Friedrich Hayek

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Friedrich Hayek
Friedrich Hayek
Friedrich Hayek em outros projetos:
Prêmio Nobel de economia (1974)

Friedrich August von Hayek (8 de maio de 1899 - 23 de março de 1992); Um dos pensadores mais importantes do Século XX. Ganhador do Prêmio Nobel de Economia de 1973. Defendeu durante toda a vida a democracia liberal e o capitalismo de livre mercado frente a regimes totalitários, que atacou durante sua existência, como o Nazismo e o Socialismo.


  • "Os intelectuais liberais devem ser agitadores, derrubar a opinião corrente hostil à economia capitalista."
- Em uma entrevista com Guy Sorman, em 1988
  • "A competição é valiosa apenas porque, e na medida em que, seus resultados são imprevisíveis e, em sua totalidade, diferentes daqueles que se alcançou, ou se poderia ter alcançado, visando-os deliberadamente." Friedrich Hayek, Competition as a Discovery Procedure
  • "As imperfeições reais inevitáveis da competição não são, nem remotamente, um argumento contra a competição, assim como as dificuldades de se alcançar uma solução perfeita em qualquer outra tarefa não seria um argumento contra a mera tentativa de resolvê-la, ou tão remotamente quanto a saúde imperfeita seria um argumento contra a saúde." Friedrich Hayek, O Significado de Competição
  • "O sistema [de mercado] em sua totalidade baseia-se em incentivar todos a empregarem sua habilidade na descoberta de circunstâncias particulares que lhes permitam prever mudanças próximas com o máximo de acuidade possível. Esse incentivo seria eliminado se cada decisão não envolvesse risco de perda, ou se coubesse a uma autoridade decidir se determinado erro de previsão seria perdoável ou não." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, cap. 10
  • "Toda a nossa concepção de justiça baseia-se na convicção de que diferenças de perspectiva quanto a detalhes são suscetíveis de resolução pela descoberta de normas que, uma vez enunciadas, imponham o assentimento geral." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, Vol. 2, cap. 7
  • "A principal vantagem de se ter uma autoridade internacional deveria consistir no fato de ela poder proteger um estado membro das medidas nocivas dos outros e nunca no de forçá-lo a participar das tolices dos outros." Friedrich Hayek, Desestatização do Dinheiro
  • "O fato de que não devemos acreditar em nada que seja comprovadamente errado não significa que devamos acreditar apenas naquilo cuja verdade foi demonstrada." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. 4
  • "Um mundo estéril de convicções, depurado de todos os elementos cujos valores não podem ser demonstrados de maneira positiva, provavelmente não seria menos letal que um estado equivalente na esfera biológica." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. 4
  • “O fato de a utilidade de um objeto ou ação, comumente definida como sua capacidade de satisfazer os desejos humanos, não possuir a mesma magnitude para diferentes indivíduos, parece agora tão óbvio que é difícil compreender como cientistas respeitados trataram a utilidade como um atributo objetivo, geral e mesmo mensurável dos objetos físicos.” Friedrich Hayek, Arrogância Fatal
  • "Provavelmente, todas as generalizações que podemos formular dependem de generalizações que se encontram em um nível ainda mais elevado, que não conhecemos explicitamente mas que, não obstante, governam o funcionamento de nossas mentes. Embora sempre nos esforcemos por descobrir os princípios mais gerais sobre os quais assentam nossas decisões, este é, provavelmente, por sua natureza, um processo que nunca chegará ao fim." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. XIV
  • "Na verdade, a possibilidade de se estender uma ordem de paz – para além do pequeno grupo que poderia concordar quanto a fins particulares – aos membros da Grande Sociedade, que não teriam condições de chegar a esse acordo, deve-se à descoberta de um método de cooperação que exige acordo somente quanto a meios e não quanto a fins." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, Vol. 2, cap. 7
  • "O que eu quero mostrar é que os homens nunca são guiados, em sua conduta, exclusivamente por sua compreensão das conexões causais entre meios particularmente conhecidos e certos fins desejados, mas também sempre por meio de regras de conduta das quais eles não são conscientes, que certamente eles nunca conscientemente inventaram, e que discernir sua função e importância é uma tarefa difícil e apenas parcialmente realizada pelos esforços científicos." F. A. Hayek, The Errors of Construtivism
