Frederic Bastiat

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-3.svg Este artigo ou secção não cita as suas fontes ou referências. Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes.
Frederic Bastiat
Frederic Bastiat
Frederic Bastiat em outros projetos:

Claude Frédéric Bastiat (30 de junho de 180124 de dezembro de 1850) foi um economista francês.



A Lei[editar]

  • "A lei é pervertida! E com ela os poderes de polícia do Estado também pervertidos! A lei, digo, não somente distanciada de sua própria finalidade, mas voltada para a consecução de um objetivo inteiramente oposto!"
  • "A vida, a liberdade e a propriedade não existem pelo simples fato de os homens terem feito leis. Ao contrário, foi pelo fato de a vida, a liberdade e a propriedade existirem antes que os homens foram levados a fazer as leis".
  • "O que é então a lei? É a organização coletiva do direito individual de legítima defesa".
  • "E o que são nossas faculdades senão um prolongamento de nossa individualidade? E o que é a propriedade senão uma extensão de nossas faculdades?".
  • "Quem ousaria dizer que a força nos foi dada, não para defender nossos direitos, mas para destruir iguais direitos de nossos irmãos?".
  • "Pode-se ainda afirmar que, graças à não-intervenção do Estado nos negócios privados, as necessidades e as satisfações se desenvolveriam numa ordem natural; não se veriam mais as famílias pobres buscando instrução literária antes de ter pão para comer. Não se veria a cidade povoar-se em detrimento do campo ou o campo, em detrimento da cidade".
  • "Infelizmente, a lei nem sempre se mantém dentro de seus limites próprios".
  • "A lei perverteu-se por influência de duas causas bem diferentes: a ambição estúpida e a falsa filantropia".
  • "Ora, sendo o trabalho em si mesmo um sacrifício, e sendo o homem naturalmente levado a evitar os sacrifícios, segue-se daí que - e a história bem o prova - sempre que a espoliação se apresentar como mais fácil que o trabalho, ela prevalece".
  • "Não poderiam, pois, ser introduzidas na sociedade mudanças e infelicidade maiores que esta: a lei convertida em instrumento de espoliação".
  • "Às vezes a lei defende a espoliação; outras vezes, a leva a cabo por suas próprias mãos, no intuito de poupar o beneficiário da vergonha, do perigo e do escrúpulo.Às vezes ela usa todo o aparato da magistratura, da polícia, guardas e prisão em prol do espoliador, tratando como criminoso o espoliado que se defende".
  • "Agora, a espoliação legal pode ser cometida de infinitas maneiras. Possui-se um número infinito de planos para organizá-la: tarifas, protecionismos, benefícios, subvenções, incentivos, imposto progressivo, instrução gratuíta, garantia de empregos, de lucros, de salário mínimo, de previdência social, de instrumentos de trabalho, gratuidade de crédito, etc".
  • "Se a espoliação está acobertada pela lei, não pode ter contra ela os tribunais, os guardas, as prisões".
  • "Não se acha suficiente que a lei seja justa, pretende-se também que seja filantrópica".
  • "Não se julga suficiente que a lei garanta a cada cidadão o livre e inofensivo uso de suas faculdades para o seu próprio desenvolvimento físico, intelectual e moral. Exige-se, ao contrário, que espalhe diretamente sobre a nação o bem-estar, a educação e a moralidade".
  • "Um cidadão não pode, ao mesmo tempo, ser e não ser livre".
  • "A fraternidade forçada destrói a liberdade".
  • "Eu não consigo sinceramente entender como a fraternidade pode ser legalmente forçada, sem que a liberdade seja legalmente destruída e, em conseguencia, a justiça legalmente pisada".
  • "Quando a própria lei comete um ato que ela deveria reprimir, nesse caso a espoliação não é menor, porém maior e, do ponto de vista social, com circunstâncias agravantes".
  • "Tente-se imaginar uma forma de trabalho imposta pela força, que não atinja a liberdade; uma transmissão de riqueza imposta pela força, que não seja uma violação da propriedade".
  • "Nada entra no tesouro público em benefício de um cidadão ou de uma classe sem que outros cidadãos e outras classes tenham sido forçados a contribuir para tal".
  • "O socialismo, como as velhas idéias de onde emana, confunde a distinção entre o governo e sociedade. Como resultado disso, cada vez que nos opomos a algo que o governo queira fazer, os socialistas concluem que estamos fazendo oposição".
  • "Os socialistas temem todas as liberdades".
  • "Bem se vê que os social-democratas não podem permitir aos homens nenhuma liberdade, pois acreditam que a natureza humana, a menos que os senhores socialistas intervenham para pôr ordem em tudo, tende sempre para alguma espécie de degradação e desordem moral".
  • "Por acaso os legisladores e seus agentes não fazem parte do gênero humano?".
  • "Lei e caridade não são a mesma coisa".
  • "A lei é a justiça. Dentro deste princípio se pode conceber um governo simples e duradouro".
  • "Parece-me que tenho a meu favor a teoria, pois qualquer que seja o assunto em discussão, quer religioso, filosófico, político, econômico, quer se trate de prosperidade, moralidade, igualdade, direito, justiça, progresso, trabalho, cooperação, propriedade, comércio, capital, salários, impostos, população, finanças ou governo, em qualquer parte do horizonte científico em que eu coloque o ponto de partida em minhas investigações, invariavelmente chego ao seguinte: a solução do problema social está na liberdade".
  • "Gente demais se coloca acima da humanidade para regê-la, gente demais para se ocupar dela".
  • "Fora com suas manias de administradores governamentais, seus projetos socializados, sua centralização, seus preços tabelados, suas escolas públicas, suas religiões oficiais, seus créditos livres, seus bancos gratuitos ou monopolizados, suas regras, suas restrições, sua piedosa moralização ou igualação pelo imposto!".

Ensaios[editar]

  • "Não esperar senão duas coisas do Estado: Liberdade e Segurança, e ter bem claro que não se poderia pedir mais uma terceira coisa, sob o risco de perder as outras duas".
  • "Na esfera econômica, um ato, um hábito, uma instituição, uma lei não geram somente um efeito, mas uma série de efeitos".
  • "O estado é a grande ficção da qual todo mundo se esforça para viver às custas de todo mundo".
  • "De fato, o Estado não é maneta e nem poderia sê-lo. Ele tem duas mãos: uma para receber e outra para dar, ou, melhor dizendo, a mão rude e a mão delicada. A ação da segunda subordina-se necessariamente à da primeira".