As Vantagens De Ser Invisível

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

As Vantagens De Ser Invisível, em inglês The Perks Of Being A Wallflower, é um livro escrito por Stephen Chbosky, publicado originalmente em 1999.



Parte Um[editar]

  • "Então, esta é minha vida. E quero que você saiba que sou feliz e triste ao mesmo tempo, e ainda estou tentando entender como posso ser assim."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 12
  • "Apesar de me sentir muito triste, acho que o que realmente me aborrece é não entender o que aconteceu."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 14
  • "Eu bem que gostaria de saber. Assim eu sentiria a falta dele com mais clareza. A dor poderia fazer sentido."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 14
  • "Talvez seja chato que agora isso sejam somente lembranças. E talvez não seja chato."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 27
  • "- Você sabe que é novo demais para mim, não é, Charlie? Você sabe disso, né?
    - É, eu sei.
    - Eu não quero que você perca seu tempo pensando em mim desta forma.
    - Eu não penso. Foi só um sonho."
- Sam & Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 32
  • "A gente aceita o amor que acha que merece."
- Bill
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 35
  • "- Mas eu o amo! - Nunca vi minha irmã chorar tanto.
    - Não ama não.
    - Eu odeio você!
    - Não odeia não. - Meu pai às vezes podia ser muito calmo.
    - Ele é a minha vida.
    - Nunca mais diga uma coisa dessas novamente. Nem mesmo para mim. - Era minha mãe falando."
- Mãe, Pai & Irmã de Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 35
  • "- Eu odeio você.
    Minha irmã disse isso de uma forma diferente da que falou com meu pai. Ela quis dizer isso pra mim. Quis mesmo.
    - Eu te amo - foi o que consegui responder."
- Charlie & Irmã
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 36
  • "Deixei que o silêncio colocasse as coisas no lugar em que elas deveriam estar."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 36
  • "Eu me sinto infinito."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 43
  • "Cinco minutos de toda uma vida tinham se passado, e nós nos sentíamos jovens de uma forma legal. Eu cheguei a comprar o disco, e contaria a você como foi, mas na verdade não foi o mesmo que estar em um carro a caminho de sua primeira festa de verdade, e você está sentado no meio da picape com duas pessoas legais quando começa a chover."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 43
  • "Ele é invisível. (...) Você vê as coisas. Você guarda silêncio sobre elas. E você compreende."
- Patrick, sobre Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 48
  • "Quando chegamos ao fim do túnel, Sam deu um grito muito divertido, e foi isso. Chegamos ao centro. As luzes nos prédios e todo o resto eram maravilhosos. Sam se sentou e começou a rir. Patrick também riu. Eu comecei a rir. E naquele momento eu seria capaz de jurar que éramos infinitos."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 49

Parte Dois[editar]

