Diferenças entre edições de "Aldous Huxley"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
54 bytes adicionados ,  17h53min de 26 de novembro de 2008
m
fontes
m
m (fontes)
|Wikisource=en:Author:Aldous Huxley
|Wikipedia=Aldous Huxley
|Wikicommons=Category:Aldous Huxley
|Foto= Aldous Huxley.JPG
|Nombre=Aldous Huxley
|Gutenberg=Huxley,_Aldous
|Cervantes=
|DominioPu=2893
|DomiPubli=
|EbooksG=
 
* "Fatos empíricos:
: "Um. Todos nós somos capazes de sentir amor por outros seres humanos.
: "Dois. Impomos limitações a esse amor.
: "Três. Podemos transcender a todas essas limitações - se ''nos aprouver''. (É uma questão de observação que, quem quer que o deseje, poderá vencer a repugnância pessoal, o sentimento de classe, o ódio nacional, o preconceito de cor. Não é coisa fácil; mas podemos conseguir, se tivermos vontade e soubermos pôr em prática as nossas boas intenções.)
: "Quatro. Amor que se manifesta em bom tratamento cria amor. Ódio que se manifesta em mau tratamento cria ódio.
: "À luz desses fatos é óbvio quais deveriam ser os comportamentos políticos entre pessoas, entre classes, entre nações. Mas, ainda uma vez, o saber não basta. Saber, todos nós sabemos; onde quase todos nós fracassamos é em fazer. E a questão está, habitualmente, em achar os melhores métodos de dar cumprimento às intenções. Entre outras coisas, a propaganda da paz deve consistir numa série de instruções para a arte de modificar o caráter."
 
"Um. Todos nós somos capazes de sentir amor por outros seres humanos.
 
"Dois. Impomos limitações a esse amor.
 
"Três. Podemos transcender a todas essas limitações - se ''nos aprouver''. (É uma questão de observação que, quem quer que o deseje, poderá vencer a repugnância pessoal, o sentimento de classe, o ódio nacional, o preconceito de cor. Não é coisa fácil; mas podemos conseguir, se tivermos vontade e soubermos pôr em prática as nossas boas intenções.)
 
"Quatro. Amor que se manifesta em bom tratamento cria amor. Ódio que se manifesta em mau tratamento cria ódio.
 
"À luz desses fatos é óbvio quais deveriam ser os comportamentos políticos entre pessoas, entre classes, entre nações. Mas, ainda uma vez, o saber não basta. Saber, todos nós sabemos; onde quase todos nós fracassamos é em fazer. E a questão está, habitualmente, em achar os melhores métodos de dar cumprimento às intenções. Entre outras coisas, a propaganda da paz deve consistir numa série de instruções para a arte de modificar o caráter."
* "O inferno é a incapacidade de sermos diferentes da criatura segundo a qual ordinariamente nos comportamos."
 
* "...as escadas sociais vão se tornando mais largas à medida que se sobe. Embaixo, mal há lugar para se botar o pé. Em cima, os degraus têm uma largura de vinte jardas."
 
* "Certas lembranças, certos processos mentais são como um dente que dói e que se precisa estar sempre tocando, apenas para ter a certeza de que ainda dói."
 
 
* "A síntese do espírito de finura pode transformar-se na essência da não-verdade."
 
* "...a vida é curta e o conhecimento ilimitado."
 
* "A organização em excesso transforma em autômatos homens e mulheres, reprime o espírito criador e elimina a própria possibilidade de liberdade. Como sempre, o único caminho seguro está no meio-termo, entre o excesso do ''laissez-faire'', num dos topos da escala, e o controle total, no outro extremo."
 
* "A vida na cidade é anônima e, por isso mesmo, abstrata. As pessoas se relacionam umas com as outras, não como personalidades integrais, mas como personificações de funções econômicas ou, quando não estão no emprego, como pessoas que procuram irrefletidamente o entretenimento. Sujeitos a uma vida desta espécie, os indivíduos tendem a sentir-se solitários e sem importância. A sua existência deixa de ter qualquer importância ou qualquer sentido."
 
* "...nenhum povo em condições econômicas precárias tem uma grande oportunidade para estar capaz de governar democraticamente a si próprio."
 
* "...Numa época de superpopulação crescente, de crescente superorganização e de meios de comunicação cada vez mais eficientes com as massas, como podemos manter intactos a integridade e reafirmar o valor do ser humano individual?"
 
* "Já não compramos laranjas, compramos vitalidade, já não compramos um automóvel, compramos prestígio. (...) Com um dentifrício, por exemplo, adquirimos, não um mero antisséptico ou um produto de higiene, mas sim a libertação do medo de sermos sexualmente repulsivos. Com o ''vodka'' ou o ''whisky'' não adquirimos um veneno protoplásmico que, em pequenas doses, pode afetar o sistema nervoso de maneira psicologicamente valiosa; estamos adquirindo amizade e boa camaradagem... (...) Com o ''best-seller'' do mês adquirimos cultura, a inveja dos vizinhos menos ilustrados e a admiração dos que são ''intelectuais''."
 

Menu de navegação