Alexandre Dumas, pai

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alexandre Dumas, pai
Alexandre Dumas, pai
Alexandre Dumas, pai em outros projetos:

Alexandre Dumas, pai, pseudônimo de Dumas Davy de la Pailleterie (24 de julho de 1802, Villers-Cotterêts, França - 5 de dezembro de 1870) foi um novelista francês, autor, dentre outros, de "Os Três Mosqueteiros" e "O Conde de Monte Cristo".


  • "A cadeia do casamento é tão pesada, que são precisos dois para carregá-la - e às vezes três".
- The chain of wedlock is so heavy that it takes two to carry it -- and sometimes three
- Alexandre Dumas, pai; citado em "Laughter and the Sense of Humor"‎ - Página 77, de Edmund Bergler - Publicado por Intercontinental Medical Book Corp., 1956 - 297 páginas
  • "O orgulho de quem não pode construir é destruir."
- Les tombeaux de Saint-Dennis
  • "São as mulheres que nos inspiram para as grandes coisas que elas próprias nos impedem de realizar".
- It is often woman who inspires us with the great things that she will prevent us

from accomplishing.

- como citado em "Woman in Epigram: Flashes of Wit, Wisdom, and Satire from the World's Literature‎" - Página 193, de Frederick William Morton - Publicado por A.C. McClurg, 1898 - 239 páginas
  • "Toda generalização é perigosa, inclusive esta."
- All generalizations are dangerous, even this one
- como citado em FPA book of quotations: a new collection of famous sayings, reflecting the ...‎ - Página 375, de Franklin Pierce Adams - Publicado por Funk & Wagnalls, 1952 - 914 páginas

Obras[editar]

Os Três Mosqueteiros[editar]

  • "Todos por um, um para todos."
  • "Na primeira segunda-feira do mês de abril de 1625, a vila de Meung onde nasceu o autor do Romance da Rosa, parecia encontrar-se numa revolução tão completa como se os huguenotes lá tivessem ido fazer uma segunda Rochela."
  • "Mas também nunca dissestes que não me amáveis; e, com efeito, dizer-me tais palavras seria da parte de Vossa Majestade a maior das ingratidões. Pois, dizei-me, onde encontrareis um amor semelhante ao meu, um amor que nem o tempo, nem a ausência, nem o desespero lograram extinguir; um amor que se contenta com uma fita que caiu, um olhar perdido, uma palavra solta?"
  • "Ai de mim! – suspirou Bazin – Bem o sei senhor; tudo está de pernas para o ar no mundo de hoje."
  • "Mas, no meio de tudo isso, também observou que ninguém respondia às galanterias de Porthos. Eram apenas quimeras e ilusões. Mas, para um amor verdadeiro, para um ciúme real, haverá outra realidade além de quimeras e ilusões?"
  • "Os versos estavam longe de ser excelentes; mas como se sabe, os protestantes não se presumiam de poetas."

O Conde de Montecristo[editar]

  • "A felicidade faz bem até mesmo aos maus."
  • "É necessária a desgraça para provocar certas minas misteriosas ocultas na inteligência humana; é precisa a pressão para fazer estourar a pólvora."
  • "As feridas morais tem a particularidade de que se escondem, mas não se fecham; sempre dolorosas, sempre prontas a sangrar quando são tocadas, ficam vivas e abertas no coração."
  • "Há situações que os homens apreciam com seu instinto, mas que não podem comentar com sua inteligência."
  • "Os seres queridos que perdemos não repousam debaixo da terra, mas o levamos no coração."
  • "Para todos os males, há dois remédios: o tempo e o silêncio."
  • "A sabedoria humana termina por inteira nestas palavras: Confiar e esperar!"
  • "O mundo é um salão do qual é preciso sair cortês e honrosamente, ou seja, saudando e pagando as dívidas do jogo."
  • "Nos negócios não existem amigos, apenas clientes."
  • "Este é um dos orgulhos da nossa funesta humanidade: cada homem julga-se mais infeliz que outro infeliz que chora e geme ao seu lado."
  • "Em política, meu caro, sabe tão bem quanto eu, não existem homens, mas idéias; não existem sentimentos, mas interesses; em política, ninguém mata um homem: suprime-se um obstáculo. ponto final."

Atribuídas[editar]

  • "Por vezes é penoso cumprir o dever, mas nunca é tão penoso como não cumpri-lo".
- citado em "Citações da Cultura Universal" - Página 155, Alberto J. G. Villamarín, 2002, Editora AGE Ltda, ISBN 8574970891, 9788574970899
  • "Suprimir a distância é aumentar a duração do tempo. A partir de agora, não viveremos mais; viveremos apenas mais depressa".
- citado em CAMPUS EXPERIENCE, THE: MARKETING PARA INSTITUIÇOES DE ENSINO - Página 164, RAFAEL VILLAS BOAS, Grupo Editorial Summus, 2008, ISBN 8532304702, 9788532304704 - 408 páginas