  • "Esse foi um daqueles dias em que eu não me importo de ir à escola porque o dia estava lindo. O céu estava coberto de nuvens e o ar parecia um banho morno. Não acho que tenha tido essa sensação de limpeza antes. Quando fui para casa, tive de aparar a grama para ganhar minha mesada e não me importei nem um pouco. Eu só ouvi música, vivi o dia e rememorei coisas. Coisas como andar pelo bairro, olhar as casas, os gramados, as árvores coloridas e ficar satisfeito com tudo."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 52
  • "Então, acho que o zen é um dia como esse, quando você é parte do ar e se lembra de coisas."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 52
  • "Perguntei a Patrick se ele ficou triste de ter de guardar segredo, e Patrick só disse que ele não ficou triste porque pelo menos agora Brad não tinha de beber ou ficar doidão para fazer amor com ele."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 56
  • "É como se ele tirasse uma foto da Sam e a foto saísse linda. E ele pensasse que o motivo para a foto sair bonita fosse ele fotografar bem. Se eu fizesse a foto, saberia que o único motivo da beleza é a própria Sam."
- Charlie, sobre Craig
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 58
  • "Eu acho que é ruim quando um cara olha para uma garota e pensa que a forma como ele a vê é melhor do que a garota realmente é. E acho ruim quando a forma mais sincera de um cara olhar uma garota é através de uma câmera. É muito difícil para mim ver a Sam se sentir melhor consigo mesma só porque um cara mais velho a vê desta forma."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 58
  • "Talvez sejam estes os meus dias de glória, e eu não percebi ainda porque eles não envolvem uma bola."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 62
  • "Fotos antigas parecem muito austeras e novas, e as pessoas nas fotografias sempre parecem um pouco mais felizes do que você."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 62
  • "Espero poder lembrar a meus filhos de que eles são tão felizes quanto eu nas fotos antigas. E espero que eles acreditem em mim."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 63
  • "Primeiro, tenho muito interesse e fico fascinado em ver como as pessoas se amam, mas não gostam realmente umas das outras. Segundo, as brigas são sempre as mesmas."
- Charlie, sobre os motivos de ele gostar das festas em família
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 66
  • "Só duas pessoas não sorriam ali. Eu e meu avô. Meu avô estava chorando. O tipo de choro que é silencioso e secreto. O tipo de choro que só eu percebi. Pensei nele indo ao quarto da minha mãe quando ela era pequena e batendo nela, e erguendo o o boletim e dizendo que as notas ruins nunca acontecessem novamente. E eu acho agora que talvez ele se referia a meu irmão mais velho. Ou minha irmã. Ou eu. Que ele tinha certeza de que foi o último a trabalhar numa fábrica. Não sei se isso é bom ou ruim. Não sei se é melhor ter seus filhos felizes e não irem para a faculdade. Não sei se é melhor estar perto de sua filha ou ter certeza de que ela tenha uma vida melhor do que a sua. Simplesmente não sei. Eu fiquei em silêncio e o observei."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 69
  • "Achei que tinha a mim mesmo na palma da mão, era uma fita que continha todas aquelas lembranças e sentimentos e grandes alegrias e tristezas. Bem na palma da minha mão. E penso em como muitas pessoas têm adorado essas canções. E como muitas pessoas passaram por maus bocados por causa dessas canções. E como muitas pessoas tiveram bons momentos com essas canções. E o quanto essas canções realmente significam. Acho que seria ótimo ter escrito uma delas. Aposto que, se eu tivesse escrito uma dessas músicas, ficaria muito orgulhoso. Espero que as pessoas que escreveram essas canções sejam felizes. Tomara que elas se sintam realizadas. Tomara mesmo, porque elas me fazem feliz. E eu não sou o único."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 72
  • "As luzes do lado de fora estavam acesas, estava nevando e o momento parecia mágico. Como se estivéssemos em outro lugar. Como se estivéssemos em um lugar melhor."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 75
  • "Quando terminei de ler o poema, todos estavam em silêncio. Um silêncio muito triste. Mas a coisa maravilhosa foi que não era uma tristeza ruim. Era só alguma coisa que fazia com que todos olhassem para os outros e soubessem quem eles eram. Sam e Patrick olharam para mim. E eu olhei para eles. E acho que eles sabiam. Não alguma coisa específica. Apenas sabiam. E eu acho que é tudo o que você pode pedir de um amigo."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 76
  • "Acho que todos parecíamos meio bêbados, mas não nos sentíamos idiotas. Posso afirmar isso a você."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 76
  • "Sam me olhou com doçura. E me abraçou. E eu fechei os olhos, porque só queria sentir os seus braços. E ela me deu um beijo na testa e sussurrou para que ninguém mais ouvisse:
    "Eu te amo."
    Eu sabia que ela queria dizer no sentido de amizade, mas não me preocupei, porque tinha sido a terceira vez desde qeu tia Helen morreu que eu ouvia isso de alguém. As outras duas vezes foram da minha mãe."
- Charlie & Sam
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 78
  • "Mas ela me deu um presente. E, pela primeira vez, uma coisa legal como essa me fez sorrir em vez de chorar."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 79
  • "Ela ergueu a toalha, e lá estava eu, de pé em meu velho terno, olhando para uma máquina de escrever com uma fita nova. Na máquina havia uma folha de papel. Naquela folha de papel Sam escreveu: "Escreva sobre mim de vez em quando." E eu datilografei só isso para ela, de pé, ali no seu quarto: "Vou escrever." E me senti bem em saber que aquelas foram as duas primeiras palavras que eu escreveria na nova máquina de escrever antiga que a Sam me deu."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 79
  • "- Eu sei que você sabe que eu gosto do Craig. E sei que te disse para não pensar em mim daquele jeito. E sei que podemos ficar juntos assim. Mas quero que você esqueça todas essas coisas por um minuto, tá bom?
    - Tá.
    - Quero ser a primeira pessoa a beijar você. Tudo bem?
    - Tudo.
    E ela me beijou. Foi um tipo de beijo que eu nunca poderia contar a meus amigos como foi veemente. Foi o tipo de beijo que me fez saber que eu nunca seria tão feliz em toda a minha vida."
- Charlie & Sam
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 79
  • "Em uma folha de papel amarelo com linhas verdes
    ele escreveu um poema
    E o intitulou "Chops"
    porque era o nome de seu cão
    E era o que estava em toda parte
    E seu professor lhe deu um A
    e uma estrela dourada
    E sua mãe o abraçou à porta da cozinha
    e leu o poema para as tias
    Era o ano em que o padre Tracy
    levava todas as crianças ao zoológico
    E ele deixou que cantassem no ônibus
    E sua irmazinha tinha nascido
    com unhas minúsculas e nenhum cabelo
    E sua mãe e seu pai se beijavam tanto
    E a garota da esquina mandou para ele
    um cartão de Dia dos Namorados assinado com vários X
    e ele teve de perguntar ao pai o que significava X
    E seu pai deixou que ele dormisse na sua cama à noite
    E era sempre lá que ele dormia

