Crepúsculo (livro)

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
(Redireccionado de Twilight)
Ir para: navegação, pesquisa

Twilight (Crepúsculo, no Brasil e em Portugal) é o primeiro volume da saga Crepúsculo, série de livros de fantasia e romance escrita por Stephenie Meyer. Nos Estados Unidos, a primeira edição foi publicada em 2005.

[editar]

  • Nunca pensei muito em como morreria — embora nos últimos meses tivesse motivos suficientes para isso —, mas, mesmo que tivesse pensado, não teria imaginado que seria assim. [...] Sem dúvida era uma boa forma de morrer, no lugar de outra pessoa, de alguém que eu amava. Nobre, até. Isso devia contar para alguma coisa.
  • Quando a vida lhe oferece um sonho muito além de todas as expectativas, é irracional se lamentar quando isso chega ao fim.
    • Bella Swan, página 11.

1. À Primeira Vista[editar]

  • Eu estava com minha blusa preferida — sem mangas, de renda branca com ilhoses; eu a vesti como um gesto de despedida. Minha bagagem de mão era uma parca.
    • Bella Swan, página 13.
  • Quando pousamos em Port Angeles, estava chovendo. Não vi isso como um presságio — era apenas inevitável. Eu já tinha dado adeus ao sol.
    • Bella Swan, página 14.
  • Era lindo, é claro; eu não podia negar isso. Tudo era verde: as árvores, os troncos cobertos de musgo, os galhos que pendiam das copas, a terra coberta de samambaias. Até o ar filtrava o verde das folhas. Era verde demais — um planeta alienígena.
  • [...] A boa sorte geralmente me evitava.
    • Bella Swan, página 19.
  • [...] Onde estava o espírito da instituição?, perguntei-me com nostalgia. Onde estavam as cercas de tela, os detectores de metal?
    • Bella Swan sobre a Forks High School (sua nova escola), página 20.
  • Eu vou conseguir, menti para mim mesma debilmente. Ninguém ia me morder.
    • Bella Swan, página 21.
  • Parecia que nuvens e senso de humor não se misturavam. Alguns meses disso e eu me esqueceria de como usar o sarcasmo.
    • Bella Swan, página 22.
  • Tentei ser diplomática, mas na maioria das vezes apenas menti.
    • Bella Swan, página 23.
  • Cada um deles era pálido como giz, os alunos mais brancos que viviam nesta cidade sem sol. Mais brancos do que eu, a albina.
    • Bella Swan sobre os Cullen, página 24.
  • E aí, você furou o Edward Cullen com um lápis ou o quê?
  • Forks literalmente era meu inferno particular na Terra.
    • Bella Swan, página 29.

2. Livro Aberto[editar]

  • Durante toda a manhã tive medo do almoço, temendo os olhares estranhos dele [Edward Cullen]. Parte de mim queria confrontá-lo e exigir que me dissesse qual era o problema. [...] Mas eu me conhecia bem demais para pensar que realmente teria coragem de fazer isso. Eu fazia o Leão Covarde de O Mágico de Oz parecer um exterminador do futuro.
    • Bella Swan, página 32.
  • Pelo que eu sabia, ele nunca disparou a arma no trabalho. Mas a mantinha preparada. Quando eu era criança e vinha aqui, ele sempre retirava as balas assim que passava pela porta. Acho que agora me considerava velha o bastante para não atirar em mim mesma por acidente, nem deprimida o bastante para atirar em mim mesma de propósito.
  • [...] O cabelo gotejava, despenteado — mesmo assim, ele parecia ter acabado de gravar um comercial de gel. Seu rosto deslumbrante era simpático, franco, um leve sorriso nos lábios impecáveis. Mas os olhos eram cautelosos.
  • — Primeiro as damas, parceira? — perguntou Edward. Olhei para ele e o vi dando um sorriso torto tão bonito que só pude ficar olhando como uma idiota. — Ou eu posso começar, se preferir. — O sorriso sumiu; ele obviamente se perguntava se eu era mentalmente competente.
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 42.
  • Quando ele me tocou, minha mão foi atingida como se uma corrente elétrica tivesse passado entre nós.
    • Bella Swan sobre Edward Cullen, página 43.
  • — Ninguém te contou ainda? A vida não é justa.
    — Acho que já ouvi isso em algum lugar. — concordou ele secamente.
    • Bella Swan e Edward Cullen, página 46.