  • "O socialismo é, de fato, basicamente, uma revolta contra a justiça imparcial, que considera apenas a conformidade de ações individuais a normas independentes de fins, sem levar em conta os efeitos da aplicação destas a casos particulares. Assim, um juiz socialista seria na verdade uma contradição em termos; pois seu ideário o impede necessariamente de aplicar apenas aqueles princípios gerais subjacentes a uma ordem espontânea de ações, e o conduz a levar em conta considerações que nada têm a ver com a justiça da conduta individual." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, cap. 5
  • "Keynes tinha uma presunção suprema sobre seu poder de manipular a opinião pública. Você sabe, ele fez aquele truque sobre o tratado de paz. E desde então, ele acreditava que poderia manipular a opinião pública como se ela fosse um instrumento. E, por essa razão, ele não estava tão alarmado pelo fato de que suas ideias estavam sendo mal-interpretadas. "Oh, eu posso consertar isso a qualquer momento." Esse era seu sentimento quanto a isso." Friedrich Hayek, in: interview with Leo Rosten (1978)
  • "Se democracia e governo limitado se tornaram concepções irreconciliáveis, nós precisamos encontrar uma nova palavra para o que uma vez poderia ser chamado de democracia limitada. Nós queremos a opinião da demos para ser a autoridade última, mas não podemos permitir ao poder bruto da maioria, seu kratos, fazer violência descontrolada aos indivíduos. A maioria deve, portanto, governar (archein) por 'leis estabelecidas e permanentes, promulgadas e conhecidas do povo, e não por meio de decretos improvisados' [John Locke]. Podemos, porventura, descrever tal ordem política associando demos com archein e chamando de demarquia tal governo limitado, no qual a opinião, mas não a vontade particular do povo, é a maior autoridade." Friedrich Hayek, New Studies in Philosophy, Politics, Economics and the History of Ideas
  • "É natural que a arte de viver e os valores não materiais se tenham aperfeiçoado sobretudo graças àqueles que não tinham preocupações materiais." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. VIII
  • "Nós compreendemos agora que todas as estruturas duradouras acima do nível dos mais simples átomos, e até o cérebro e a sociedade, são resultado de, e só podem ser explicadas em termos de, processos de evolução seletiva, e que as mais complexas mantêm-se por meio de constante adaptação de seus estados internos a mudanças no ambiente." Friedrich Hayek, Law, Legislation and Liberty, "Poscript"
  • "A liberdade dentro da lei implica liberdade econômica, enquanto o controle econômico, como o controle de todos os meios para todos os fins, torna a restrição de toda liberdade possível.” Friedrich Hayek, Liberalism, 7
  • "Talvez com a única exceção da Suíça, o governo central não só se tornou, em quase todos os países, o governo por excelência, mas vem incorporando constantemente um número cada vez maior de atividades à sua competência exclusiva." Friedrich Hayek, Law, Legislation and Liberty, cap. 18
  • "As normas em cujo âmbito os cidadãos agem constituem uma adaptação da sociedade como um todo a seu ambiente e às características gerais dos seus membros. Elas servem, ou devem servir, para auxiliar os indivíduos a estabelecer planos de ação com boas possibilidades de ser postos em prática." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. 10, parte 6
  • "A coerção, portanto, é indesejável porque impede o ser humano de utilizar plenamente seus poderes mentais e, consequentemente, de prestar a maior contribuição possível à comunidade. Embora o coagido ainda procure obter o melhor para si em dado momento, o único plano ao qual suas ações obedecem é o determinado pelo coator.” Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. 9, parte 1
  • "O fato de os atos praticados dentro da esfera privada do indivíduo não serem objeto da ação coercitiva do Estado não significa necessariamente que em uma sociedade livre tais atos estejam isentos da pressão ou desaprovação da opinião pública." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade
  • "Provavelmente, não é um exagero afirmar que todo avanço importante na teoria econômica durante os últimos cem anos foi um passo adiante na aplicação consistente do subjetivismo ... Este é um desenvolvimento que provavelmente foi realizado de forma mais consistente por Ludwig von Mises, e acredito que a maior parte das peculiaridades de seus pontos de vista, que de início atingem muitos leitores como traços estranhos e inaceitáveis, seguem-se do fato de que, no desenvolvimento consistente da abordagem subjetivista, durante muito tempo ele avançou à frente de seus contemporâneos." Friedrich Hayek, The Counter-Revolution of Science
