Aldous Huxley

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aldous Huxley
Aldous Huxley
Aldous Huxley em outros projetos:

Aldous Leonard Huxley (26 de Julho de 1894, em Godalming, Surrey, Inglaterra - 22 de novembro de 1963) foi um filósofo e escritor britânico.


  • "O maior pecado contra a mente humana é acreditar em coisas sem evidências. A ciência é somente o supra-sumo do bom-senso – isto é, rigidamente precisa em sua observação e inimiga da lógica falaciosa."
- The deepest sin against the human mind is to believe things without evidence. Science is simply common sense at its best -- that is, rigidly accurate in observation, and merciless to fallacy in logic
- Evolution and Ethics
  • "Os provérbios são sempre chavões até você experimentar a verdade contida neles."
- Proverbs are always platitudes until you have personally experienced the truth of them
- "Jesting Pilate: The Diary of a Journey" - Página 289; de Aldous Huxley - Publicado por Chatto and Windus, 1930 - 291 páginas
  • "Da sua experiência ou da experiência gravada de outros (história), os homens aprendem somente o que suas paixões e seus preconceitos metafísicos lhes permitem."
- From their experience or from the recorded experience of others (history), men learn only what their passions and their metaphysical prejudices allow them to learn
- Collected Essays - Página 310; de Aldous Huxley - Publicado por Harper, 1959 - 399 páginas
  • "Literária ou científica, liberal ou especializada, toda nossa educação é predominantemente verbalista e, pois, não consegue atingir plenamente seus objetivos. Ao invés de transformar crianças em adultos completamente desenvolvidos, ela produz estudantes de Ciências Naturais que não têm a menor noção do papel promordial da Natureza como elemento fundamental da experiência; entrega ao mundo estudantes de Humanidades que nada sabem sobre a humanidade, seja ela a sua ou a de quem mais for."
- Literary or scientific, liberal or specialist, all our education is predominantly verbal and therefore fails to accomplish what it is supposed to do. Instead of transforming children into fully developed adults, it turns out students of the natural sciences who are completely unaware of Nature as the primary fact of experience, it inflicts upon the world students of the humanities who know nothing of humanity, their own or anyone else's.
- The Doors of Perception
  • "As palavras nos permitiram elevar-nos acima dos brutos; mas é também pelas palavras que não raro descemos ao nível de seres demoníacos."
- Thanks to words, we have been able to rise above the brutes; and thanks to words, we have often sunk to the level of the demons
- "Tomorrow and Tomorrow and Tomorrow, and Other Essays: And Other Essays" - Página 80; de Aldous Huxley - Publicado por Harper, 1956 - 301 páginas
  • "O charme da história e sua lição enigmática consiste no fato de que, de tempos em tempos, nada muda e mesmo assim tudo é completamente diferente".
- The charm of history and its enigmatic lesson consist in the fact that, from age to age, nothing changes and yet everything is completely different
- "The Devils of Loudun"
  • "Se não fossem os intelectuais esnobes que pagam o tributo que o prosaísmo deve à cultura, as artes pareceriam com seus famintos profissionais".
- if it were not for the intellectual snobs who pay — in solid cash — the tribute which ... the arts would perish with their starving practitioners
- "Jesting Pilate: The Diary of a Journey" - Página 136; de Aldous Huxley - Publicado por Chatto and Windus, 1930 - 291 páginas
- What man has joined, nature is powerless to put asunder
- Aldous Huxley in: "Brave New World: A Novel" - Página 23; de Aldous Huxley - Publicado por Doubleday, Doran, 1932 - 311 páginas

Livros[editar]

Contraponto, 1928[editar]

  • "...O relógio tiquetaqueava. O instante em movimento que, segundo Sir Isaac Newton, separa o passado infinito do infinito futuro avançava inexoravelmente através da dimensão do tempo. Ou, a crer em Aristóteles, um pouco mais do possível a cada instante se tornava real; o presente imobilizava-se e ia incorporando a si o futuro, como um homem que ficasse engolindo para sempre uma fita de macarrão sem fim..."
  • "...Quando pomos em jogo toda a nossa força para levantar o que nos parece ser um peso enorme, é desagradável perceber que se trata apenas de um halter de papelão, e que teria sido possível erguê-lo com dois dedos..."
  • "...As sensações não são entidades à parte, suscetíveis de ser estimuladas independentemente do resto do espírito. Quando um homem fica emocionalmente exaltado numa direção, está sujeito a ficar também em outras..."
  • "A felicidade não é atingida pela busca consciente de felicidade; ela é geralmente um subproduto de outras atividades."
  • "O hábito converte os suntuosos prazeres em suspeitas necessidades cotidianas".
- Habit converts luxurious enjoyments into dull and daily necessities.
- "Point Counter Point" (1928)