3. Fenômeno[editar]

  • Sentia-me empolgada para ir para a escola e isso me assustava. Eu sabia que minha expectativa não vinha do ambiente estimulante de aprendizado, nem de ver meu novo grupo de amigos. Para ser sincera comigo mesma, eu sabia que estava ansiosa para ir para a escola porque veria Edward Cullen. E isso era uma grande estupidez.
    • Bella Swan, página 50.
  • Dirigindo para a escola, me distraí [...] pensando em Mik e Eric, e na diferença evidente no modo como os adolescentes daqui reagiam a mim. [...] Talvez fosse porque eu era nova por aqui, onde as novidades eram poucas e raras vezes aconteciam. É possível que minha falta de jeito incapacitante fosse considerada simpática, e não ridícula, tornando-me uma donzela em perigo. Eu não tinha certeza se preferiria ser ignorada.
    • Bella Swan, página 50.

4. Convites[editar]

  • Eu não era interessante. E ele era. Interessante... e inteligente... e misterioso... e perfeito... e lindo... e possivelmente capaz de erguer vans inteiras com uma só mão.
    • Bella Swan sobre Edward Cullen, página 69.
  • Grrrr. Só em uma cidade desse tamanho um pai saberia quando acontecem os bailes da escola.
    • Bella Swan, página 70.
  • — Quer uma carona para Seattle?
    — Com quem? — perguntei, aturdida.
    — Comigo, é claro. — Ele enunciou cada sílaba como se estivesse falando com alguém com problemas mentais.
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 72.
  • — Mas sua picape pode chegar lá com um tanque de gasolina? [...]
    — Não vejo como isso pode ser da sua conta. — Dono daquele Volvo idiota e reluzente.
    — O disperdício de recursos não-renováveis é da conta de todos.
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 72-73.
  • — Seria mais... prudente para você não ser minha amiga. — explicou ele. — Mas estou cansado de tentar ficar longe de você, Bella.
    • Edward Cullen, página 73.

5. Tipo Sanguíneo[editar]

  • — Eu concluí que, já que vou para o inferno, posso muito bem fazer o serviço completo.
    • Edward Cullen, página 77.
  • — E se eu não for um super-herói? E se eu for o vilão?
    • Edward Cullen, página 81.
  • — As pessoas não conseguem sentir cheiro de sangue. — contestou ele.
    — Bom, eu consigo... É isso que me deixa enjoada. Tem cheiro de ferrugem... e sal.
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 87.
  • — Não se ofenda, mas você parece ser uma daquelas pessoas que atrai acidentes feito um imã. Então... Procure não cair no mar, nem se afogar, nem nada disso, está bem?
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 93.

9. Teoria[editar]

  • — Bella? — Eu me virei e ele se inclinou para mim, o rosto pálido e glorioso a centímetros do meu. Meu coração parou de bater. — Durma bem. — disse. Seu hálito soprou em minha face, estonteando-me.
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 155.
  • De três coisas eu estava convicta. Primeira, Edward era um vampiro. Segunda, havia uma parte dele — e eu não sabia que poder essa parte teria — que tinha sede do meu sangue. E terceira, eu estava incondicional e irrevogavelmente apaixonada por ele.
    • Bella Swan, página 157.

10. Interrogações[editar]

  • — Confie em mim só desta vez... Você é o contrário do comum.
    • Edward Cullen para Bella Swan, página 169.
  • — De todas as coisas sobre mim que podem te dar medo, você se preocupa com minha direção.
    • Edward Cullen para Bella Swan, página 171.

11. Complicações[editar]

  • — Que carro é esse? — perguntei.
    — Um M3.
    — Eu não falo a língua da Car and Driver.
    • Bella Swan e Edward Cullen, página 179.
  • — É a hora do crepúsculo. — murmurou Edward [...]. — É a hora do dia mais segura para nós. — disse ele, respondendo à pergunta em meus olhos. — A hora mais fácil. Mas também a mais triste, de certa forma... O fim de outro dia, a volta da noite. A escuridão é tão previsível, não acha? — Ele sorriu tristonho.
    — Gosto da noite. Sem o escuro, nunca veríamos as estrelas.
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 186.

12. Oscilando[editar]

  • [...] Nosso relacionamento não podia continuar se equilibrando, como estava, na ponta de uma faca. Cairíamos para um lado ou para o outro, dependendo inteiramente da decisão dele, ou de seus instintos. Minha decisão estava tomada antes mesmo que eu tivesse escolhido conscientemente, e eu me comprometera a ir até o fim. Porque não havia nada mais apavorante para mim, mais excruciante, do que a ideia de me afastar dele. Era uma impossibilidade.
    • Bella Swan sobre Edward Cullen, página 198.