  • “O conhecimento do comércio e das explicações da determinação dos valores relativos em termos da utilidade marginal é fundamental para se compreender a ordem da qual depende o sustento das multidões existentes de seres humanos. Qualquer pessoa com boa formação deveria conhecer essas questões.” Friedrich Hayek, A Arrogância Fatal
  • "A falha de toda a abordagem utilitarista reside no fato de que, sendo uma teoria que pretende explicar um fenômeno que consiste num corpo de normas, elimina por completo o fator que as torna necessárias, a saber, nossa ignorância." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, Vol. 2
  • "O conteúdo empírico na teoria econômica – a única parte que não está meramente preocupada com as implicações, mas sim com as causas e efeitos e que leva então a conclusões as quais, de qualquer maneira em princípio, são capazes de verificação – consiste em proposições sobre a obtenção de conhecimento.” Friedrich Hayek, Economics and Knowledge
  • "O liberalismo clássico fundava-se na convicção de que havia princípios de conduta justa suscetíveis de ser descobertos e universalmente aplicáveis, os quais podiam ser reconhecidos como justos independentemente dos efeitos da sua aplicação a grupos específicos." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, Vol. 1
  • "As normas de conduta justa não podem alterar o fato de que, com um comportamento perfeitamente justo de ambas as partes, a baixa produtividade do trabalho em alguns países produzirá uma situação em que os salários pelos quais todos podem obter emprego serão muito baixos." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, Vol. 1
  • "A garantia de benefícios particulares para pessoas particulares como recompensa que corresponda a seus méritos ou necessidades, embora estimada, requer um tipo de ordem da sociedade completamente diferente da ordem espontânea que se formará se os indivíduos são restringidos apenas por regras gerais de conduta justa.” F. A. Hayek, Liberalism, 11
  • "Sem dúvida, as faculdades peculiares de um sistema nervoso central consistem justamente no fato de que estímulos específicos não evocam diretamente respostas específicas, mas possibilitam a certas classes ou configurações de estímulos estabelecer determinadas disposições com relação às classes de ações, e que somente a superimposição de muitas dessas disposições especifica a ação particular resultante." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, cap. I
  • “A proposição que devemos tentar estabelecer é que qualquer aparato de classificação deve possuir uma estrutura de um grau maior de complexidade do que aquele possuído pelos objetos que ele classifica; e que, portanto, a capacidade de qualquer agente explicativo deve ser limitada a objetos com uma estrutura possuindo um grau de complexidade menor do que o dele. Se isso é correto, significa que qualquer agente explicativo nunca pode explicar objetos de sua própria natureza, ou de seu próprio grau de complexidade, e, portanto, que o cérebro humano nunca pode explicar completamente suas próprias operações.” F. A. Hayek, The Sensory Order, 1952
  • " Os historiadores do direito concordam que, nesse sentido, todos os famosos 'legisladores' antigos, de Ur-Nammu e Hamurábi a Sólon, Licurgo e os autores das Doze Tábuas Romanas, não tencionaram criar um novo direito, mas simplesmente enunciar qual era e sempre fora o direito." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, cap. 4
  • “O que eu vejo agora de forma mais clara é o problema de minha relação com Mises, que começou com meu artigo de 1937 sobre economia e conhecimento, o qual foi uma tentativa de persuadir o próprio Mises de que, quando ele afirmava que a teoria de mercado era a priori, ele estava errado; porque o que era a priori era apenas a lógica da ação individual, mas no momento em que você passa disso para a interação de muitas pessoas, você entra no campo empírico.” (Hayek on Hayek, p. 72)
  • "Se frequentemente não reconhecemos que as leis gerais e igualmente aplicáveis a todos proporcionam a proteção mais eficaz contra violações da liberdade individual, isto se deve, principalmente, ao hábito de tacitamente se isentar delas o Estado e seus agentes e de se imaginar que o governo tem o poder de isentar indivíduos." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. XIV
  • “A elaboração de leis propriamente dita, por outro lado, não deveria ser dirigida por interesses, mas pela opinião, i. e., pelas concepções sobre que tipo de ação é certo ou errado – não como um instrumento para a consecução de fins específicos, mas como uma norma permanente e independente do efeito sobre determinados indivíduos ou grupos.” Direito, Legislação e Liberdade, volume 3
  • "A coerção é maléfica precisamente porque anula o indivíduo enquanto ser que pensa e avalia, fazendo dele um mero instrumento dos fins de outrem." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. 1, parte 7
