Pierre-Joseph Proudhon

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pierre Joseph Proudhon
Pierre Joseph Proudhon
Pierre Joseph Proudhon em outros projetos:

Pierre-Joseph Proudhon, (15 de janeiro de 1809 - 19 de janeiro de 1865). Francês fundador do Anarquismo, participou da Revolução de 1848.


  • "A propriedade é um roubo."
- La propriété, c'est le vol !
- Qu'est-ce que la propriété ? [O que é propriedade?] (1840), Pierre-Joseph Proudhon, éd. UQAC, coll. Les classiques des sciences sociales, 2002, p. 18
  • "Ser governado significa ser observado, inspecionado, espionado, dirigido, legislado, regulamentado, cercado, doutrinado, admoestado, controlado, avaliado, censurado, comandado; e por criaturas que para isso não tem o direito, nem a sabedoria, nem a virtude... Ser governado significa que todo movimento, operação ou transação que realizamos é anotada, registrada, catalogado em censos, taxada, selada, avaliada monetariamente, patenteada, licenciada, autorizada, recomendada ou desaconselhada, frustrada, reformada, endireitada, corrigida. Submeter-se ao governo significa consentir em ser tributado, treinado, redimido, explorado, monopolizado, extorquido, pressionado, mistificado, roubado; tudo isso em nome da utilidade pública e do bem comum. Então, ao primeiro sinal de resistência, à primeira palavra de protesto, somos reprimidos, multados, desprezados, humilhados, perseguidos, empurrados, espancados, garroteados, aprisionados, fuzilados, metralhados, julgados, sentenciados, deportados, sacrificados, vendidos, traídos e, para completar, ridicularizados, escarnecidos, ultrajados e desonrados. Isso é o governo, essa é a sua justiça e sua moralidade! ... Oh personalidade humana! Como pudeste te curvar à tamanha sujeição durante sessenta séculos?" [carece de fontes?]
  • "O homem pode amar o seu semelhante até ao ponto de morrer por ele; mas não o ama tanto que trabalhe em seu favor."
- L’homme peut aimer son semblable jusqu’à mourir ; il ne l’aime pas jusqu’à travailler pour lui.
- Philosophie de la misère, Pierre Joseph Proudhon, éd. Groupe Fresnes-Antony de la Fédération anarchiste, 1983, t. 1, chap. V, § I, p. 187 (texte integral no Wikisource)
  • "Aquele que botar as mão sobre mim, para me governar, é um usurpador, um tirano. Eu o declaro meu inimigo." [carece de fontes?]
  • "A anarquia é a ordem."
- Fonte: Les Confessions d’un révolutionnaire (1851)
  • "[...]Quer dizer então, que Deus nos teria transmitindo, durante seis mil anos, uma idéia que podia poupar milhões de vítimas, a distribuição a um tempo espacial sintética do trabalho! Em contrapartida ele nos teria dado, por meio de seus servidores Moisés, Buda, Zarastutra, Mohammed e outros, esses insípidos rituais, opróbrio de nossa razão, que fizeram degolar mais homens que números possam conter![...]" [carece de fontes?]