Ran (filme)

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ran (乱, "Caos") (no Brasil Ran e em Portugal Os Senhores da Guerra) é um filme franco-japonês de 1985, do gênero drama de guerra, dirigido por Akira Kurosawa, com roteiro baseado na peça Rei Lear de William Shakespeare.



- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Daisuke Ryu.
- Após o pai da personagem, Hidetora Ichimonji, anunciar a divisão de suas terras entre os três filhos.
  • "Pai, as três flechas já foram partidas. Breve três irmãos se exterminarão."
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Daisuke Ryu.
- Após Hidetora Ichimonji propor-lhes uma prova que consistia em quebrarem uma flecha e depois três juntas.
  • "A galinha faz o galo cantar e o galo fica feliz."
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Tatsuya Nakadai.
Sobre seu filho Taro Takatora ser manipulado pela mulher.
  • "Não existe mais o Buda nesta época miserável onde só o ódio reina. Não conte com a compaixão dele."
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Tatsuya Nakadai.
  • "Apressem-se. O inferno na Terra está próximo"
- Quando da ida de Hidetora ao terceiro castelo tentando tomá-lo e anunciando o desastre que se segue.
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Shinnosuke Ikehata.
  • "Mundo louco que enlouquece quem é sensato."
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Shinnosuke Ikehata.

Diálogos[editar]

  • Saburo: "Sem dúvida está louco ou senil."
Hidetora: "Cale-se sou seu pai! Que loucura eu disse? O que disse de senil?"
Saburo: "Explico. O que o senhor crê que seja este mundo? Vive-se nele sem nem lei."
Hidetora: "Não ignoro isso."
Saburo: "Certamente. O senhor espalhou tanto sangue sem nunca demonstrar compaixão. Nós também somos filhos dessa época de fim de mundo e o senhor conta conosco só porque somos seus filhos? Para mim, o senhor é apenas um louco. Um louco senil!"
Hidetora: "Já entendi. Você diz que um dia poderá me esquecer e me trair?"
Saburo: "Outra insensatez. Um traidor se trairia?"
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Daisuke Ryu e Tatsuya Nakadai.
  • Tango Hirayama: "Enlouqueceu?"
Kyoami: "Foi uma benção."
-Acerca de Hidetora senhor de ambos.
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Masayuki Yui e Shinnosuke Ikehata.
  • Hidetora: "Quem chora?"
Kyoami: "Nascemos chorando e morremos depois de chorar muito."
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Tatsuya Nakadai e Shinnosuke Ikehata.
  • Hidetora: "Estou perdido."
Kyoami: "Toda a humanidade está."
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Tatsuya Nakadai e Shinnosuke Ikehata.
  • Hidetora: "Este caminho, eu o conheço. Nós já o percorremos antes."
Kyoami: "Assim faz a humanidade. Se o desagrada, pule!"
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Tatsuya Nakadai e Shinnosuke Ikehata.
  • Kyoami: "Não existem deuses nem Buda. Se existirem, ouçam: vocês são os malfeitores. Fazem de nós seu divertimento. É tão engraçado assim nos ver chorar?"
Tango Hirayama: "Chega! Não blasfeme mais. São eles que choram das loucuras dos homens que não tem salvação!"
Kageyu Ikoma: "Não chore! Assim é a vida! Os homens buscam sofrimento e infelicidade. Veja no castelo, os homens divertem-se matando-se."
- Ran, Akira Kurosawa, 1985, Shinnosuke Ikehata, Masayuki Yui e Kazuo Kato.
Wikipedia-logo.png
A Wikipédia possui um artigo de ou sobre: Ran (filme).