  • "Uma política ótima em uma cataláxia pode visar, ou deve visar, a aumentar as chances de que qualquer membro da sociedade, tomado ao acaso, tenha uma renda grande, ou, o que equivale à mesma coisa, à chance de que, seja qual for sua quota na renda total, a parte equivalente dessa quota seja tão grande quanto é possível fazê-la tornar." Friedrich Hayek, The Principles of a Liberal Social Order
  • "Conhecemos o caráter geral das forças auto-reguladoras da economia e as condições gerais em que essas forças irão funcionar ou não, mas não conhecemos todas as circunstâncias particulares para as quais elas provocam uma adaptação. Isso é impossível por causa da independência geral de todas as partes do processo econômico, ou seja, porque, a fim de interferir com sucesso em qualquer ponto, teríamos de saber todos os detalhes de toda a economia, não apenas do nosso próprio país, mas de todo o mundo." Friedrich Hayek, The Economy, Science and Politics
  • "A principal tarefa da economia política parece ser, deste modo, criar uma infraestrutura na qual o indivíduo não apenas pode livremente decidir para si o que ele quer ou não, mas na qual, também, essa decisão, baseada em seu conhecimento particular, contribuirá tanto quanto possível para o produto agregado." Friedrich Hayek, The Economy, Science and Politics
  • "Devemos entender que as fontes de muitos dos fatores mais perniciosos deste mundo não são em geral mentes perversas, mas idealistas magnânimos, e que, em particular, os fundamentos do barbarismo totalitário foram estabelecidos por scholars respeitáveis e bem-intencionados que nunca reconheceram sua prole."  F. A. Hayek, Direito, Legislação e Liberdade
  • "O que a autoridade planejadora teria que saber seria não apenas meras somas, mas condições peculiares e distintas prevalecentes em cada empresa, as quais afetam a informação sobre valores transmitidos através dos preços de mercado, mas que se perderiam completamente em qualquer informação estatística sobre quantidades que podem chegar à autoridade de tempos em tempos." Friedrich Hayek, "Two Pages of Fiction: The Impossibility of Socialist Calculation", Economic Affairs (1982)
  • “Quais são, então, as características essenciais do verdadeiro individualismo? A primeira coisa que deve ser dita é que ele é, primeiramente, uma teoria da sociedade – uma tentativa de compreender as forças que determinam a vida social do homem –, e apenas em segunda instância um conjunto de máximas políticas derivadas desse ponto de vista sobre a sociedade. Esse fato já deveria, por si só, ser suficiente para refutar as mais tolas das incompreensões comuns: a crença de que o individualismo postula a (ou baseia seus argumentos na suposição da) existência de indivíduos isolados e independentes, ao invés de começar por homens cuja inteira natureza e caráter é determinada por sua existência em sociedade. Se aquela alegação fosse verdade, ele não teria nada para contribuir para a nossa compreensão da sociedade. Mas a sua constatação básica é bastante diferente; é que não há qualquer outra maneira de compreensão dos fenômenos sociais a não ser através do nosso entendimento das ações individuais direcionadas a outras pessoas e guiadas por seu comportamento esperado." F. A. Hayek, Individualism: True and False
  • "Os três grandes valores negativos – Paz, Liberdade e Justiça – são, de fato, os únicos fundamentos imprescindíveis da civilização que cabe ao governo prover. Estão necessariamente ausentes na condição 'natural' do homem primitivo, e os instintos inatos do homem não os propiciam aos seus semelhantes." Friedrich Hayek, Law, Legislation and Liberty, cap. 18
  • "Um mundo em que a maioria pudesse impedir o surgimento de tudo que ela própria não aprovasse seria um mundo estagnado e, provavelmente, em decadência." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. VIII
  • "Na prática, regularmente é o teórico coletivista quem exalta a razão individual e demanda que todas as forças da sociedade sejam submetidas à direção de uma única mente dominante, enquanto é o individualista que reconhece as limitações dos poderes da razão individual e, consequentemente, advoga a liberdade como um meio para o mais completo desenvolvimento dos poderes do processo inter-individual." Friedrich Hayek, The Counter-Revolution of Science, "Purposive" Social Formations (ch. 8)
  • "O requisito essencial para a proteção do indivíduo contra a coerção não é a posse de propriedade, mas o fato de os meios materiais que lhe permitem seguir qualquer plano de ação não deverem estar totalmente sob o controle exclusivo de outro agente." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. 9, parte 6
