Diferenças entre edições de "Afeição"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
564 bytes removidos ,  13h25min de 22 de março de 2010
m
- sem fonte
m
m (- sem fonte)
:::- ''"The Tear" in: The Works of Lord Byron‎ - Vol. III, [http://books.google.com.br/books?id=NmIRAAAAYAAJ&pg=PA252 Página 252], de [[George Gordon Byron Byron]], Thomas Moore - Publicado por Carey, 1843''
*"Os afectos podem às vezes somar-se; subtrair-se, nunca."{{carece de fontes}}
::- ''[[Paolo Mantegazza]]
 
*"O que as grandes e puras afeições têm de bom é que depois da felicidade de as ter sentido, resta ainda a felicidade de recordá-las
::- ''Les grandes et pures affections ont cela de beau, qu'après le bonheur de les avoir éprouvées, il reste le bonheur de s'en souvenir.
:::- ''"Théatre complet de Al. Dumas fils"‎ - Volume VII, [http://books.google.com.br/books?id=0JMGAAAAQAAJ&pg=PA64 Página 64], [[Alexandre Dumas (filho)|Alexandre Dumas]] - Michel Lévy frères, libraires éditeurs, 1868
 
*"A grandeza da afeição pode medir-se pela grandeza das ilusões: tão natural é achar perfeitos aqueles que amamos."{{carece de fontes}}
::- ''[[Condessa Diane (França)|Condessa Diane]]
 
*"Há pessoas a quem se tem afeição porque agradam, e outras que só agradam porque se lhes tem afeição. Gosta-se mais das primeiras quando estão presentes e das outras na sua ausência."{{carece de fontes}}
::- ''[[Condessa Diane (França)|Condessa Diane]]
 
*"Afeto, igual à melancolia, aumenta insignificâncias; o primeiro vê corpos celestiais por um telescópio; o segundo vê monstros por um microscópio."

Menu de navegação