Ossie Davis

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ossie Davis
Ossie Davis
Ossie Davis em outros projetos:

Ossie Davis (18 de dezembro de 19174 de fevereiro de 2005) foi um ator, roteirista, diretor de cinema e produtor cinematográfico norte-americano. Envolveu-se na luta pelos direitos humanos nos Estados Unidos ao lado de Martin Luther King Jr. e Malcolm X



Sobre Malcolm X[editar]

  • "Era impossível permanecer na defensiva, quase pedindo desculpas por ser negro, na presença de Malcolm. Ele não permitia. E a gente sempre se afastava da presença dele com a suspeita insinuante de que talvez, no final das contas, fosse mesmo um homem! Mas, ao explicar Malcolm, é preciso tomar cuidado para não apresentá-lo de maneira diferente do que era. Malcolm foi um criminoso, um viciado, um cafetão, um condenado. Foi um racista, pregava o ódio, acreditava realmente que o homem branco era um demônio. Mas tudo isso havia mudado. Dois dias antes de sua morte, conversando com Gordon Parks sobre o seu passado, Malcolm disse: "Foi uma coisa terrível. Ah, a doença loucura daqueles dias... Estou contente por me livrar disso tudo." E Malcolm estava de fato livre. Ninguém que o tenha conhecido antes e depois da viagem a Meca pode duvidar que ele abandonara totalmente o racismo, o separatismo e o ódio. Mas não abandonara as suas declarações de impacto, a agitação incessante pela liberdade imediata neste país, não apenas para os pretos, mas para todas as pessoas.
- Fonte: DAVIS, O. Ossie Davis sobre Malcolm X. In: X, Malcolm. Autobiografia de Malcolm X (com a colaboração de Alex Haley). Rio de Janeiro: Ed. Record, 1965. (ISBN 9788501014641) página 468.
  • "Conheci o homem pessoalmente; por mais que discordasse dele, nunca duvidei de que Malcolm X, mesmo quando estava errado, foi sempre essa coisa extremamente rara no mundo entre nós, negros: um homem sincero."
- Fonte: DAVIS, O. Ossie Davis sobre Malcolm X. In: X, Malcolm. Autobiografia de Malcolm X (com a colaboração de Alex Haley). Rio de Janeiro: Ed. Record, 1965. (ISBN 9788501014641) página 469.