  • “Uma vez que o valor da liberdade repousa sobre as oportunidades de ações imprevistas e imprevisíveis que ela oferece, raramente saberemos o que perdemos em decorrência de determinada restrição à liberdade." F. A. Hayek, Direito, Legislação e Liberdade
  • “Que o verdadeiro individualismo afirma o valor da família e de todos os esforços comuns da pequena comunidade e do pequeno grupo, que ele acredita em autonomia local e associações voluntárias, e que de fato seu argumento se sustenta largamente na asserção de que muito daquilo para o que se usualmente invoca a ação coercitiva do Estado pode ser melhor feito pela colaboração voluntária, não precisa ser mais enfatizado." Hayek, Individualism: True and False
  • "Não é preciso repetir que a inflação não é uma calamidade natural inevitável; ela é, sempre, o resultado da fraqueza ou da ignorância dos responsáveis pela política monetária." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade
  • "Se o fenômeno social não mostrasse qualquer ordem exceto aquela que fosse conscientemente desenhada, não haveria de fato espaço para ciências teóricas da sociedade e haveria, como se argumenta frequentemente, apenas problemas de psicologia." Friedrich Hayek, The Counter-Revolution of Science, The Individualist and "Compositive" Method of the Social Sciences (ch. 4)
  • "Colocar junto, sob o nome de 'iluminismo' (ou Aujklärung), os filósofos franceses por um lado, de Voltaire a Condorcet, e por outro lado os pensadores escoceses e ingleses, de Mandeville até Hume, Smith e Burke, é encobrir diferenças que, pela influência desses homens no século posterior, foram muito mais importantes do que qualquer similaridade superficial que possa existir." Friedrich Hayek, Studies, The Legal and Political Philosophy of David Hume
  • "Meus ganhos ao ler ou ouvir o que as outras pessoas pensavam foi que isso mudou, por assim dizer, as cores dos meus próprios conceitos. O que eu lia ou ouvia não me capacitava a reproduzir seus pensamentos, mas alterava meu pensamento. Eu não conservaria suas ideias ou conceitos, mas modificaria as relações entre os meus próprios."   Friedrich Hayek, Two Types of Mind
  • "A concorrência deve ser encarada corno um processo em que as pessoas adquirem e transmitem conhecimento – tratá-la como se todo esse conhecimento estivesse, desde o início, à disposição de qualquer pessoa é transformá-la num contra-senso. E é tão absurdo julgar os resultados concretos da concorrência com base numa ideia preconcebida dos produtos que ela 'deve' gerar quanto o seria julgar os resultados da experimentação científica por sua correspondência com o que era esperado." F. A. Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, cap. XV
  • "Pouco se atentou para o fato fundamental da inelutável ignorância dos homens a respeito da maioria das bases em que assenta o processo da civilização. Filósofos e estudiosos da sociedade têm geralmente atenuado sua importância, considerando-a uma imperfeição menor, que poderia ser mais ou menos desprezada." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. II
  • "A tradição anti-racionalista, no caso, está mais próxima da tradição cristã, que define o homem como falível e pecador, enquanto o perfeccionismo dos racionalistas é incompatível com tal tradição. Nem mesmo o famoso conceito do "homem econômico" pertence, originalmente, à tradição evolucionista britânica. Não seria tão exagerado afirmar que, segundo aqueles filósofos britânicos, o homem era, por natureza, preguiçoso e indolente, imprevidente e esbanjador, e que apenas por força das circunstâncias poderia ser obrigado a se comportar de forma econômica ou aprender a adaptar cuidadosamente seus meios a seus fins. O homo oeconomicus só foi dado a conhecer por John Stuart Mill, juntamente com várias outras idéias que pertencem muito mais à tradição racionalista que à evolucionista." F. A. Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. IV
  • "Essa ignorância necessária da maioria dos fatos particulares que integram a ordem de uma Grande Sociedade é a causa do problema central de toda ordem social, e a falsa hipótese que leva a colocá-la provisoriamente em segundo plano em geral nunca é explicitamente abandonada, mas apenas convenientemente esquecida." F. A. Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, cap. I
  • "A importância da imutabilidade e clareza da lei para a viabilidade de uma sociedade livre dispensa comentários. Não existe, provavelmente, fator que tenha contribuído mais para a prosperidade do Ocidente do que a relativa imutabilidade e clareza da lei, que aqui predominou." Friedrich Hayek, Os Fundamentos da Liberdade, cap. XIV
