antigas e veneráveis, dissolvem-se; e todas as que as substituem envelhecem antes mesmo de poder ossificar-se." [carece de fontes?]
  • "A opressão do homem pelo homem iniciou-se com a opressão da mulher pelo homem."
- Karl Marx citado em "Crítica social‎" - Página 85, de Brazil ADIA (Rio de Janeiro - 2003
  • "A melhor forma de Estado é aquela em que os antagonismos entram abertamente e encontram sua solução." [carece de fontes?]
  • "Que aqui se afaste toda suspeita. Que neste lugar se despreze todo o medo."
(Esta frase não é de Marx, mas citada por ele no seguinte período:
"...mas na entrada para a Ciência – como na entrada do
Inferno – é preciso impor a exigência:
Qui si convien lasciare ogni sospetto
Ogni viltà convien che sai morta" - "“Que aqui se afaste toda a suspeita/ que neste lugar se despreze toda a covardia”
(DANTE. Divina Comédia).
  • "O movimento proletário é o movimento autônomo da imensa maioria no interesse da imensa maioria." [carece de fontes?]
  • "As idéias nada podem realizar. Para realizar as idéias são necessários homens que ponham a funcionar uma força prática." [carece de fontes?]
  • "Os que, no regime capitalista, trabalham não lucram e os que lucram não trabalham." [carece de fontes?]
  • "A propriedade privada tornou-nos tão estúpidos e limitados que um objeto só é nosso quando o possuímos". [carece de fontes?]
  • "Não é a história que usa o homem para realizar os seus fins, ao contrário, ela nada mais é do que a atividade do homem que persegue seus fins." [carece de fontes?]
  • "O trabalho não é a satisfação de uma necessidade, mas apenas um meio para satisfazer outras necessidades." [carece de fontes?]
  • "O primeiro requisito da felicidade dos povos é a abolição da religião." [carece de fontes?]
  • "O que caracteriza a divisão de trabalho no interior da sociedade moderna é que ela engendra especialidades, e com elas, o idiotismo da especialização." [carece de fontes?]
  • "O aumento dos salários não é nada mais do que o pagamento de salários melhores a escravos, e não conquista para o operário seu destino e sua dignidade humana." [carece de fontes?]