Martin Luther King Junior

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Martin Luther King Junior
Martin Luther King Junior
Martin Luther King Junior em outros projetos:
Prêmio Nobel de Paz (1964)

Martin Luther King Junior (15 de janeiro de 1929 - 4 de abril de 1968). Também conhecido como Martin Luther King. Pastor da Igreja Batista e ativista político norte-americano, revel por propagar mensagens de paz e luta para a humanidade.


- The old law of an eye for an eye leves everybody blind.
- "Do the Right Thing" - texto citado nos créditos do filme como sendo de autoria de Martin Luther King Jr. - Spike Lee, 120 min., EUA (1989)[1]
  • "Mesmo as noites completamente sem estrelas, podem anunciar a aurora de uma grande realização."
- Even the most starless midnight may herald the dawn of some great fulfillment.
- "Strength to love" - página 65, Martin Luther King, Martin Luther King (Jr.) - Collins-World, 1963, ISBN 0529053918, 9780529053916 - 155 páginas
  • "Um líder autêntico, em vez de buscar consenso, molda-o."
- Fonte: [1]
  • "Nós não estaremos satisfeitos até que a justiça corra como água e a retidão como um caudaloso rio."
- We will not be satisfied until justice rolls down like waters and righteousness like a mighty stream
- A testament of hope: the essential writings and speeches of Martin Luther King, Jr‎ - Página 219, Martin Luther King, Martin Luther King (Jr.), James Melvin Washington - HarperSanFrancisco, 1991, ISBN 0060646918, 9780060646912 - 702 páginas
  • "A greve, no fundo, é a linguagem dos que não são ouvidos."
- A riot is at bottom the language of the unheard.
- Where do we go from here: chaos or community?, Volume 1968, Parte 2 - página 112, Edição 31 de Sidney Hillman reprint series, Autor Martin Luther King (Jr.), Editora Beacon Press, 1967, 209 páginas
  • "O bom vizinho olha além das circunstâncias externas e distingue aquelas qualidades intrínsecas que fazem de todos os homens seres humanos e, portanto, irmãos."
- The good neighbour looks beyond the external accidents and discerns those inner qualities that make all men human and, therefore, brothers.
- Strength to love - página 29, Martin Luther King (Jr.), Editora Harper & Row, 1963, ISBN 0529053918, 9780529053916, 146 páginas
  • "Quase sempre minorias criativas e dedicadas tornam o mundo melhor."
- Almost always the creative, dedicated minority has made the world better.
- A testament of hope: the essential writings and speeches of Martin Luther King, Jr‎ - Página 499, Martin Luther King, Martin Luther King (Jr.), James Melvin Washington - HarperSanFrancisco, 1991, ISBN 0060646918, 9780060646912 - 702 páginas
  • "Nossa eterna mensagem de esperança é que a aurora chegará."
- Our eternal message of hope is that dawn will come.
- A Martin Luther King treasury‎ - Página 182, Martin Luther King - Educational Heritage, 1964 - 352 páginas
  • "Se um homem não descobriu algo por que morrer, ele não está preparado para viver."
- Discurso em Detroit, Michigan (23/06/1963)
  • "O ser humano deve desenvolver, para todos os seus conflitos, um método que rejeite a vingança, a agressão e a retaliação. A base para esse tipo de método é o amor."
- Man must evolve for all human conflict a method which rejects revenge, aggression and retaliation. The foundation of such a method is love.
- Nobel Prize acceptance speech (1964)
  • "Through violence you may murder a murderer but you can't murder murder. Through violence you may murder a liar but you can't establish truth. Through violence you may murder a hater, but you can't murder hate. Darkness cannot put out darkness. Only light can do that."'
    • Tradução: "Através da violência você pode matar um assassino, mas não pode matar o assassinato. Através da violência você pode matar um mentiroso, mas não pode estabelecer a verdade. Através da violência você pode matar uma pessoa odienta, mas não pode matar o ódio. A escuridão não pode extingüir a escuridão. Só a luz pode."
    • Fonte: Discurso "Where do we go from here?" (16 de agosto de 1967)
  • "A Verdadeira paz somente não é a ausência de tensão, é a presença de justiça."
- Em 1955 em resposta à acusação que ele estava "pertubando a paz" pelo ativismo durante o Boicote de Ônibus Montgomery em Montgomery, Alabama, como citado em Let the Trumpet Sound : A Life of Martin Luther King, Jr(1982) de Stephen B. Oates.
- We must combine the toughness of the serpent and the softness of the dove, a tough mind and a tender heart
- A Martin Luther King treasury‎ - Página 147, Martin Luther King - Educational Heritage, 1964 - 352 páginas
- Nothing in all the world is more dangerous than sincere ignorance and conscientious stupidity.
- A Martin Luther King treasury‎ - Página 168, Martin Luther King - Educational Heritage, 1964 - 352 páginas
  • "O Amor é a única força capaz de transformar um inimigo num amigo."
- love is the only force capable of transforming an enemy into a friend.
- A Martin Luther King treasury‎ - Página 173, Martin Luther King - Educational Heritage, 1964 - 352 páginas
  • "Eu tenho o sonho de ver um dia meus 4 filhos vivendo numa nação em que não sejam julgados pela cor de sua pele, mas sim pelo seu caráter."
- {Discurso: I have a dream}
  • "Pessoas oprimidas não podem permanecer oprimidas para sempre."
- Oppressed people cannot remain oppressed forever.
- Letter from a Birmingham Jail (1963)


Discurso realizado em 28 de agosto de 1963, em Washington, EUA, no Lincoln Memorial - "I have a dream"[editar]

"Eu estou contente em unir-me com vocês no dia que entrará para a história como a maior demonstração pela liberdade na história de nossa nação.