  • "Falar de uma sociedade cujos fatos particulares o observador ou qualquer de seus integrantes conhece em sua totalidade é falar de algo inteiramente diverso de tudo que jamais tenha existido – uma sociedade na qual praticamente tudo que se encontra na nossa não existiria e não poderia existir e que, se jamais existisse, possuiria propriedades que nem sequer somos capazes de imaginar." F. A. Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, cap. I
  • "Aquilo de que esse homem precisará para fazer uma boa escolha entre as opções que conhece são sinais, na forma dos preços conhecidos que pode obter pelos serviços ou bens alternativos que está apto a produzir. De posse dessa informação, será capaz de usar seu conhecimento das circunstâncias de seu meio ambiente para escolher seu objetivo imediato ou a atividade da qual espera obter os melhores resultados. Será por meio dessa escolha de objetivos imediatos – para ele, simplesmente um meio generalizado de alcançar seus fins últimos – que o indivíduo usará seu conhecimento particular dos fatos para atender às necessidades de seus semelhantes; e é, portanto, graças à liberdade de escolher os fins pessoais que se processa a utilização do conhecimento disperso por toda a sociedade." Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, Vol. 2, cap. 7
  • "Tudo levaria a crer que, onde quer que tenha surgido uma Grande Sociedade, ela foi possibilitada por um sistema de normas de conduta justa que incluía o que David Hume chamava de 'as três leis fundamentais da natureza, a da estabilidade da propriedade, a de sua transferência por consentimento e a do cumprimento das promessas' ou como um autor contemporâneo sintetiza o conteúdo essencial de todos os sistemas atuais de direito privado: 'a liberdade de contrato, a inviolabilidade da propriedade e a obrigação de compensar o outro pelo dano produzido por culpa própria.” Friedrich Hayek, Direito, Legislação e Liberdade, volume 2
  • "Se o que é chamado Sprachgefübl consiste em nossa capacidade de seguir regras ainda não formuladas, não há qualquer razão por que, por exemplo, o senso de justiça (o Rechtsgefühl) não deveria também consistir em tal capacidade de seguir regras que nós não conhecemos no sentido de podermos declará-las.” F. A. Hayek, Rules, Perception and Intelligibility
  • “Não há justificativa para o mito cuidadosamente propagado de que é necessário haver, num dado território, um tipo uniforme de dinheiro ou moeda legal.” F. A. Hayek, Direito, Legislação Liberdade, volume 3
  • "Sem duvida alguma, foi somente quando o poder passou para as mãos da maioria que se julgou desnecessário continuar limitando o poder do Estado." Friedrich Hayek, Por que não sou um conservador
  • "Inaceitável não é a democracia, e sim o Estado com poderes ilimitados, e não vejo por que os indivíduos não devam ter o direito de aprender a limitar o âmbito do governo da maioria bem como o de qualquer outra forma de governo." Friedrich Hayek, Por que não sou um conservador
  • "O mal maior é o governo ilimitado, e ninguém tem o direito de fazer uso de um poder ilimitado. Os poderes de que a democracia moderna dispõe seriam ainda mais intoleráveis nas mãos de alguma pequena elite." Friedrich Hayek, Por que não sou um conservador
  • "O liberal difere do conservador na disposição de aceitar esta ignorância e de admitir que sabemos muito pouco, sem reivindicar uma autoridade de origem supranatural do conhecimento sempre que rua razão falhar." Friedrich Hayek, Por que não sou um conservador
  • "Ao contrário do racionalismo da Revolução Francesa, o verdadeiro liberalismo não é contrário à religião, e apenas posso deplorar a militância anti-religiosa, essencialmente não liberal, que animou grande parte do liberalismo no continente europeu no século XIX." Friedrich Hayek, Por que não sou um conservador
  • "O que distingue o liberal do conservador é que, por mais profundas que sejam suas convicções espirituais, ele nunca se considerará no direito de impô-las aos demais e o fato de, para ele, o espiritual e o temporal serem esferas distintas que não devem ser confundidas." Friedrich Hayek, Por que não sou um conservador
  • "Sem preferir o novo apenas por ser novo, o liberal está consciente de que é da essência da realização humana produzir o novo; e está preparado para conviver com o novo conhecimento, goste ou não de seus efeitos imediatos." Friedrich Hayek, Por que não sou um conservador
  • "Pessoalmente, acho que o aspecto mais reprovável da atitude conservadora é sua tendência a rejeitar novos conhecimentos, ainda que bem fundamentados, porque desaprova algumas das consequências que aparentemente decorrem deles – ou, mais francamente, seu obscurantismo." Friedrich Hayek, Por que não sou um conservador

O Caminho da Servidão[editar]

  • "A luta pela segurança tende a ser mais forte do que o amor à liberdade."