Music at Night, 1931[editar]

  • "Depois do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexprimível é a música"
  • "O silencioso nunca depõe contra si próprio"

Admirável mundo novo, 1932[editar]

- dita pelo D.I.C. se referindo às novas formas de reprodução humana, por pré-destinação social em laboratórios.
  • Na extremidade da sala, um alto-falante sobressaía da parede. O Diretor foi até ele e apertou um botão.
  • ". . . se vestem de verde", disse uma voz suave, mas bem nítida, começando no meio de uma frase, "e as crianças Deltas se vestem de caqui. Oh, não, não quero brincar com crianças Deltas. E os ipsilons são ainda piores. São demasiado broncos para saberem ler e escrever. E além disso se vestem de preto, que é uma cor horrível. Como sou feliz por ser um Beta."
- uma das máximas do ensino de "Consciência de Classe", de forma hipnopédica.
  • "[...] quando não se tem o hábito da história, os factos relativos ao passado parecem quase sempre inacreditáveis."
  • " Toda a descoberta da ciência pura é potencialmente subversiva; por vezes a ciência deve ser tratada como um inimigo possível."

Texts and Pretexts, 1932[editar]

  • "Experiência não é o que acontece com um homem; é o que um homem faz com o que lhe acontece."
- Experience is not what happens to a man; it is what a man does with what happens to him.

Sem Olhos em Gaza, 1936[editar]

  • "Fatos empíricos:
"Um. Todos nós somos capazes de sentir amor por outros seres humanos.
"Dois. Impomos limitações a esse amor.
"Três. Podemos transcender a todas essas limitações - se nos aprouver. (É uma questão de observação que, quem quer que o deseje, poderá vencer a repugnância pessoal, o sentimento de classe, o ódio nacional, o preconceito de cor. Não é coisa fácil; mas podemos conseguir, se tivermos vontade e soubermos pôr em prática as nossas boas intenções.)
"Quatro. Amor que se manifesta em bom tratamento cria amor. Ódio que se manifesta em mau tratamento cria ódio.
"À luz desses fatos é óbvio quais deveriam ser os comportamentos políticos entre pessoas, entre classes, entre nações. Mas, ainda uma vez, o saber não basta. Saber, todos nós sabemos; onde quase todos nós fracassamos é em fazer. E a questão está, habitualmente, em achar os melhores métodos de dar cumprimento às intenções. Entre outras coisas, a propaganda da paz deve consistir numa série de instruções para a arte de modificar o caráter."
  • "O inferno é a incapacidade de sermos diferentes da criatura segundo a qual ordinariamente nos comportamos."
  • "...as escadas sociais vão se tornando mais largas à medida que se sobe. Embaixo, mal há lugar para se botar o pé. Em cima, os degraus têm uma largura de vinte jardas."
  • "Certas lembranças, certos processos mentais são como um dente que dói e que se precisa estar sempre tocando, apenas para ter a certeza de que ainda dói."

Os Demônios de Loudun, 1952[editar]

  • "...a vida interior começa quando o eu analisável deixa de agir."
  • "O sortilégio da história e sua lição enigmática consistem, no fato de que, de uma época a outra, nada muda, e contudo todas as coisas são completamente diferentes. Em personagens de outras épocas e culturas estranhas, reconhecemos nossos egos demasiadamente humanos, e contudo temos consciência de que o sistema de referências no qual moldamos nossas vidas mudou, até se tornar irreconhecível, proposições que pareciam incontestáveis são agora indefensáveis, e o que encaramos como os mais irrefutáveis postulados não poderia, num período anterior, encontrar aceitação nem na mais ousada mente especulativa. Mas, embora acentuadas e importantes nas áreas do pensamento e da tecnologia, da organização social e do comportamento, as diferenças são sempre periféricas. No centro, permanece uma identidade fundamental. Na medida em que são mentes revestidas de forma humana, sujeitas à decadência física e à morte, capazes de sentir dor e prazer, dirigidas pelo ardente e pela aversão, e oscilando entre o desejo de auto-afirmação e o de autotranscendência, os seres humanos em todo tempo e lugar têm de enfrentar os mesmos problemas, confrontam-se com as mesmas tentações, e são forçados, de acordo com a Ordem das Coisas, a fazer a mesma escolha entre impenitência e esclarecimento. Mudam os contextos, mas a essência e o significado são invariáveis."
  • "Uma tragédia é algo de que se participa; a uma comédia apenas assistimos."
  • "...se confundirmos o dedo apontado com a lua para a qual ele aponta, certamente nos perdemos. O Fato deve ser abordado com base nos fatos; não pode ser conhecido por meio de palavras, ou por fantasias inspiradas em palavras. O reino do céu pode ser destinado a existir 'na terra'; não pode ser destinado a existir em nossa imaginação ou em nosso raciocínio discursivo. Tem de haver uma mortificação (...) da nossa tendência fatal para colocar produtos de nossa imaginação no lugar da natureza. Temos de nos livrar de nosso catálogo de simpatias e antipatias, dos modelos verbais aos quais esperamos adaptar a realidade, das fantasias nas quais nos refugiamos quando os fatos não atingem nossas expectativas..."