    Em uma folha de papel de papel com linhas azuis
    ele escreveu um poema
    E o intitulou "Outono"
    porque era o nome da estação
    E era o que estava em toda parte
    E seu professor lhe deu um A
    e o pediu para escrever com mais clareza
    E sua mãe não o abraçou à porta da cozinha
    por causa da pintura nova
    E as crianças disseram a ele
    que o padre Tracy fumava cigarros
    E largava as guimbas no banco da igreja
    E às vezes elas faziam buracos
    Que era o ano de sua irmã usar óculos
    com lentes grossas e armação preta
    E a garota da esquina riu
    quando ele pediu para ver Papai Noel
    E os garotos perguntaram por que
    a mãe e o pai se beijavam tanto
    E seu pai não o cobria mais na cama à noite
    E seu pai ficou furioso
    quando ele chorou por isso.

    Em um pedaço de papel de seu caderno
    ele escreveu um poema
    E o intitulou "Inocência: Uma Questão"
    porque a questão era sobre uma garota
    E isso estava em toda parte
    E seu professor lhe deu um A
    e um olhar muito estranho
    E sua mãe não o abraçou à porta da cozinha
    porque ele nunca o mostrou a ela
    Foi o primeiro ano depois da morte do padre Tracy
    E ele esqueceu como terminava
    o Creio em Deus Pai
    E ele pegou a irmã
    se agarrando na varanda dos fundos
    E sua mãe e seu pai nunca se beijavam
    nem mesmo conversavam
    E a garota da esquina
    usava maquiagem demais
    O que fez ele tocir quando a beijou
    mas ele a beijou mesmo assim
    porque era a coisa certa a fazer
    E às três da manhã ele se aninhou na cama
    seu pai roncava alto

    É por isso que no verso de uma folha de papel pardo
    ele tentou outro poema
    E o intitulou "Absolutamente Nada"
    Porque era o que estava em toda parte
    E ele se deu um A
    e um corte em cada maldito pulso
    E se encostou na porta do banheiro
    porque nessa hora ele não pensou
    que poderia alcançar a cozinha."
- Charlie, lendo um poema que era o bilhete suicida de um autor desconhecido
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 80
  • "Subi a colina onde costumava usar o trenó. Havia muitas crianças ali. Eu fiquei vendo elas voarem. Dar saltos e apostar corridas. E pensei que todas aquelas crianças um dia iam crescer. E todas aquelas crianças iam fazer as coisas que nós fazemos. E todos eles beijarão alguém algum dia. Mas agora andar de trenó era o bastante. Acho que seria ótimo se bastasse um trenó, mas não é assim."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 83
  • "Mas há outra diferença entre vocês duas. É o seguinte: Kelly acredita tanto nos direitos da mulher que nunca deixaria que um cara batesse nela. Acho que não posso dizer o mesmo de você."
- Irmão de Charlie, para sua irmã sobre sua namorada
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 93
  • "A família do meu pai era parecida com a da minha mãe. Meu irmão certa vez disse que eram os mesmos primos com nomes diferentes."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 94
  • "Quando eu era muito pequeno, tínhamos a mãe da minha mãe, que sempre tinha doces, e a mãe do meu pai, que sempre tinha biscoitos. Minha mãe me disse que, quando eu era pequeno, eu as chamava de "vovó doce" e "vovó biscoito"."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 94
  • "As crianças pequenas falam das coisas mais estranhas. É verdade."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 96
  • "Imagino o que tia Rebecca diz no carro quando está voltando para casa. Imagino o que os filhos dela dizem. Imagino que eles falem de nós. Imagino que eles olhem para minha família e se perguntem quem tem uma chance de conseguir. Aposto que é isso o que eles fazem."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 98
  • "E prometi à tia Helen só chorar por coisas importantes, porque eu odiaria pensar que chorar como eu sempre faço diminuiria a importância desse choro pela tia Helen."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 103
  • "Não sei se você já se sentiu assim, querendo dormir por mil anos. Ou se sentiu que não existe. Ou que não tem consciência de que existe. Ou algo parecido. Acho que querer isso é muito mórbido, mas eu quero quando me sinto assim. É por isso que estou tentando não pensar."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 103