Cem anos atrás, um grande estadunidense, na qual estamos sob sua simbólica sombra, assinou a Proclamação de Emancipação. Esse importante decreto veio como um grande farol de esperança para milhões de escravos negros que tinham murchados nas chamas da injustiça. Ele veio como uma alvorada para terminar a longa noite de seus cativeiros. Mas cem anos depois, o Negro ainda não é livre. Cem anos depois, a vida do Negro ainda é tristemente inválida pelas algemas da segregação e as cadeias de discriminação. Cem anos depois, o Negro vive em uma ilha só de pobreza no meio de um vasto oceano de prosperidade material. Cem anos depois, o Negro ainda adoece nos cantos da sociedade estadunidense e se encontram exilados em sua própria terra. Assim, nós viemos aqui hoje para dramatizar sua vergonhosa condição.

De certo modo, nós viemos à capital de nossa nação para trocar um cheque. Quando os arquitetos de nossa república escreveram as magníficas palavras da Constituição e a Declaração da Independência, eles estavam assinando uma nota promissória para a qual todo estadunidense seria seu herdeiro. Esta nota era uma promessa que todos os homens, sim, os homens negros, como também os homens brancos, teriam garantidos os direitos inalienáveis de vida, liberdade e a busca da felicidade. Hoje é óbvio que aquela América não apresentou esta nota promissória. Em vez de honrar esta obrigação sagrada, a América deu para o povo negro um cheque sem fundo, um cheque que voltou marcado com "fundos insuficientes".

Mas nós nos recusamos a acreditar que o banco da justiça é falível. Nós nos recusamos a acreditar que há capitais insuficientes de oportunidade nesta nação. Assim nós viemos trocar este cheque, um cheque que nos dará o direito de reclamar as riquezas de liberdade e a segurança da justiça.

Nós também viemos para recordar à América dessa cruel urgência. Este não é o momento para descansar no luxo refrescante ou tomar o remédio tranqüilizante do gradualismo. Agora é o tempo para transformar em realidade as promessas de democracia. Agora é o tempo para subir do vale das trevas da segregação ao caminho iluminado pelo sol da justiça racial. Agora é o tempo para erguer nossa nação das areias movediças da injustiça racial para a pedra sólida da fraternidade. Agora é o tempo para fazer da justiça uma realidade para todos os filhos de Deus.

Seria fatal para a nação negligenciar a urgência desse momento. Este verão sufocante do legítimo descontentamento dos Negros não passará até termos um renovador outono de liberdade e igualdade. Este ano de 1963 não é um fim, mas um começo. Esses que esperam que o Negro agora estará contente, terão um violento despertar se a nação votar aos negócios de sempre.

Mas há algo que eu tenho que dizer ao meu povo que se dirige ao portal que conduz ao palácio da justiça. No processo de conquistar nosso legítimo direito, nós não devemos ser culpados de ações de injustiças. Não vamos satisfazer nossa sede de liberdade bebendo da xícara da amargura e do ódio. Nós sempre temos que conduzir nossa luta num alto nível de dignidade e disciplina. Nós não devemos permitir que nosso criativo protesto se degenere em violência física. Novamente e novamente nós temos que subir às majestosas alturas da reunião da força física com a força de alma. Nossa nova e maravilhosa combatividade mostrou à comunidade negra que não devemos ter uma desconfiança para com todas as pessoas brancas, para muitos de nossos irmãos brancos, como comprovamos pela presença deles aqui hoje, vieram entender que o destino deles é amarrado ao nosso destino. Eles vieram perceber que a liberdade deles é ligada indissoluvelmente a nossa liberdade. Nós não podemos caminhar só.

E como nós caminhamos, nós temos que fazer a promessa que nós sempre marcharemos à frente. Nós não podemos retroceder. Há esses que estão perguntando para os devotos dos direitos civis, "Quando vocês estarão satisfeitos?"

Nós nunca estaremos satisfeitos enquanto o Negro for vítima dos horrores indizíveis da brutalidade policial. Nós nunca estaremos satisfeitos enquanto nossos corpos, pesados com a fadiga da viagem, não poderem ter hospedagem nos motéis das estradas e os hotéis das cidades. Nós não estaremos satisfeitos enquanto um Negro não puder votar no Mississipi e um Negro em Nova Iorque acreditar que ele não tem motivo para votar. Não, não, nós não estamos satisfeitos e nós não estaremos satisfeitos até que a justiça e a retidão rolem abaixo como águas de uma poderosa correnteza.