  • "Se, a longo prazo, somos criadores do nosso destino, de imediato somos escravos das idéias que criamos."
  • "Quando o curso da civilização toma um rumo inesperado - quando, ao invés do progresso contínuo que nos habituamos a esperar, vemo-nos ameaçados por males que associamos à barbárie do passado - naturalmente atribuímos a culpa a tudo, exceto a nós mesmos".
  • "Com o sucesso nasceu a ambição - e o homem tem todo o direito de ser ambicioso."
  • "A atitude do liberal para com a sociedade é semelhante à do jardineiro que cuida de uma planta e que, a fim de criar as condições mais favoráveis ao seu crescimento, deve conhecer tudo o que for possível a respeito da estrutura e das funções dessa planta."
  • "No que se referia à liberdade, os fundadores do socialismo não escondiam suas intenções. Eles consideravam a liberdade de pensamento a origem de todos os males da sociedade do século XIX, e o primeiro dos planejadores modernos, Saint-Simon, chegou a predizer que aqueles que não obedecessem às comissões de planejamento central por eles propostas seriam 'tratados como gado' ".
  • "Sem dúvida a promessa de maior liberdade tornou-se uma das armas mais eficazes da propaganda socialista, e por certo a convicção de que o socialismo traria a liberdade é autentica e sincera. Mas essa convicção apenas intensificaria a tragédia se ficasse demonstrado que aquilo nos comprometeria como o Caminho da Liberdade era na realidade o Caminho da Servidão."
  • "Os próprios comunistas devem ter ficado um tanto abalados com depoimentos como o de Max Eastman, velho amigo de Lênin, compelido a admitir que 'ao invés de melhor, o stalinismo é pior que o facismo, mais cruel, bárbaro, injusto, imoral, antidemocrático, e sem a atenuante de qualquer esperança ou escrúpulo', de sorte que 'seria mais correto defini-lo como super-facista' ."
  • "Com efeito, uma das principais justificativas da concorrência é que ela dispensa a necessidade de um 'controle social consciente' e oferece aos indivíduos a oportunidade de decidir se as perspectivas de determinada ocupação são suficientes para compensar as desvantagens e riscos que a acompanha."
  • "O bom uso da concorrência como princípio de organização social exclui certos tipos de intervenção coercitiva na vida econômica, mas admite outros que às vezes podem auxiliar consideravelmente seu funcionamento, e mesmo exige determinadas formas de ação governamental."
  • "Qualquer alternativa de controlar os preços ou as quantidades desta ou daquela mercadoria impede que a concorrência promova uma efetiva coordenação dos esforços individuais, porque as alterações de preço deixarão assim de registrar todas as alterações importantes das condições de mercado e não mais fornecerão ao indivíduo a informação confiável pela qual possa orientar suas ações."
  • "Proibir o uso de substâncias tóxicas ou exigir precauções especiais para sua utilização, limitar as horas de trabalho ou requer certas disposições sanitárias, é inteiramente compatível com a manutenção da concorrência."
  • "O funcionamento da concorrência não apenas requer a organização adequada de certas instituições como a moeda, os mercados e os canais de informação - algumas das quais nunca poderão ser convenientemente geridas pela iniciativa privada - mas depende sobretudo da existência de um sistema legal apropriado, estruturado de modo a manter a concorrência e a permitir que ela produza os resultados mais benéficos possíveis."
  • "Por exemplo, a colocação de sinais de tráfego nas ruas e, na maioria das circunstâncias, a construção das próprias vias públicas, não pode ser paga pelos seus usuários individualmente."
  • "Ou, em outras palavras, planificação e concorrência só podem ser combinadas quando se planeja visando a concorrência, mas nunca contra ela."
  • "A tendência ao monopólio e ao planejamento não decorre de 'fatos objetivos' e incontroláveis. É, ao contrário, produto de opniões promovidas e propagadas durante meio século, até que chegaram a dominar toda a nossa política de governo."
  • "Quanto mais complexo o todo, mais dependemos da divisão de conhecimentos entre indivíduos cujos esforços separados são coordenados pelo mecanismo impessoal, transmissor dessas importantes informações, que denominamos sistema de preços."