Parte Três[editar]

  • "Minha mãe pode ficar quieta e falar ao mesmo tempo quando está sendo positiva."
- Charlie, sobre sua mãe que tentava alegrá-lo
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 109
  • "Já se sentiu muito mal, depois tudo passar e você não saber por quê? Eu tento me lembrar, quando me sinto ótimo como agora, que haverá outra semana terrível algum dia, então procuro guardar o maior número de detalhes que posso, e assim, na próxima semana terrível, vou poder lembrar esses detalhes e acreditar que vou me sentir bem novamente. Não funciona muito, mas acho muito importante tentar."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 113
  • "Bob disse que tudo isso era porque nossos pais não querem que a gente cresça e que eles ficam mortificados quando não podem nos comparar a alguma coisa."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 114
  • "(...) a revista estava tentando transformá-lo num herói, mas depois alguém descobriria alguma coisa que o tornaria inferior a um ser humano."
- Charlie, sobre uma reportagem sobre Kurt Cobain
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 115
  • "Ela parecia mesmo triste e eu queria poder fazer com que ela se sentisse melhor, mas às vezes acho que não se deve."
- Charlie, sobre Sam
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 125
  • "E quando eu disse a ela que já os tinha lido, ela me fez umas perguntas muito longas, que na verdade eram apenas as idéias dela com um ponto de interrogação no final. A única coisa que eu pude dizer foi "sim" ou "não". Sinceramente, não havia espaço para dizer mais nada."
- Charlie, sobre Mary Elizabeth
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 138
  • "É quase como se só houvesse três coisas envolvidas: Mary Elizabeth, eu e as coisas importantes, e só a primeira importasse para Mary Elizabeth."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 138
  • "Não entendo isso. Eu daria um disco a alguém para que pudesse gostar do disco, e não para que sempre soubesse que fui eu quem dei."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 139
  • ""Desculpe. Eu sinto muito."
    E eu realmente sentia. E sabia que ela acreditava em mim. Mas quando isso não fez nenhuma diferença, e não houve nada no telefone a não ser o silêncio, eu reconheci que era tarde demais."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 148
  • "Sé queria que Deus, ou meus pais, ou minha irmã, ou alguém me dissesse o que há de errado comigo. Que me dissesse como ser diferente de uma forma que faça sentido. Que fizesse tudo isso passar. E desaparecer. Sei que é errado, porque a responsabilidade é minha, e sei que as coisas pioram antes de melhorarem porque é o que diz meu psiquiatra, mas essa fase pior está grande demais para mim."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 149

Parte Quatro[editar]