Eu não esqueci que alguns de vocês vieram até aqui após grandes testes e sofrimentos. Alguns de vocês vieram recentemente de celas estreitas das prisões. Alguns de vocês vieram de áreas onde sua busca pela liberdade lhe deixaram marcas pelas tempestades das perseguições e pelos ventos de brutalidade policial. Vocês são os veteranos do sofrimento. Continuem trabalhando com a fé que sofrimento imerecido é redentor. Voltem para o Mississippi, voltem para o Alabama, voltem para a Carolina do Sul, voltem para a Geórgia, voltem para Louisiana, voltem para as ruas sujas e guetos de nossas cidades do norte, sabendo que de alguma maneira esta situação pode e será mudada. Não se deixe caiar no vale de desespero.

Eu digo a você hoje, meus amigos, que embora nós enfrentemos as dificuldades de hoje e amanhã. Eu ainda tenho um sonho. É um sonho profundamente enraizado no sonho americano.

Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença - nós celebraremos estas verdades e elas serão claras para todos, que os homens são criados iguais.

Eu tenho um sonho que um dia nas colinas vermelhas da Geórgia os filhos dos descendentes de escravos e os filhos dos descendentes dos donos de escravos poderão se sentar junto à mesa da fraternidade.

Eu tenho um sonho que um dia, até mesmo no estado de Mississippi, um estado que transpira com o calor da injustiça, que transpira com o calor de opressão, será transformado em um oásis de liberdade e justiça.

Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver em uma nação onde elas não serão julgadas pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu caráter. Eu tenho um sonho hoje!

Eu tenho um sonho que um dia, no Alabama, com seus racistas malignos, com seu governador que tem os lábios gotejando palavras de intervenção e negação; nesse justo dia no Alabama meninos negros e meninas negras poderão unir as mãos com meninos brancos e meninas brancas como irmãs e irmãos. Eu tenho um sonho hoje!

Eu tenho um sonho que um dia todo vale será exaltado, e todas as colinas e montanhas virão abaixo, os lugares ásperos serão aplainados e os lugares tortuosos serão endireitados e a glória do Senhor será revelada e toda a carne estará junta.

Esta é nossa esperança. Esta é a fé com que regressarei para o Sul. Com esta fé nós poderemos cortar da montanha do desespero uma pedra de esperança. Com esta fé nós poderemos transformar as discórdias estridentes de nossa nação em uma bela sinfonia de fraternidade. Com esta fé nós poderemos trabalhar juntos, rezar juntos, lutar juntos, para ir encarcerar juntos, defender liberdade juntos, e quem sabe nós seremos um dia livres. Este será o dia, este será o dia quando todas as crianças de Deus poderão cantar com um novo significado.

"Meu país, doce terra de liberdade, eu te canto.

Terra onde meus pais morreram, terra do orgulho dos peregrinos,

De qualquer lado da montanha, ouço o sino da liberdade!"

E se os Estados Unidos é uma grande nação, isto tem que se tornar verdadeiro.

E assim ouvirei o sino da liberdade no extraordinário topo da montanha de New Hampshire.

Ouvirei o sino da liberdade nas poderosas montanhas poderosas de Nova York.

Ouvirei o sino da liberdade nos engrandecidos Alleghenies da Pennsylvania.

Ouvirei o sino da liberdade nas montanhas cobertas de neve Rockies do Colorado.

Ouvirei o sino da liberdade nas ladeiras curvas da Califórnia.

Mas não é só isso. Ouvirei o sino da liberdade na Montanha de Pedra da Geórgia.

Ouvirei o sino da liberdade na Montanha de Vigilância do Tennessee.

Ouvirei o sino da liberdade em todas as colinas do Mississipi.

Em todas as montanhas, ouviu o sino da liberdade.

E quando isto acontecer, quando nós permitimos o sino da liberdade soar, quando nós deixarmos ele soar em toda moradia e todo vilarejo, em todo estado e em toda cidade, nós poderemos acelerar aquele dia quando todas as crianças de Deus, homens pretos e homens brancos, judeus e gentios, protestantes e católicos, poderão unir mãos e cantar nas palavras do velho spiritual negro:

  • "Livre afinal, livre afinal.

Agradeço ao Deus todo-poderoso, nós somos livres afinal."

- Video do discurso, na íntegra: [2]

Atribuídas[editar]

  • "A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio.
- Martin Luther King Jr. citado em "Juscelino Kubitschek de Oliveira, patrono da Sociedade Brasileira de Urologia", página 95, Helio Begliomini, Expressão e Arte Editora, 2005, ISBN 8589788121, 9788589788120, 248 páginas

Referências[editar]

  1. Spike Lee (diretor/elenco/roteirista), Danny Aiello (elenco), John Turturro (elenco), Samuel L. Jackson (elenco), etc... (13 de junho de 1989). Do the Right Thing (Faça a Coisa CertaBR, Não Dês BroncaPT [cinema]. EUA: 40 Acres & A Mule Filmworks (Universal Pictures). (em português (dublado), original em inglês) Evento ocorre em 01h52''12'.