Diferenças entre edições de "Ranieri Mazzilli"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
409 bytes adicionados ,  21h33min de 24 de agosto de 2019
* A intervenção militar nas entidades de esquerda foi imediata. Dias depois do presidente da Câmara Ranieri Mazzilli tomar posse, o Alto Comando Revolucionário do Exército tratou de pôr termo à várias entidades e instituições que colaboravam com o governo de João Goulart e com a euforia por ele permitida. O Iseb foi fechado a partir de um decreto do governo federal e a UNE foi colocada na clandestinidade, tendo sua sede no bairro de Botafogo (RJ) destruída por um incêndio.
:- ''[[Rodrigo Czajka]], in Redesenhando Ideologias: Cultura e Política em Tempos de Golpe'' [http://calvados.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/historia/article/download/2736/2273]
 
* "No dia 1º de abril de 1964, na farda sempre amarrotada do velho general, acordou o jovem capitão [[Costa e Silva]]. Negaceara com a insurreição, mas, uma vez na cadeira de ministro da Guerra, fechou o tempo. Intitulou-se comandante do Exército, desacatou governadores, humilhou o presidente Ranieri Mazzilli dizendo que não lhe devia subordinação."
:- ''Elio Gaspari, in A Ditadura Envergonhada''
 
{{presidentes do Brasil}}
445

edições

Menu de navegação

Espaços nominais

Variantes

Mais