  • "Eu queria dizer que as coisas estão melhores, mas infelizmente isso não é verdade. É duro também, porque as aulas recomeçaram e não posso ir aos lugares que costumava ir. E não pode ser como era antes. E eu ainda não estava pronto para dizer adeus."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 152
  • "Não sei quanto tempo eu posso continuar sem um amigo. Eu costumava ser capaz de fazer isso com muita facilidade, mas foi antes de eu saber como era ter um amigo. É muito mais fácil não saber das coisas de vez em quando."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 154
  • "Nunca sentiu a falta dele?"
- Charlie, para Susan sobre Michael
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 154
  • "De repente me ocorreu que, se Michael estivesse por aqui, Susan provavelmente não estaria "saindo" mais com ele. Não porque ela fosse má pessoa, ou frívola, ou cruel. Mas porque as coisas mudam. E os amigos partem. E a vida não pára para ninguém."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 155
  • "Mas então parei, porque aquilo estava me deixando muito triste. Eu também pensei que se alguém me visse falando alto sozinho no carro, seus olhares me convenceriam de que o que estava errado comigo poderia ser pior do que eu imaginava."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 158
  • "É estranho como tudo pode voltar ao que era antes tão de repente quanto mudou originalmente. E quando uma coisa acontece e, de repente, tudo volta ao normal."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 159
  • "- Charlie, você é tão idiota às vezes. Sabia disso?
    - Sabia. Mesmo. Eu sei disso. Sério."
- Sam & Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 163
  • "Eu sei que você tentou. Estou dizendo para tentar de novo."
- Sam
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 163
  • "(...) e ele disse coisas que eram difíceis de ouvir, porque Patrick normalmente não é um cara infeliz."
- Charlie, sobre quando Patrick estava triste
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 165
  • "- As coisas vão ser diferentes lá. Têm de ser.
    - Elas serão - eu disse.
    - Você acha mesmo isso?
    - É claro.
    - Obrigado, Charlie."
- Patrick & Cahrlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 167
  • "Não há nada como a respiração profunda depois de dar uma gargalhada. Nada no mundo se compara à barriga dolorida pelas razões certas. E essa era ótima."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 169
  • "Seja cético a respeito deste aqui. É um grande livro. Mas procure ser um filtro, e não uma esponja."
- Bill
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 175
  • "Eu morreria por você. Mas eu não viveria por você."
- Charlie, citando o livro The Fountainhead
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 179
  • "Acho que a idéia é que cada pessoa tem de viver para a própria vida e depois escolher compartilhá-la com outra pessoa."
- Charlie, sobre a frase de The Fountainhead
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 179
  • "Racionalmente, eu sei que estou errado, mas é assim que sinto às vezes."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 182
  • "Basicamente, Craig estava enganando Sam desde que começaram a sair. E quando eu digo enganando, não quero dizer que ele bebia e saía por aí com uma garota e depois se arrependia. Foram várias garotas. Várias vezes. Bêbado e sóbrio. E acho que ele nunca se arrependeu."
- Charlie, sobre o fim do namoro de Sam e Craig
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 186
  • "Nunca me passou pela cabeça que isso poderia significar a Sam começando a gostar de mim. Eu só me preocupava com o fato de que Sam estava muito magoada. E acho que percebi, naquele momento, que eu realmente a amava. Porque não havia nada a ganhar, mas isso não importava."
- Charlie, sobre o fim do namoro de Sam e Craig
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 189
  • "Charlie, você é uma das pessoas mais dotadas que já conheci. E não digo isso em relação aos outros alunos. Quero dizer em relação a qualquer pessoa que eu tenha conhecido. É por isso que eu lhe dei tanto trabalho extra. E me pergunto se você teve consciência disso. (...) Charlie. Por favor, não me interprete mal. Não estou querendo que você fique sem graça. Só quero que você saiba que é muito especial... e o único motivo para eu lhe dizer isso é que não conheço mais ninguém assim. (...) Eu o considero um amigo, Charlie."
- Bill
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 190
  • "Quando estava indo para casa, só conseguia pensar na palavra "especial". E pensei que a última pessoa que me disse isso foi a tia Helen. Foi muito bom ter ouvido isso novamente. Porque eu acho que todos nós nos esquecemos às vezes. E eu acho que todo mundo é especial à sua própria maneira. É o que eu penso."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 192
  • "Os três primeiros discursos foram muito parecidos. Todos citaram canções da música pop que tinham alguma coisa a ver com o futuro. (...) E talvez eu esteja sendo parcial, mas quando minha irmã citou uma música pop e falou do futuro, pareceu muito bom."
- Charlie, sobre o discurso de formatura de sua irmã
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 198
  • "Eu amo muito minha mãe. Não me importo se o que digo é piegas. Acho que, no meu aniversário, vou comprar um presente para ela. Acho que devia ser uma tradição. Os filhos ganham presentes de todos e compram um presente para sua mãe porque ela estava lá também. Acho que isso seria legal."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 198
  • "Acho que ele estava bêbado, embora não estivesse bebendo ultimamente, mas Patrick faz esse tipo de coisa sóbrio, então é difícil dizer."
- Charlie, sobre Patrick
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 202
  • "Então eu comecei a chorar novamente. Às vezes eu era uma verdadeira montanha-russa. Mas Sam era paciente."
- Charlie, sobre se emocionar facilmente
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 204
  • "Ela estava assustada, e foi somente quando tomou um gole de alguma coisa que que estávamos bebendo e uma tragada no que estávamos fumando que se acalmou e voltou a ser a Sam."
- Charlie, sobre Sam nas noites antes de ela ir para a faculdade
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 207
  • "Ela não estava amarga. Mas estava triste. Era uma espécie de tristeza esperançosa. O tipo de tristeza que passa com o tempo."
- Charlie, sobre Sam
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 207
  • "As piadas particulares não eram mais piadas. Tinham se tornado histórias. Ninguém se lembrou de nomes ou momentos ruins. E ninguém se sentiu triste, porque podíamos adiar a nostalgia para amanhã."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 208
  • "Não posso sentir isso. É doce e tudo, mas é como se você não estivesse presente às vezes. É ótimo que você ouça e seja um ombro amigo para alguém, mas há momentos em que a gente não precisa de um ombro. E se precisarmos de um braço, ou coisa parecida? Você não pode se limitar a se sentar lá, colocar a vida de todos a frente da sua e pensar que o que importa é o amor. Não pode fazer isso. Você tem que fazer as coisas."
- Sam
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 209
  • "Mas você não estava sendo amigo, Charlie. Às vezes, você não é amigo de jeito nenhum. Porque você não foi sincero com ele."
- Sam, sobre como Charlie agiu com Patrick
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 210
  • "É só que eu não quero ser a paixonite de ninguém. Se alguém gosta de mim, eu quero que goste de mim de verdade, e não pelo que pensam que eu sou. E não quero que carreguem isso preso por dentro. Quero que mostrem para mim, para que eu possa sentir também."
- Sam
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 211
  • "E embora eu não conheça você, acho que conheço, porque me parece uma boa pessoa. O tipo de pessoa que não se importaria de receber cartas de um garoto. O tipo de pessoa que entenderia como as cartas são melhores que um diário, porque existe uma comunhão que um diário não tem."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 215