Regresso ao Admirável Mundo Novo, 1959[editar]

  • "A síntese do espírito de finura pode transformar-se na essência da não-verdade."
  • "...a vida é curta e o conhecimento ilimitado."
  • "A organização em excesso transforma em autômatos homens e mulheres, reprime o espírito criador e elimina a própria possibilidade de liberdade. Como sempre, o único caminho seguro está no meio-termo, entre o excesso do laissez-faire, num dos topos da escala, e o controle total, no outro extremo."
  • "A vida na cidade é anônima e, por isso mesmo, abstrata. As pessoas se relacionam umas com as outras, não como personalidades integrais, mas como personificações de funções econômicas ou, quando não estão no emprego, como pessoas que procuram irrefletidamente o entretenimento. Sujeitos a uma vida desta espécie, os indivíduos tendem a sentir-se solitários e sem importância. A sua existência deixa de ter qualquer importância ou qualquer sentido."
  • "...nenhum povo em condições econômicas precárias tem uma grande oportunidade para estar capaz de governar democraticamente a si próprio."
  • "...Numa época de superpopulação crescente, de crescente superorganização e de meios de comunicação cada vez mais eficientes com as massas, como podemos manter intactos a integridade e reafirmar o valor do ser humano individual?"
  • "Já não compramos laranjas, compramos vitalidade, já não compramos um automóvel, compramos prestígio. (...) Com um dentifrício, por exemplo, adquirimos, não um mero antisséptico ou um produto de higiene, mas sim a libertação do medo de sermos sexualmente repulsivos. Com o vodka ou o whisky não adquirimos um veneno protoplásmico que, em pequenas doses, pode afetar o sistema nervoso de maneira psicologicamente valiosa; estamos adquirindo amizade e boa camaradagem... (...) Com o best-seller do mês adquirimos cultura, a inveja dos vizinhos menos ilustrados e a admiração dos que são intelectuais."

A Ilha, 1962[editar]

  • "Penso na incompreensível seqüência de mudanças que fazem uma vida. Penso que o destino dos seres humanos, ininterpretável e mesmo assim cheio de significação divina, é composto pela fusão de belezas, horrores e absurdos."
  • "Cerca de um terço do sofrimento que devo suportar é inteiramente inevitável por ser inerente à própria condição humana. Representa o preço que todos temos que pagar pelo fato de sermos dotados de sensibilidade; embora sedentos de libertação, nos sujeitamos às leis naturais que nos obrigam a continuar caminhando (sem poder retroceder) através de um mundo inteiramente indiferente ao nosso bem-estar. Caminhando em direção à decrepitude e à certeza da morte. Os outros dois terços são 'confeccionados em casa' e o Universo os considera inteiramente supérfluos."
  • "Saber é uma palavra cujo significado é muito amplo. Prefiro dizer que estamos capacitados a fazer algumas suposições."
  • "A função da juventude depende do lugar em que residem. Por exemplo: para que servem os rapazes e as moças da América? Resposta: para consumirem maciçamente. E os corolários desse tipo de consumo são: comunicações em massa, publicidade em massa. Narcóticos em massa (sob a forma de televisão, tranquilizantes, pensamentos positivos e cigarro). Agora que a Europa também ingressou na produção em massa, para que servirão os seus rapazes e moças? Para consumirem maciçamente, exatamente como a juventude da América. (...) O destino da mocidade deve ser apenas se desenvolver harmoniosamente e se transformar em adultos plenamente realizados."
  • "Não existe remédio único para males que jamais têm somente uma causa."

Atribuídas[editar]

  • "O segredo da genialidade é conservar o espírito de criança até à velhice, o que significa nunca perder o entusiasmo."
- The secret of genius is to carry the spirit of the child into old age, which means never losing your enthusiasm
- citado em "Lessons from the sandbox: using the 13 gifts of childhood to rediscover the keys to business success‎" - Página 57, Alan Gregerman - McGraw-Hill Professional, 2000, ISBN 0809224380, 9780809224388 - 224 páginas