  • "Entre o idealista dedicado e o fanático, muitas vezes há apenas um passo."
  • "O 'objetivo social' ou o 'propósito comum' para o qual se pretende organizar a sociedade costuma ser vagamente definido como o 'bem comum', o 'bem-estar geral' ou o 'interesse comum'. Não é necessário muito esforço para se perceber que esses termos não estão suficientemente definidos para determinar uma linha específica de ação. O bem-estar e a felicidade de milhões não podem ser aferidos numa escala única de valores."
  • "A essência do problema econômico está em que a elaboração de um plano envolve a escolha entre as finalidades conflitantes ou que competem entre si - diferentes necessidades de pessoas diversas."
  • "Para que o indivíduo possa empregar com eficácia seus conhecimentos na elaboração de planos, deve estar em condições de prever as ações do Estado que podem afetar esses planos."
  • "A maioria dos planejadores que analisaram em profundidade os aspectos práticos de sua tarefa está certa de que uma economia dirigida deve seguir linhas mais ou menos ditatoriais."
  • "Se lutamos pelo dinheiro, é porque ele nos permite escolher da forma mais ampla como melhor desfrutar os resultados de nossos esforços."
  • "Seria muito mais certo dizer que o dinheiro é um dos maiores instrumentos de liberdade já inventados pelo homem."
  • "É quase ilimitado o poder conferido pelo controle da produção e dos preços."
  • "É significativo que uma das objeções mais frequentes à concorrência é que ela é 'cega'. Convém lembrar, entretanto, que, para os antigos, a cegueira era atributo da deusa da justiça.
  • "O que o socialismo prometia não era uma distribuição absolutamente igual, mas uma distribuição mais justa e mais equitativa. A única meta a que de fato se visa não é a igualdade em sentido absoluto, mais uma 'igualdade maior'."
  • "Não foram os facistas, mas os socialistas, que começaram a arregimentar as crianças desde a mais tenra idade em organizações políticas para garantir que elas se tornassem bons proletários."
  • "É raro encontrar independência de espírito ou força de caráter entre aqueles que não confiam na sua capacidade de abrir caminho pelo próprio esforço."
  • "Poucas coisas têm tido efeito tão pernicioso quanto o ideal de "estabilização" de certos preços (ou salários), pois, embora ela garanta a renda de alguns, torna cada vez mais precária a posição dos demais."
  • "A geração de hoje cresceu num mundo em que, na escola e na imprensa, o espírito da livre iniciativa é apresentado como indigno e o lucro como imoral, onde se considera uma exploração dar emprego a cem pessoas, ao passo que chefiar o mesmo número de funcionários públicos é uma ocupação honrosa."
  • "Quase que por uma lei da natureza humana, parece ser mais fácil aos homens concordarem sobre um programa negativo - o ódio a um inimigo ou a inveja aos que estão em melhor situação - do que sobre qualquer plano positivo."
  • "O coletivismo em proporções mundias parece inconcebível, a não ser para atender aos interesses de uma pequena elite dirigente."
  • "Fracionar ou descentralizar o poder corresponde, forçosamente, a reduzir a soma absoluta de poder, e o sistema de concorrência é o único capaz de reduzir ao mínimo, pela descentralização, o poder exercido pelo homem sobre o homem."
  • "Da perspectiva coletivista, a intolerância e a brutal supressão da dissidência, o completo desrespeito pela vida e pela felicidade do indivíduo são consequências essenciais e inevitáveis dessa premissa básica."
  • "Uma civilização complexa como a nossa baseia-se necessariamente no ajustamento do indivíduo a mudanças cuja causa e natureza ele não pode compreender."
  • "A liberdade individual é inconciliável com a supremacia de um objetivo único ao qual a sociedade inteira tenha de ser subordinada de uma forma completa e permanente."
  • "É sensato sacrificar temporariamente a liberdade de modo a garanti-la para o futuro; não se pode dizer, porém, o mesmo de um sistema proposto como solução permanente."
  • “A liberdade econômica que constitui o requisito prévio de qualquer outra liberdade não pode ser aquela que nos libera dos cuidados econômicos, segundo nos prometem os socialistas, e que só se pode obter eximindo o indivíduo ao mesmo tempo da necessidade e do poder de escolha: deve ser a liberdade de ação econômica que, junto com o direito de escolher, também acarreta inevitavelmente os riscos e a responsabilidade inerentes a esse direito.”