Umberto Eco

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Umberto Eco
Umberto Eco
Umberto Eco em outros projetos:

Umberto Eco (nasceu dia 5 de janeiro de 1932, em Alexandria (Alessandria), Piemonte, Itália); escritor italiano.


Obras[editar]

O nome da Rosa[editar]

  • "Nada inspira mais coragem ao medroso do que o medo alheio."
  • "Pode-se pecar por excesso de loquacidade e por excesso de reticência. Eu não queria dizer que é necessário esconder as fontes da ciência. Isso me parece antes um grande mal. Queria dizer que, em se tratando de arcanos dos quais pode nascer tanto o bem como o mal, o sábio tem o direito e o dever de usar uma linguagem obscura, compreensível somente a seus pares. O caminho da ciência é difícil e é difícil distinguir nele o bem do mal. E freqüentemente os sábios dos novos tempos são apenas anões em cima dos ombros de anões. O limite entre o veneno e o remédio é bastante tênue, os gregos chamavam a ambos de Pharmacon."

Baudolino[editar]

  • "Porque é verdade. Mas não penses que te censuro. Se queres transformar-te num homem de letras, e, quem sabe um dia escrever Histórias, deves também mentir, e inventar histórias, pois senão a tua História ficaria monótona. Mas terás que fazê-lo com moderação. O mundo condena os mentirosos que só sabem mentir, até mesmo sobre coisas mínimas, e premia os poetas que mentem apenas sobre coisas grandiosas."
  • "E como podes ver, ainda falo demasiadamente, e isto é sinal de que não sou sábia, porque a virtude se adquire no silêncio."
  • "Atingiremos um estágio mais perfeito quando conseguirmos ficar juntos sem falar, bastará tocar-te para me entenderes da mesma forma."

A Misteriosa Chama da Rainha Loana[editar]

  • "Era como se acordasse de um longo sono, e no entanto estava ainda suspenso em um cinza leitoso. Era um estranho sonho, desprovido de imagens, povoado por sons. Como se não visse, mas ouvisse vozes que me contavam o que devia ver. E contavam que eu ainda não via nada, exceto um fumegar ao longo dos canais, onde a paisagem se dissolvia."
  • "Sabia tudo de Alexandre, o grande, e nada de Alessandro, o meu pequenino. Disse que me sentia fraco e precisava dormir. Saíram, eu chorava. As lágrimas são salgadas. Aqueles de antes já não eram mais meus. Quem sabe, perguntava-me, se alguma vez fui religioso: certamente, de qualquer jeito, perdera a alma."

Frases[editar]

  • "Essas tabuinhas nos mostram ainda que, desde aquela época, ler sempre foi interpretar, porque era necessário decidir, segundo o contexto como uma imagem deve estar relacionada no seu significado e em que direção prosseguir a leitura."
- "Sobre os espelhos e outros ensaios" - página 67, 3a. ed., Umberto Eco, tradução de Beatriz Borges, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989, 345 páginas.
  • "Nenhum romancista pode imaginar algo mais terrível que a verdade."
- Citando como exemplo do que diz a recente destruição das torres gêmeas de Nova York; como citado em Revista Veja, Edição 1 729 - 5 de dezembro de 2001
  • "Nada é mais nocivo para a criatividade do que o furor da inspiração."
- is more harmful to creativity than the passion of inspiration.
- Umberto Eco em entrevista a Gaither Stewart (2001)