13. Confissões[editar]

  • — Sou o melhor predador do mundo, não sou? Tudo em mim convida você... Minha voz, meu rosto, até meu cheiro. Como se eu precisasse disso!
    • Edward Cullen para Bella Swan, página 210.
  • — [...] você é exatamente meu tipo preferido de heroína.
    • Edward Cullen para Bella Swan, página 213.
  • — Bella, eu não poderia viver comigo mesmo se a ferisse. Você não sabe como isso me torturou. [...] Pensar em você imóvel, lívida, fria... Nunca mais vê-la corar de novo, nunca mais ver esse lampejo de intuição em seus olhos quando você vê através de meus pretextos... Seria insuportável. [...] Você é, agora, a coisa mais importante do mundo para mim. A mais importante de toda a minha vida.
    • Edward Cullen para Bella Swan, página 217.
  • — E então o leão se apaixonou pelo cordeiro... — murmurou ele.
    — Que cordeiro imbecil. — suspirei.
    — Que leão masoquista e doentio.
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 217.

14. A Mente Domina a Matéria[editar]

  • "Se eu pudesse sonhar, seria com você. [...] Não me envergonharia disso."
    • Edward Cullen para Bella Swan, 233.
  • — Coloque os grilhões... Sou seu prisioneiro.
    • Edward Cullen para Bella Swan, página 239.
  • "Por quase noventa anos andei entre os meus, e entre os seus... O tempo todo pensando que eu era completo comigo mesmo, sem perceber o que procurava. E sem encontrar nada, porque você ainda não estava viva."
    • Edward Cullen para Bella Swan, 240.
  • — É, o dia fica perdido quando não há alguém me dizendo que meu cheiro é apetitoso.
    • Bella Swan para Edward Cullen, página 242.

15. Os Cullen[editar]

  • — Eu te amo. — sussurrei.
    — Agora você é a minha vida. — respondeu ele simplesmente.
    • Bella Swan e Edward Cullen, página 249.

16. Carlisle[editar]

  • — Os vampiros gostam de beisebol?
    — É o típico passatempo americano. — disse ele com uma solenidade debochada.
    • Bella Swan e Edward Cullen, página 272.

19. Despedidas[editar]

  • — Sabe que está enganada. — disse ele baixinho.
    — Como é? — arfei.
    — Posso sentir o que você está sentindo agora... E você vale tudo isso.

20. Impaciência[editar]

  • — Faz quase um século que Edward está sozinho. Agora ele encontrou você. Não pode ver as mudanças que nós, que estamos com ele há tanto tempo, vemos. Acha que algum de nós vai querer olhar nos olhos dele pelos próximos cem anos se ele perder você?

24. Um Impasse[editar]

  • — Medo de agulhas. [...] Ah, um vampiro sádico que pretende torturá-la até a morte não é um problema, é claro, ela correu para se encontrar com ele. Mas uma agulha intravenosa, por outro lado...
    • Edward Cullen sobre Bella Swan, página 362.

Epílogo: Um Acontecimento Especial[editar]

  • — Que que eu tranque as portas para você massacrar o insuspeito povo de Forks? — sussurrei num tom de conspiração.
    — E onde você se encaixa nesse esquema? — Ele me fitou.
    — Ah, eu estou com os vampiros, é claro.
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 382.
  • — O crepúsculo de novo. — murmurou ele. — Outro fim. Mesmo que o dia seja perfeito, sempre tem um fim.
    • Edward Cullen, página 387.
  • — [...] Eu vou ficar com você... Isso não basta? [...]
    — Basta por enquanto.
    Ele franziu o cenho diante de minha tenacidade. Ninguém ia se render esta noite. Ele expirou e o som era praticamente um grunhido. [...]
    — Olhe — eu disse. — Eu o amo mais do que qualquer coisa no mundo. Isso não basta?
    — Sim, basta. — respondeu ele, sorrindo. — Basta para sempre.
    • Edward Cullen e Bella Swan, página 390.

Referências

  • Meyer, Stephenie. (2008). Crepúsculo. [Tradução de Ryta Magalhães Vinagre]. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 416, 1ª Edição. ISBN 978-85-98078-30-4