Gino Amleto Meneghetti

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gino Amleto Meneghetti
Gino Amleto Meneghetti
Gino Amleto Meneghetti em outros projetos:

Gino Amleto Meneghetti (Pisa, 1 de julho de 1878 - São Paulo, 25 de maio de 1976) foi um criminoso italiano. Radicado no Brasil, ganhou fama ao ter seus feitos noticiados pela imprensa - de forma muitas vezes sensacionalista - chegando ao ponto de ser taxado pelos jornais de "o bom ladrão" e "o maior gatuno da América Latina".



  • "A propriedade é um roubo; portanto, não sou ladrão."
- "Memória - Gino Meneghetti (1878-1976)" - Veja, ed. 404, pág. 26, 2 de junho de 1976
parte da citação remete a Proudhon, na obra "Che cos'è la proprietà? La proprietà è un furto". Con tre lettere inedite dell'autore; Por Pierre Joseph Proudhon; Publicado por Marafini, 1947; 62 páginas
  • "Comecei roubando frutas quando garoto. Prenderam-me e passei alguns meses na cadeia de Pisa, na Itália. Ao ser posto em liberdade, tive que fazer do roubo a minha profissão."
- reportagem de Miguel Roberto Nítolo, Revista Problemas Brasileiros, nº 333; mai/jun 1999
  • "Jamais roubei um pobre. Só me interessava tirar dos ricos, e tirar jóias, que são bens supérfluos que só servem para alimentar a sua vaidade."
- reportagem de Miguel Roberto Nítolo, Revista Problemas Brasileiros, nº 333; mai/jun 1999
  • Todo dia roubava. Para mim, roubar é uma necessidade quase física. No dia que não faço roubo, não durmo direito."
- reportagem de Miguel Roberto Nítolo, Revista Problemas Brasileiros, nº 333; mai/jun 1999
  • "Inventaram muitas histórias sobre mim. Que escalava muros altos, que andava pelas paredes, dava pulos de dez metros. Até parece que sou o homem de borracha."
- reportagem de Miguel Roberto Nítolo, Revista Problemas Brasileiros, nº 333; mai/jun 1999
  • "O que acontece é que sou famoso: é só deixar a cadeia que vou preso... Já estou velho demais para roubar. O pior é que só sei o que tentei assaltar depois de estar na cadeia."
- reportagem de Miguel Roberto Nítolo, Revista Problemas Brasileiros, nº 333; mai/jun 1999
  • "Na rua tinha mais soldados que paralelepípedos. Mas se eu não estivesse embriagado a polícia nunca me prenderia."
-Sobre sua prisão em 1926; reportagem de Miguel Roberto Nítolo, Revista Problemas Brasileiros, nº 333; mai/jun 1999
  • "O repórter é um cupincha cheio de vícios que vive adulando seus chefes de seções, chefes que muitas vezes não primam por boa moral, às vezes mais venais que os próprios criminosos."
-Exprimindo todo o seu rancor com a imprensa, que não lhe dava sossego e, segundo ele, exagerava ao comentar seus roubos
- reportagem de Miguel Roberto Nítolo, Revista Problemas Brasileiros, nº 333; mai/jun 1999