[editar]

  • "A melhor coisa sobre Patrick é que, mesmo quando você está num hospital, ele não muda. Ele faz piadas para você se sentir melhor, em vez de fazer perguntas que o fazem se sentir pior."
- Charlie, sobre a visita de Patrick
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 219
  • "É legal ter coisas do futuro para pensar."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 220
  • "E acho que é muito importante saber. Torna as coisas claras e razoáveis."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 221
  • "Então, eu acho que somos o que somos por várias razões. E talvez nunca conheçamos a maior parte delas. Mas mesmo que não tenhamos o poder de escolher quem vamos ser, ainda podemos escolher aonde iremos a partir daqui. Ainda podemos fazer coisas. E podemos tentar ficar bem com elas."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 221
  • "Acho que, se um dia eu tiver filhos e eles ficarem perturbados, não vou dizer a eles que as pessoas passam fome na China nem nada assim, porque isso não mudaria o fato de que eles estão transtornados. E mesmo que alguém esteja muito pior, isso não muda em nada o fato de que você tem o que você tem. É bom e mau."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 221
  • "Talvez seja bom colocar as coisas em perspectiva, mas às vezes acho que a única perspectiva é estar aqui. Como disse a Sam. Porque não há problema em sentir as coisas. E ser quem você é."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 222
  • "Mas, principalmente, eu estava chorando, porque, de repente, tive consciência do fato de que eu estava de pé em um túnel, com o vento batendo no meu rosto. Não importava que eu visse a cidade. Nem mesmo que eu pensasse nisso. Porque eu estava de pé no túnel. E eu realmente estava ali. E foi o suficiente para que eu me sentisse infinito."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 223
  • "Então, se esta for a minha última carta, por favor, acredite que está tudo bem comigo, e mesmo quando não estiver, ficará bem logo depois. E eu acredito que seja assim com você também."
- Charlie
- Fonte: Editora Rocco Ltda., primeira edição, tradução de Ryta Vinagre, página 223


Esboço Este artigo é somente um esboço para um artigo maior.
Quer ajudar o Wikiquote? Acrescente alguma informação!