Canal do Otário

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Personagem "Otário Anonymous"

Canal do Otário é um canal do YouTube e um website, criado em 3 de fevereiro de 2012 por um usuário anônimo, cujo pseudônimo é Otário Anonymous. Dedica-se a investigar e denunciar campanhas publicitárias enganosas, a alta carga tributária que incide sobre bens de consumo no Brasil e preços abusivos praticados por algumas empresas.


  • "O personagem, que já se tornou popular na internet, investiga propagandas enganosas e as satiriza no YouTube com um saco de papel na cabeça."
- Fonte: The Wall Street Journal, 10 de outubro de 2013[1]
  • "Além de colocar um saco de papel na cabeça, ele usa um terno com luvas brancas para ocultar sua raça e idade e prefere não revelar seu nível de educação. A voz dele também é alterada."
- Fonte: The Wall Street Journal, 10 de outubro de 2013[2]
  • "Diferente de outros canais sensacionalista que você encontra no YouTube, o Canal do Otário fez a lição de casa, e trocou mensagens com alguns trabalhadores dos Correios, o resultado final, foi um vídeo que não culpa os funcionários operacionais da ECT pelo mal atendimento e muito menos "encontra como solução milagrosa" para privatizar a empresa."
- Fonte: Mundo Sindical Correios, 30 de setembro de 2013[3]
  • "Ao contrário do que o Canal do Otário afirma, o Marco Civil da Internet traz mais garantias para a liberdade de expressão na internet, não a ameaça como ele insiste em dizer."
- Fonte: Paulo Rená, 27 de junho de 2014[4]
- Mestre em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília e fundador do Partido Pirata do Brasil, foi gestor do projeto de elaboração do Marco Civil da Internet no Ministério da Justiça.
  • "Com muita fúria, o Otário se dedica horas a pesquisas na internet em busca de detalhes sobre todas as grandes empresas. A intenção é expor as armadilhas no Canal do Otário, que tem site próprio e uma página no Facebook, com mais de um milhão de seguidores."
- Fonte: Mikaella Campos, A Gazeta, 6 de novembro de 2014[5]

Referências:[editar]

  1. Usuários de redes sociais debatem liberdade de expressão no Brasil. The Wall Street Journal, 10 de outubro de 2013.
  2. Usuários de redes sociais debatem liberdade de expressão no Brasil. The Wall Street Journal, 10 de outubro de 2013.
  3. Insatisfação: Agora é sua vez Correios. Mundo Sindical Correios, 30 de setembro de 2013.
  4. Mais uma lorota do Canal do Otario contra o Marco Civil?. Paulo Rená, 27 de junho de 2014.
  5. "Por ser feito de otário, decidi me tornar o maior pesadelo das empresas". Mikaella Campos, A Gazeta, 6 de novembro de 2014.