Lucia Santaella

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lucia Santaella em outros projetos:

Maria Lucia Santaella Braga (Catanduva - São Paulo, 13 de agosto de 1944) professora titular da PUC-SP com doutorado em Teoria Literária na PUC-SP (1973) e livre-docência em Ciências da Comunicação na ECA/USP (1993)



  • "A hibridização de tecnologias e linguagens vem sendo chamada de convergência das mídias."
- Fonte: Livro: Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo, Editora: Paulus, 2004, pág. 48.
  • "Hipermidia significa, sobretudo, enorme concentração de informação. Ela pode consistir de centenas e mesmo milhares de nós, com uma densa rede de nexos."
- Fonte: Livro: Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo, Editora: Paulus, 2004, pág. 50.
  • "A linguagem hipermídia presente nos ambientes imateriais do ciberespaço inaugura uma maneira nova de ler."
- Fonte: Livro: Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo, Editora: Paulus, 2004, pág. 177.
  • "Segundo os indicadores, o futuro pertencerá aos portáteis capazes de se comunicar sem fios."
- Fonte: Livro: Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo, Editora: Paulus, 2004, pág. 82.
  • "A "internet das coisas" é uma expressão atraente e popularizada de um complexo tecnológico amplo de redes inteligentes ubíquas que envolvem, entre outros recursos, comunicação máquina a máquina com dispositivos conectados à internet."
- Fonte: Livro: Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação, Editora Paulus, 2013, pág.17.
  • "A convergência das mídias estará presente na maioria dos aparelhos celulares, que, por sua vez, deixarão definitivamente de ser um mero telefone móvel para assumir o papel de principal conector do indivíduo com a sociedade."
- Fonte: Livro: Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação, Editora Paulus, 2013, pág.54.
  • "A cidade-ciborgue se define assim como "a cidade contemporânea permeada por espaços de fluxos de informações digitais planetárias e suas diversas tecnologias ligadas por redes telemáticas."
- Fonte: Livro: Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação, Editora Paulus, 2013, pág.62.
  • "A história, a economia, a política, a cultura, a percepção, a memória, a identidade e a experiência estão todas elas hoje mediadas pelas tecnologias digitais."
- Fonte: Livro: Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação, Editora Paulus, 2013, pág.93.
  • "Ao criar um perfil nas redes sociais, as pessoas passam a responder e a atuar como se esse perfil fosse uma extensão sua, uma presença extra daquilo que constitui sua identidade."
- Fonte: Livro: Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação, Editora Paulus, 2013, pág.115.
  • "Conectar-se hoje significa conduzir à intersecção de dois tipos de mobilidade, aquela mobilidade própria do nosso corpo nos espaços físicos que habitamos e a mobilidade própria dos espaços informacionais que visitamos. Tudo se move em conexão."
- Fonte: Livro: Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação, Editora Paulus, 2013, pág.136.
  • "Os avanços tecnológicos associados com a sociedade da informação resultaram na passagem de todas as mídias para a transmissão digital."
- Fonte: Livro: Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação, Editora Paulus, 2013, pág.232.
  • "A Semiótica é a ciência que tem por objeto de investigação todas as linguagens possíveis, ou seja, que tem por objetivo o exame dos modos de constituição de todo e qualquer fenômeno como fenômeno de produção de significação e de sentido."^
- Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.2.
  • "Entendendo-se por fenômeno qualquer coisa que esteja de algum modo e em qualquer sentido presente à mente, isto é, qualquer coisa que apareça, seja ela externa (uma batida na porta, um raio de luz, um cheiro de jasmim), seja ela interna ou visceral (uma dor no estômago, uma lembrança ou reminiscência, uma expectativa ou desejo), quer pertença a um sonho, ou uma idéia geral e abstrata da ciência, a fenomenologia seria, segundo Peirce, a descrição e análise das experiências que estão em aberto para todo homem, cada dia e hora, em cada canto e esquina de nosso cotidiano."
-Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.7.
  • "Consciência não se confunde com razão. Consciência é como um lago sem fundo no qual as idéias (partículas materiais da consciência) estão localizadas em diferentes profundidades e em permanente mobilidade. A razão (pensamento deliberado) é apenas a camada mais superficial da consciência."
-Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.9.
  • "A qualidade da consciência, na sua imediaticidade, é tão tenra que não podemos sequer tocá-la sem estragá-la."
-Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.9.
  • "A consciência de um momento, contudo, como ela está naquele exato momento, não é reflexionada nem quebrada em pedaços."
-Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.10.
  • "Há um mundo real, reativo, um mundo sensual, independente do pensamento e, no entanto, pensável, que se caracteriza pela secundidade."
-Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.10.
  • "Agir, reagir, interagir e fazer são modos marcantes, concretos e materiais de dizer o mundo, interação dialógica, ao nível da ação, do homem com sua historicidade."
-Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.10.
  • "O signo é uma coisa que representa uma outra coisa: seu objeto. Ele só pode funcionar como signo se carregar esse poder de representar, substituir uma outra coisa diferente dele."
-Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.12.
  • "O interpretante imediato consiste naquilo que o signo está apto a produzir numa mente interpretadora qualquer."
-Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.13.
  • "Se o signo for convencional, ou seja, signo de lei, por exemplo, uma palavra ou frase, o interpretante será um pensamento que traduzirá o signo anterior em um outro signo da mesma natureza, e assim ad infinitum."
-Fonte: Livro: O que é a Semiótica, Editora Brasiliense, 2003, pág.13.